A riqueza cultural de Zurich

Aproveitei meus dias na Suíça para dar uma esvaziada na cabeça. Trouxe um livro novo e nem li a primeira página e muito pouco ou quase nada fiz no mundo virtual. Estou aproveitando para abrir espaços vazios pois só assim posso trabalhar nas ideias novas e frescas que estão chegando até mim 😉

E nada melhor do que uma programação cultural interessante e paisagens diferentes para levar a mente para um lugar leve, divertido e onde só é permitido um pensamento de cada vez: Ha! Te enganei! Este lugar não existe, pelo menos eu não conheço…Mas se existe de fato tal lugar tranquilizador onde só passa um pensamento de cada vez acredito que cheguei pertinho dele enquanto observava o profundo e enigmático fundo azul das telas gigantes de Miró.

Miró, Salvador Dali, Van Gogh, Monet, Manet, Picasso e todos os nomes de peso da arte que você possivelmente já ouviu falar estão pendurados nas infinitas paredes do Kunsthaus Zurich, o museu de arte mais bacana que já visitei 😉 E tem muito, muito mais nas muitas salas cuidadosamente decoradas e separadas por datas e motivos. Eu fiquei 3 horas perambulando por tudo que era época e tema e tive que sair correndo porque o museu já estava quase fechando. Acho que se tivesse ido de manhã teria ficado o dia todo 😉 Mas acessar a coletânea especial que pode te gerar inspiração para os próximos 10 anos de vida tem seu preço e ele é carinho. 27 francos por cabeça, para visitar o museu inteiro (e atualmente, 1 franco = 1 dólar, buaaaaaá!). 22 francos para quarta-feira e apenas a exibição especial de Miró era gratuita em um dia específico da semana. Mas posso falar? Valeu e muito o preço!

A loja de presentes do museu é de enloquecer: canecas, calendários e até as sombrinhas mais lindas do mundo com quadros estampados. Whaaaat? É, eu sei, queria todas para mim, só que quando vi que uma sombrinha era 78 francos, dei pra trás e acabei comprando apenas um cartão postal 🙁 O tenso da Suíça é o preço insano das coisas! Ah e o meu favorito no meio de tanta arte sensacional? A sala que tem várias obras do pintor Chagall que eu venero. Fiquei emocionada de sentar e ouvir o audio em inglês (ah, isso era gratuito) que contava um pouco de suas obras mais espetaculares penduradas na parede. O melhor? A sala estava vazia e eu era a única sentada no banco extasiada por tanta beleza que me rodeava 😉

Além do Kunsthaus, Zurich tem outros museus bacanérrimos como o Landesmuseum Zürich (Museu Nacional Suíço) e o Cabaret Voltaire (Centro Cultural Dadaísta). Visite pelo menos um deles e se perca no mundo que um dia existiu ou ainda existe na cabeça dos artistas. E se você também curte Chagall (e mesmo quem não curte ou não conhece), dedique uma visita, mesmo que rápida, a Fraumunster, ou Igreja das Mulheres. Lá você pode observar uma composição maravilhosa de 3 vitrais enormes desenhados por Chagall! Tá, assumo que lá eu comprei um quadro réplica de quase um metro que vou pendurar em casa (ainda nem imagino onde…).

E para os sortudos que podem conhecer Zurich no verão: se liga nos muitos festivais que rolam na cidade. Nós tivemos a sorte de pegar o final do Festival de Cinema de Zurich e um espaço super especial estava montado na beira do lago. O cenário era lindo e a atmosfera melhor ainda! 😉 Os preços, já sabe ne? Escolhe uma coisa pra fazer e nem perca tempo convertendo em reais para não deprimir, tá? Quem quiser dar uma espiadinha no site que tem todos os eventos em Zurich, clique aqui para ver a agenda, só na data que escrevo este post está rolando 118 programas tops na cidade! Uau!

Outro lugar que eu adorei na cidade foi o Zurich West. É a região industrial de Zurich mas os caras são tão avant gard modernossos aqui que criaram um cenário cultural que mistura moda, arquitetura, decoração, drinks e comida boa com contaneires e construções nada convencionais embaixo de um viaduto. Ah, e os grafites enormes espalhados para todo lado. (Para quem conhece Londres, Zurich West tem uma “pegada discreta” de Camdem Town no ar, só que com muito mais consciência social e ambiental…se é que me entendem). Aliás, não deixe de visitar o Viaduct, que é onde ficam várias lojas exóticas (tem uma inclusive dentro de um ônibus antigo) e alguns restaurantes e a Prime Tower, que me parece que é o prédio mais alto de Zurich e contrasta absurdamente com o resto do cenário, mas tem um bar/bistro no andar 35 que vale muito a vista 😉

Aff, é muito coisa legal para fazer! E por hoje é só! Estou amando a Suíça e aproveitando cada minuto em Zurich! Prometo que logo logo sairá um post com tudo que é imperdível na cidade e claro, sobre alguns outros lugares que eu visitei aqui na Suíça 😉 Bjs!

Lulu em Zurich

Um comentário sobre “A riqueza cultural de Zurich

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *