Turquia,  Viagens

Back to Brazil…once again!

Queridos, escrevi este post no aeroporto sexta passada! Mas como meu netbook foi comprado na Turquia, o teclado estava em turco e só conseguir editar hoje! Espero que gostem! E prometo fotos em breve!

Primeiro choque cultural depois de quase 1 mês na Turquia. Chego no Duty Free em Guarulhos porque precisava comprar uma encomenda e….. adivinhem? O dólar está valendo 2.09 reais! WHAAAAT?

Muita coisa começou a fazer sentido na minha cabeça. A raiva que eu passei na Turquia quando ia tirar dinheiro no banco, pois antes a sensação de fazer compras em Istambul era o maior sonho. Mellhor que na Grécia, que no UK, tudo super barato e a conversão super prática, já que 1 lira era igual a 1 real! A diferença é que agora 1 dólar de manhã em Istambul era 1.75 liras e o mesmo 1 dólar alguns horas depois é 2.1 no Free Shop no Brasil. Sensação paia de que até a Turquia que é menor do que Minas Gerais  está bombando mais do que a terrinha.

Quando eu saí de BH, há uns 20 e poucos dias, eu tinha muito trabalho em mente e te confesso que a missão foi cumprida. Bem ou mal, porque te falo que estou muito cansada, e só pude dar uma de turista no último dia. Cansaço e alívio sentido no corpo, plantada na sala vip da Amex em Guarulhos, lotada por sinal pois dia das mães estava chegando, percebo que estou cansada de viajar. As malas pesadíssimas de sempre, as correrias e os atrasos dos vôos, as perdas da bagagem, tudo já é rotina! Vou parar de reclamar, afinal creio que viagem nunca é tédio, é só o mal humor passageiro de mais de 12 horas de vôo da Turquia até aqui e 6 horas de diferença de fuso, mais as esperas em aeroporto, estava há mais de 24 horas sonambulando……

Enfim, vamos falar das piadas que são os figuras brasileiros pelo mundo. Como você sabe que é brasileiro? Eu só de bater o olho , saco na hora. AH, tem mais uma coisinha: nós somos um povinho super neurótico e paranóico! Não falo por mal, é fato, acompanha o raciocínio:

Estava eu, hoje super cedo no transfer saindo do hotel em Sultanamet. O transfer parou para pegar mais passageiros, logo vi que era um casal brasileiro, como? Brasileiros viajam  “confortáveis”! Tipo jeans, tênis sport tipo caminhada, agasalho grosso independete do tempo, afinal o clima pode mudar, mochilas horrorosas nas costas com água e biscoito. Como se estivessem preparados para a guerra e não para o aeroporto. Continuando a cena, o motorista atrasou um pouco porque alguns passageiros tinham comprado o bilhete para o aeroporto errado, e o turco gordinho tentava penosamente ajudar: “One minute. Telephone contact help….” e dae vai! Os brasileiros se estressam: “Assim vamos chegar atrasados, não é possível!” E  isso é as 7 da manhã e o vôo é as 11!! Brasileiros on board, depois de muito blablabla o turco decide dirigir mais uns quarteirões e pára o microbus e manda todo mundo para outra outra van que veio lotada com 4 sentados na frente, (ao lado do motorista!) e mala em cima de colo de passageiro. Música turca tocando no talo, fomos em direção à Ataturk Airport: eu dando risada,  os brasucas estressando!

No aeroporto, fácil de identificar também. Param no check in e abram a pastinha. Afinal brasileiro que se preza viaja com 150 docs diferentes já que é melhor prevenir e nunca sabemos quando vamos ser barrados simplesmente por ser desta parte do mundo. Na dúvida, é melhor carregarem carta, certificado de tudo, conta bancária e por aí vai…..Vamos que vamos, check in feito, todos felizes vão para o salão de embarque.

Típico vôo que sai do Brasil, na hora que anuncia que o embarque vai começar todo mundo levanta correndo como se tivesse que garantir lugar (hello)! E formam aquela fila imensa enquanto que os gringos e os mais relaxados esperam ate o último minuto para entrar na nave. Dentro do avião, as peripécias continuam: eles sentam, depois levantam para tirar agasalho, aí sentam de novo, ainda levantam para pedir uma aguinha e tomar remédio, sentam de novo, mas como estão ansiosos é capaz que peguem o agasalho mais um vez antes do avião decolar.

Decolou e as piadas continuam: flashes de fotos volta e meia me asustam e também tem toda alegria de ver as telinhas e todas as opções de entretenimento funcionando! Hahahaha! Para não falar que eu estou sendo sacana, finalizo com a descrição de um amigo meu francês: “odeio viajar perto de brasileiros, eles me estressam. Ficam apavorados com turbulência, começam a rezar, dão gritinho se o avião balança e quando o avião pousa você batem palma!”.  E nao  que é verdade!

Que fique claro que eu ainda tenho ou já tive todos estes hábitos paranóicos da terrinha. Foi a convivência com os gringos e a frequência de viagens e eu simplesmente relaxei. Já perdi mala, já arrebentaram a mala quando ela veio, já perdi vôo, já peguei tufão a bordo,  já fiquei sobrevoando Guarulhos mais de hora pois o Presidente Bush fez o aeroporto parar, já dormi no chão de sala de embarque  inúmeras vezes  e te falo que praticamente nada mais me surpreende. E concluí também, com a experiência, que pensar demais no que pode acontecer de ruim pode atrair as coisas maleditas!

Esteja prevenido e pense positivo. Olho para o lado e vejo mil brasucas lotados de sacolas do Duty Free, olho para o meu 1 uísque e quase amaldiçoou quem me pediu para comprar. Quando se viaja muito, free shop fica igual a banca de jornal. Mas ae eu lembro que brasuca acha que é muita vantagem comprar em Duty Free, que a gente mora num país onde tudo é muito caro e absurdo e que nós somos esses personagens hilários porque crescemos e nos viramos  no medo e na ameaça emitente de que as coisas vão dar errado.Porque no Brasil tudo é mais dificil e mais penoso e ninguém quer perder o pouquinho que tem!  Pronto, falei! Dae a paranóica e neurose que tanto causam estranheza nos gringos disneylandia. /Anyway, is good to be back/ There is no place like home.

Ei gente, aqui é a Lulu. Sou de família grega e italiana e morei em Santorini. Em 2014, tive o prazer de me casar na ilha de Santorini, lugar mais lindo do mundo! Moro em Amsterdam e viajo todo verão para a Grécia, para realizar o sonho de quem quer casar em Santorini. Pergunte que quiser. 😉

2 Comments

  • Tetererê

    Bem vinda de volta, Lu!
    Best post so far!
    Ri muito e me identifiquei muito com os hábitos (pastinhaaaa de documentos!! hahahaha sou eu!!) e com as observações que eu faço também!
    Depois quero ler – e ouvir! – mais casos…
    Beijos!

    • Loja Cents

      Fala Tete-terere! Saudades, menina! Achei que o post tava gigante, mas escrevi na maior onda espontânea em GRU, então resolvi postar, por ser tão genuíno!
      Tenho muitos posts dessa viagem para lançar e as fotos tb!! Vem me ver neeeee, te espero na Cents!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *