Viagem de barco pelas ilhas gregas – o que ninguém te conta!

Viagem de barco pelas ilhas gregas: love it or hate it? (os dois!)

Eu acabei de voltar de mais uma viagem pelas ilhas gregas (Paros – Santorini) DE BARCO, é claro, meu jeito favorito de viajar pela Grécia. Mas posso falar, toda vez que chego em casa (na casa de Santorini:) ), penso a mesma coisa: eu sou meio maluca 😉 viajar de barco, no verão, aqui na Grécia é uma p*** saga!!

Me explico: é muito cheio, mas muuuuito cheio, ainda mais se você escolher fazer a rota badalada que inclui Santorini…ou Mykonos….ou Milos….ou Zakynthos…ou Rhodes! Ou Creta!! Mas, tenho que confessar, a viagem também é maravilhosa! É uma oportunidade única de ver todas as cores do mediterrâneo, de ver direto do deque o sol nascendo ou se pondo, de sentir o vento no rosto naquela imensidão azul……Ah….. Assim como tudo na Grécia, a viagem de barco pelas ilhas gregas é metade paraíso, metade inferno 🙂

Então, antes de sair pensando que quer ignorar todas as rotas marítimas gregas, lembre-se de que os aeroportos não são tão exuberantes assim 🙂 pois é, senta e lê o post até o final que vou te contar porque continuo viajando de barco 🙂 e tem mais de 10 verões que venho para as ilhas gregas!

A forma mais óbvia e fácil de viajar pelas ilhas gregas é de barco.

Mas você só vai perceber isso se pesquisar as rotas de barco antes de definir os destinos. E não o contrário, mas isso nunca ninguém te falou, ne? Pois é!!!!! Não adianta querer fazer as famosinhas da vez Zakynthos, Milos e Creta numa paulada só! Não tem tantos barcos conectando e os voos vão te levar sempre até Atenas antes de chegar na ilha destino. Uma mega perda de tempo, a não ser que voce tenha muitos dias de viagem pela frente.

E como conseguir aproveitar o tempo da melhor maneira se a viagem de barco é tão longa?

Pensa comigo:

Primeiro, você vai chegar em Atenas. Se tem apenas 2 a 3 dias, o mais interessante a fazer é visitar as ilhas gregas lindas e próximas de Atenas: Poros, Eigina, Hydra 🙂 Amo todas! Cada uma tem seu charme e importância histórica!

Mas elas não são tão famosas…?

Mais um motivo!! Os melhores segredos ainda estão guardados e só os viajantes gregos desfrutam desses pequenos paraísos 🙂 Conheço as três ilhas e super recomendo para quem tem pouco tempo na Grécia. O cruzeiro de um dia que passa pelas três também é uma ideia para quem tem menos tempo ainda.

Tá, mas eu quero conhecer Santorini e Mykonos!!!

Ok! Nada mais justo, todo mundo sempre fala de Santorini e Mykonos 🙂 Bora lá! Mas o que você precisa saber antes de mais nada é a realidade: se você tem apenas 2 a 3 dias, escolhe uma das duas ilhas gregas. Eu prefiro Santorini (precisa falar?) mas Mykonos é perfeita se você quer praias brancas e festa. Santorini é sensacional se você é romântico ou curte um vulcão 🙂 e para os loooooucos, os artistas, os sonhadoressss (me encaixo em todas as categorias anteriores e você?).

Assim que escolheu uma das duas ilhas gregas famosas (Santorini ou Mykonos), aí é só comprar seu ticket para a viagem de barco saindo de Atenas. Existem vários preços, vários barcos e se quer saber minha sugestão, eu sempre viajo de Blue Star e pego cadeira numerada (air seats). A viagem é mais longa de ferry do que de barco rápido, mas é que se ventar demais o barco rápido pode chacoalhar ou nem sair do porto. Os ferries seguem pelos mares enfrentando Poseidon a torto e a direito!

Piadas a parte, a viagem é super segura e a Grécia leva muito a sério este lance do clima. Se o barco vai sair, é porque está seguro, ok? E os ferries quase não balançam, não dá medo, nem enjoo 🙂 Mas é claro que se tiver muito vento, vale a pena ter um dramim no bolso.

Tá, mas eu quero conhecer AS DUAS ILHAS GREGAS FAMOSAS: Santorini e Mykonos!!!

Se esta é a sua vontade, dedique uma semana para conhecer Santorini e Mykonos. Vá primeiro de Atenas para Santorini – fique 4 dias por lá – e depois de Santorini para Mykonos – e fique 3 dias lá 😉

Pode ser que você leu em algum lugar que  2 dias em Santorini é suficiente. Você quer só tirar meia dúzia de fotos ou quer conhecer a ilha de Santorini? Eu venho pra cá tem 10 anos e já morei aqui e até hoje não conheço todas as atrações que a ilha tem! Se alguém acha que 4 dias é muito, aff, aqui vai minha sugestão de roteiro:

dia 1: chegada na ilha + passeio em Fira a tarde, drink para ver o pôr do sol, jantar na caldeira e balada até o amanhecer

dia 2: passeio de barco para o vulcão, termas e Thirassia (VALE MUITO MUITO A PENA! me diga, quando que você vai caminhar em cima de um vulcão?) ou ainda o passeio de veleiro com festa em alto mar 😉

dia 3: Visita à região de Akrotiri, sítio arqueológico + praia vermelha + almoço na praia branca + tarde em Oia com o pôr do sol mais famoso do mundo e jantar sensacional na baía de Amoudi! 🙂

dia 4: Caminhada pelo Skaros, ou para Fira antiga, ou pelas vilas tradicionais, festa em beach bars em Perissa e Perivolos, degustação no pôr do sol nas vinícolas, jantar no Pyrgos….

TEM MAIS 🙂 Muito mais! Mas acho que vocês já entenderam! Se precisar de mais info sobre Santorini, me manda um email luana.sarantopoulos@gmail.com 🙂 Respondo com alegria!

Viagem de barco pelas ilhas gregas: “as outras ilhas”!

Chega de falar de Mykonos e Santorini. Tem muita ilha grega maravilhosa por aí pra gente explorar!! Comida boa, ilhas tradicionais, riqueza história, hospitalidade grega, tem pra todo lado na Grécia!

Então qual a melhor maneira de viajar de barco pelas ilhas gregas?

ESCOLHER UM GRUPO DE ILHAS e focar nos pontos fortes de cada uma.

Eu sei que não tem tanto material de qualidade sobre as ilhas gregas por aí (não em português, 🙁 ) mas quem pesquisar em inglês vai achar muita coisa legal. Posso comentar apenas sobre as viagens que fiz, minha opinião, ok? Então,sobre a minha experiência o que aprendi foi o seguinte:

  • Vale a pena focar nas Cíclades, se você curte o visual clássico da ilha grega branca com o mar azul (Paros, Naxos, Milos, Ios, Folegandros e por aí vai). Também é uma ótima ideia quando você quer conhecer Santorini ou Mykonos e algo mais…..Ios está tão próxima…… apenas uma hora de Santorini, Folegandros está a pouco mais do que isso 🙂 ;
  • Vale a pena ficar um bom tempo explorando uma única ilha, como Creta (10 dias, 1 mês, 1 vida)- e vale a pena ir de avião direto para Chaniá que tem um bom aeroporto e te deixa perto das belezas naturais absurdas da ilha de Creta;
  • Vale a pena escolher explorar o outro lado da Grécia, as ilhas jônicas, que estão próximas da costa Itália. Se você não está obcecado por tirar um foto da praia do “Navaggio”, em Zakynthos, fique ligado que a ilha de Kefaloniá e a grande ilha de Corfu (também conhecida como Kerkyra) são tão ou mais maravilhosas do que Zakynthos, e têm mais opções com preços melhores. Mas Zakynthos também é linda e é muito mais do que só uma praia, ok? ;
  • Vale a pena sair da rota óbvia e dar um pulo na “distante” e estonteante ilha de Karpathos (voo de menos de 2 horas de Atenas kkkk mas os gregos acham longe porque ela tá longe no mapa kkkkk) . Lá você vai ver um paraíso com cores de caribe e clima de ilha grega 🙂 Os nativos de Karpathos são sensacionais e essa ilha é um verdadeiro diamante grego bruto.

Ainda tem muita ilha linda, gente, mas vou parando por aqui…:)

Para finalizar, quero que você imagine da maneira mais vívida e intensa o cenário que vou descrever abaixo. Não consigo postar uma simples fotografia para ilustrar o que é viajar de barco pelas ilhas gregas, então é assim que começa….:)

Você entra na agencia de viagens para comprar uma passagem para alguma ilha. Você compra, foi fácil e até bem baratinho! Você já sabe que a viagem é longa, mas ok, é só carregar o Iphone e bora lá 😉 Você relaxa. Aí a coisa começa a se enrolar. Você deixa para contratar o transfer em cima da hora porque ninguém te avisou que não é tão fácil achar um táxi em 2 minutos no meio do verão grego. O motorista te pega agitado e o carro sai voando pelas ruas da ilha. Ao chegar no porto que está entupido de pessoas, cargas, carros e caminhões para todos os lados, você sente que o calor está infernal. Você não sabe o que fazer, mas o motorista grita que você tem que descer e aí começa a saga de arrastar a mala até descobrir qual é o seu barco (você não imaginava que tinha vários barcos). Quando o seu barco aponta, a multidão se agita e os chineses saem atropelando todas as pessoas, acho que eles não enxergam bem com o calor das ilhas gregas. Os gregos, em sua maioria, não entendem o conceito de FILA ou fingem que são chineses (haha! não resisti – mas não quero ofender ninguém – sorry!) e também te acotovelam e você decide que vai ter que ser bruto e rápido para subir no barco. Ufa, entrou no ferry gigante e está quase sem forças para arrastar a mala adiante, mas não sabe onde colocá-la. O jeito é subir todas as escadas para descobrir que deveria ter deixado a mala logo na entrada do barco. Não tem mais como voltar por causa da multidão que só segue um fluxo e você tem que achar um assento de qualquer maneira, porque aquele ticket baratinho que voce comprou é da cadeira não numerada, ou seja, qualquer local é seu. Ou melhor, nenhum assento é seu. Aí você vê todas aquelas pessoas que sentaram em uma cadeira, botaram o pé em outra e a bolsa em uma terceira. Você pede para usar a cadeira, a pessoa fala que está ocupada. Você tenta ainda dar algumas voltas pelo barco e inveja as pessoas que tem cadeira numerada ou assentos em primeira classe. Ai você aceita a sua realidade e vai caminhando para a parte de fora do navio. Seguindo o cheiro da comida, sente algum alívio quando passa pelos restaurantes movimentados e sai pela porta do limbo.

Encontra o mar azul, enxerga a caldeira de Santorini se despedindo aos poucos, com as casinhas brancas e as rochas negras…..o vulcão, nossa majestade também está presente.

A porta do paraíso se abre.

Aí sim, a viagem de barco pelas ilhas gregas começa.

Um videozinho antigo de uma das minhas chegadas em Santorini – para descontrair! No meu canal do Youtube tem muita coisa legal sobre as ilhas gregas – corre lá! Mil beijos!!!

Casamentos em Santorini 2017!

Queridos leitores,

Neste momento estou na ilha de Santorini, meu lugar favorito no mundo para mais uma temporada de Casamentos em Santorini!

Eu e a equipe do Casamento em Santorini organizamos para este ano casamentos lindos recheados de amor. Muitas noivas lindas, muitos passeios legais e claro, imagens de cair o queixo!

Casamento em Santorini
La Maltese Imerovigli – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
Casamento Camila e Andrey – La Maltese Imerovigli – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
La Maltese Imerovigli – Casamento em Santorini
Andromeda – Casamento em Santorini
casamento_em_santorini (27)
Paula – Santa Irene – Casamento em Santorini
casamento_em_santorini (6)
Beach Party – Theros Wave Bar – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
Makinf off Casamento Beth&Giorgio – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
Entrada do noivo – Casamento Beth&Giorgio – Igreja Anastasis – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
Beth…seu pai e seu irmão – Igreja Anastasis – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
Beth&Giorgio – Igreja Anastasis – Casamento em Santorini

Acompanhe sempre pelo insta @luana_sarantopoulos, pelo face /lulunopaisdasmaravilhas e se tiver mais interessada em casamentos nessa ilha maravilhosa, dê uma olhadinha no @casamentoemsantorini  e face /casamentoemsantorini

Esses dias serão super corridos, mas iremos postar com calma o melhor conteúdo para vocês!

Por enquanto, acompanhem por lá!!!

Beijos!!!!!

Você sabe o que é Elopement e Destination Wedding?

Casamento em Santorini – foto cedida por Divine Wedding

Olá minhas noivinhas e leitores!

O post de hoje é para esclarecer duas expressões que temos ouvido bastante no mundo Wedding. É para as noivinhas que ainda não planejaram nada do seu casamento.

Já ouviram falar dessa hashtag: #elopementwedding – circulando pela web e as redes sociais? Se a resposta é não…Bom, vamos lá! Elopement Wedding é uma expressão dada para os noivos que optaram por um casamento íntimo. Os únicos presentes serão o noivo e a noiva. Rara as vezes, podem ter presença dos pais ou apenas amigos muito próximos do casal.

A ideia inicial é que seja realizado apenas entre os noivos, um celebrante (padre, pastor, juiz de paz, amigo, parente, etc) e um fotógrafo para registrar o momento.

A expressão Elopement Wedding veio da palavra em inglês “elope” que significa “fugir”.

Mas caaaaalma, meninas…não é fugir de casa, do mapa, com um amor de carnaval. Aqui o significado é fugir das complicações e digamos, certas normas e regras que nossa sociedade colocou em uma cerimônia de casamento.

Acredito que toda pessoa já deve ter conhecido uma noiva que já pirou em alguma parte da organização do seu casamento, seja na cerimônia ou na recepção. Uma lista infinita de fornecedores, pensar nas lembrancinhas, cores da decoração, pesquisas de preços e de locais para o evento. Tem ainda a briga eterna entre a família na hora de fazer a lista de convidados, e muuuito dinheiro envolvido em apenas uma hora de cerimônia e geralmente 6 horas de festa…

Talvez, depois disso, os noivos precisam de um descanso de toda essa bagunça e acabam não sobrando grana nem pra lua de mel.

 

Casamento em Santorini – foto cedida por Divine Wedding

Com todos esses “pepinos” dentro de um planejamento de um casamento, muitos casais optam por esse tipo de cerimônia. Resolvem fazer de sua união uma festa apenas para os dois. Parece ser algo muito complexo para a cabeça de muitos. Viemos de uma tradição que o casamento é uma festa mais para família e amigos do que para os próprios noivos. Mas esse novo segmento vem crescendo – e MUITO – no setor de casamentos do nosso país. E diferentemente dos chamados Mini Weddings que podem ter até 100 convidados, o Elopement não passa de 10 pessoas.

Além do gasto ser bem menor que um casamento tradicional, o Elopement Wedding pode se unir ao Destination Wedding.

Calma, vou explicar rsrs…mais uma expressão louca mas também forte nesse meio. O Destination nada mais é do que casar fora do seu local de origem. Por exemplo, se você é de São Paulo e casa na Bahia, ou como nossas noivas que são brasileiras e casam-se na Grécia. Sacaram?!

Elopement e Destination Wedding - Casamento em Santorini
Elopement e Destination Wedding – Casamento em Santorini

Agora que apresentei essas duas expressões, imagina essas duas unidas?

Com certeza podem se tornar uma das maiores e mais incríveis experiências de um casal. E é isso que nós da equipe de Casamento em Santorini trabalhamos com força total! Mas é bom lembrar: muitos casais nos procuram para um casamento íntimo – ou elopement – e já emendam uma super lua de mel pelas ilhas gregas. Também atendemos casais que sonham e tem disposição pra transformar um mega evento de casamento como no Brasil só que lá em Santorini, na Grécia. Claro que o envolvimento financeiro é diferente, mas a experiência para noivos e convidados ficam marcados na memória. É algo fora do comum casar numa ilha paradisíaca!

Os Elopement Wedding e Destination Wedding parecem até uma história de amor de romances literários. Como se fosse um casal de adolescentes fugindo por causa de um amor proibido…kkk bem utópica. Mas a verdade é que vem dando muito certo e já temos dezenas de casais fechados para casamentos em Santorini até em 2019. O que significa que “consideramos justas toda a forma de amor” e de cerimônias!

E se você se interessou por esse tipo de casamento, que além de lindo e romântico, você e seu noivo já emendam aquela lua de mel dos sonhos na Grécia, entre em contato pelo nosso email: casamentoemsantorini@gmail.com

Continue navegando pelo meu blog e veja mais do meu conteúdo espalhado pelas redes sociais como Facebook, Instagram e Pinterest.

Mil beijos!

Karpathos: o paraíso grego fora da rota tradicional

Hoje é dia de post sobre a fascinante e paradísiaca ilha grega de Karpathos!

Karpathos….ah? Oi? Que ilha grega que é essa? E onde que ela fica, Lulu?

Veja as dicas completas neste post aqui!

 Karpathos é o paraíso grego fora da rota tradicional das ilhas gregas famosas!

E apesar de amarmos o combo Mykonos e Santorini, também amamos conhecer ilhas novas com estrutura boa, turismo para todo tipo de viajante, atmosfera relaxante e ainda visual de tirar o fôlego.

dicas-de-karpathos-grecia

Férias é pra relaxar, né gente? E nada melhor do que dar “um pulo” até as ilhas gregas para aproveitar dias de sol no mar mediterrâneo. Mas às vezes as ilhas gregas mais famosas ficam muito muito mas muuuuuito cheias na alta temporada – ou seja – é fila para todo lado, engarrafamento e por aí vai (imagina Búzios no reveillon…só que mais cheio).

Então, pedi para um grande amigo nativo da ilha de Karpathos (esse paraíso escondido nas ilhas gregas do Dodecaneso) para dar algumas dicas para os viajantes que querem conhecer a ilha grega de Karpathos! Bora lá?

O texto abaixo é de Antonis Karanikolas e as fotos abaixo são do Instagram dele! Inspiração e carisma total!! Aproveite para dar uma espiada e começar a seguir o perfil dele, só foto bacana! 😉

Uma das primeiras coisas que alguém tem que decidir, depois de selecionar o destino para passar suas férias, é a época do ano, estação ou mês que pretende viajar. Se o tempo vai ser quente, frio, se o local será lotado ou não, se será mais econômico para ficar sobre esse período e muitos outros parâmetros são importantes na hora de planejar.

Karpathos ilhas gregas (2)

Uma vez que alguém escolhe Karpathos, você vai começar a ler em vários sites muitos comentários e sugestões, pois a ilha é um ótimo destino durante todo o verão.

 Karpathos é perfeito de meados de abril a meados de outubro!

P.S: o verão na Europa, especialmente no Mediterrâneo, dura de meados de abril a meados de outubro. E  é claro que, como nas ilhas gregas mais famosas, Karpathos também fica  cheio em julho e agosto, mas isso não significa que os serviços ficam muito mais caros.

Karpathos ilhas gregas (3)

 Karpathos é uma das maiores ilhas gregas, ou seja, os turistas ficam espalhados e a ilha não fica tão lotada!

O ponto positivo é que, devido ao grande tamanho da ilha (9 º maior na Grécia),  mesmo nos meses da alta temporada (e milhares de turistas), Karpathos não parece tão lotado, pois os turistas estão espalhados em toda a ilha. A maioria dos viajantes ficam na capital da ilha, também chamada de Karpathos (embora os habitantes locais chamem Pigadia), mas há outros lugares, como Ammoopi, Arkasa, Lefkos, aldeia de Olympos e vila de Diafani, também são lugares onde os turistas ficam durante suas férias.

Assim como existem segredos para cada lugar, há alguns segredos para Karpathos também. Se você perguntar a maioria dos moradores locais qual é o melhor momento para alguém visitar a ilha, você provavelmente não vai ouvir o que você espera (julho e agosto).

Karpathos ilhas gregas (3)

Então leia os segredos de Karpathos para descobrir qual a melhor época para visitar a ilha!

Eu prefiro Karpathos em Junho e Setembro e existem várias razões para minha opinião. Vamos enumerá-las:

  1. Os profissionais e empresários (proprietários de restaurantes, bares etc) dirão que podem oferecer melhores serviços nos meses fora da chamada ” alta temporada ”, como junho e setembro, porque o turismo durante esses meses não são tão intensos . Então, eles têm mais tempo para atendê-lo melhor e não são esgotados pela fadiga (só para esclarecer, a “alta temporada” é Julho e Agosto)
  2. Como mencionado anteriormente, um parâmetro muito importante para escolher o tempo que você vai fazer uma viagem é o clima. Karpathos é o quarto lugar da Grécia com a maior média anual de ventos com maior intensidade. De fato, muitas vezes as corridas de windsurf ocorrem aqui devido a ventos fortes e pelas longas praias disponíveis. Os nativos vão dizer (e não há nenhuma resposta garantida sobre o vento) que os melhores meses para visitar é junho e setembro, talvez setembro está ganhando com alguns votos a mais.
  3. A ilha é conhecida por suas tradições puras. Não se esqueça que, mesmo hoje em dia, há Olympos, uma aldeia muito tradicional, onde as mulheres vestem até hoje seus trajes tradicionais. Então, se você tiver sorte o suficiente para estar em um festival em junho ou setembro, ele será todo seu! A verdade é que o maior festival da ilha acontece em 15 de agosto e comemorado em algumas aldeias (como em Olympos também), mas você não pode desfrutar muito por causa da multidão. Karpathos ilhas gregas
  4. Você nunca terá que esperar em filas. Sim, no verão na Grécia você vai ter que esperar na fila no caixa eletrônico, no banco, talvez em um restaurante para comer … Não se preocupe com isso, é por isso que estamos aqui para, para ajudá-lo. Durante junho ou setembro, você provavelmente não terá que esperar em filas.
  5. Nos últimos anos, muitos de nós estão lidando com a fotografia. Amadores, com sua câmera, ou o smartphone, nós nos tornamos uma espécie de fotógrafos. Mais uma vez, não tenho certeza de que em julho e agosto você será capaz de tomar o que quiser, como você quer … As praias estão lotadas, as ruas estreitas ou caminhos nas aldeias terá sempre outras pessoas também e onde você parar. Para apreciar a vista, você estará provavelmente com alguma outra pessoa …
  6. As praias! As praias da ilha e a aldeia Olympos, são os locais mais atraentes e importantes. Embora Karpathos tenha mais de 80 praias acessíveis, com tristeza temos de informá-lo que em julho e agosto, você não vai encontrar mesmo um que não tem sequer alguns turistas. Muitas vezes, eles são despertar das 07 para alugar uma espreguiçadeira na praia. Isto significa que você não será capaz de conseguir uma cadeira, mas vai ter que se sentar na areia. Isso é permitido na Grécia, mas às vezes é um pouco cansativo. Portanto, se você imaginar que uma praia será sua (ok, quase sua), se você quiser as manhãs durante as suas férias para acordar um pouco mais tarde, então você deve pensar novamente se a vir para a ilha em julho ou agosto. Karpathos ilhas gregas (1)
  7. Outra questão importante é a disponibilidade. Quer se trate de alojamento (hotéis, quartos, etc) ou carros para alugar (nem sequer falar sobre valores, mas apenas para a disponibilidade) na altíssima temporada é mais complicado. Como escrevemos acima, a ilha é grande o suficiente para alugar um carro (se você é turista independente)e provavelmente em junho ou setembro você vai encontrar mais opções para alugar alojamento, para aluguer de automóveis. Já em julho e agosto você realmente não pode encontrar de tudo, e também será difícil com qualquer coisa que precise de reserva antecipada.
  1. Finalmente, a questão financeira é sempre um fator importante para determinar a duração final do nosso feriado. Na medida em que a altíssima temporada para visitar a ilha é julho e agosto, isso significa que os hotéis vão custar cerca de 20% mais barato em outras épocas. A verdade é que nos últimos anos, mais e mais visitantes sabem sobre os aspectos positivos de setembro, especialmente os turistas que vêm várias vezes e visitaram Karpathos no passado. Assim, os preços em setembro vem subindo, mas você ainda obtém todos outros benefícios!

Então imagine que você está em uma ilha com dezenas de praias que você pode mergulhar nas águas cristalinas azuis e é quase interiamente sua (junho – setembro). Onde a água é completamente tranquilo, absolutamente sem vento (setembro) e, em seguida, vá confortavelmente comer sua refeição tradicional grega na taverna mais próxima. As cores no céu serão mais doces eo pôr do sol mágico (setembro). Você pode encontrar moradores locais e tirar fotos das senhoras de idade em trajes tradicionais (junho – setembro).

Se você gostou dos comentários, pense bem! Talvez os meses mais adequados para você são junho e setembro!

Karpathos ilhas gregas (3)

Gostaram do post?? Eu amei as dicas que o Antonis compartilhou com a gente!! Bora para Karpathos??

O primeiro Casamento em Santorini de 2017 (no inverno!)

Olá queridas noivinhas e queridos leitores!

Hoje vou falar do primeiro Casamento em Santorini de 2017!

 Em janeiro de 2017 eu fui para a Grécia para uma missão super especial: acompanhar o primeiro Casamento em Santorini de 2017: o casamento da Fernanda e do Marcelo! E olha só, este casal super especial escolheu casar no começo do mês de fevereiro 🙂 então foi um casamento em Santorini, no inverno, acreditam? (quer saber mais sobre Casamento em Santorini? Clique aqui!)

casamento em Santorini (6)
A gente passeando pela Praia Vermelha, em Santorini! Fernanda e Marcelo, Casamento em Santorini – Foto de Ben Rigas

Mas peraí, Lulu, dá pra fazer Casamento em Santorini no inverno?

Em situações normais, não. Nós batalhamos bastante para convencer nossos parceiros na ilha de Santorini pois aquela época do ano era a única possível para o casal e sua família e claro, contamos com o apoio sempre impecável da nossa parceira Divine Weddings. Aí gente, com muita determinação da família, dos noivos, e dos nossos parceiros, tudo deu super certo. E foi um Casamento em Santorini daqueles mega emocionantes 😉

casamento em Santorini (8)
Fernanda e Marcelo, Casamento em Santorini – Foto de Ben Rigas

Vou compartilhar com vocês algumas fotos e relatos dos bastidores (ou seja, do meu celular kkkk) deste casamento em Santorini, afinal estamos aguardando ansiosamente as fotos e os vídeos oficiais da equipe do Ben Rigas, do Wedding Stories. E só para vocês terem uma noção do que vem por aí….olha esse teaser animal e mega emocionante feito com o drone!

Nem o frio, nem o vento, nem as dificuldades do caminho….(que não foram poucas) NADA, absolutamente NADA é tão forte quanto o amor em Santorini! Deus no comando, sorriso no rosto, fé no destino e alegria na jornada – foi assim que começou a temporada de casamento em Santorini de 2017!

Eu só tenho que agradecer: primeiramente a Deus, por me acompanhar até aqui (no meio do inverno mais rigoroso dos últimos 100 anos), agradeço aos nossos amigos profissionais de Santorini, que fazem tudo para ver uma noiva feliz, a essa família corajosa da Fernanda e do Marcelo, carismática e determinada, que não deixou a peteca cair, nem por um minuto! Obrigada!!!!!!! Efharisto para poli, Santorini!!!

E hoje vamos ver algumas fotos do “backstage”, por trás do sonho que foi a união desse belíssimo casal! Foi um prazer organizar o momento mais importante da vida deles e de seus parentes queridos!

casamento em Santorini (91)
Olha eu aí! 😉 Fernanda e Marcelo, Casamento em Santorini – Foto de Ben Rigas
casamento em Santorini (62)
Selfie as 7 da manhã 🙂 Fernanda e Marcelo, Casamento em Santorini – Foto de Ben Rigas

casamento em Santorini inverno 3

Apesar do frio e do vento em Santorini, tivemos muita alegria e boas risadas com essa turma super contagiante. Confira abaixo algumas fotos oficias do ensaio externo e do making of, com o super fotógrafo de casamento em Santorini, Ben Rigas (vem muito mais por aí!):

casamento em Santorini inverno 3
Muito amor!Fernanda e Marcelo, Casamento em Santorini – Foto de Ben Rigas
casamento em Santorini inverno 3
Fernanda e Marcelo, Casamento em Santorini – Foto de Ben Rigas
casamento em Santorini inverno 3
O noivo e o best man 🙂 Fernanda e Marcelo, Casamento em Santorini – Foto de Ben Rigas
casamento em Santorini inverno 3
A noiva e a mãe – lindas!! 🙂 Fernanda e Marcelo, Casamento em Santorini – Foto de Ben Rigas

E depois de toda essa linda jornada do casal Fernanda e Marcelo em Santorini, foi um grande prazer e realização receber um depoimento do pai da Fernanda, o Cyro:

Querida Luana Sarantopoulos Bergamaschi boa noite! Somente agora pude parar um pouco para escrever-lhe. Como pai da noiva mais linda de Santorini, preciso deixar aqui meu agradecimento pelo excelente trabalho que você realizou. Trabalhamos juntos por exatos 365 dias, quando assinei um contrato de consultoria e assessoria com você. Seu apoio na organização do casamento garantiu tranquilidade, confiança e perfeição na execução do sonho da nossa família. Você e sua equipe nos acompanharam durante toda a nossa jornada com tanto carinho que conseguimos superar todos os desafios que surgiram. Sua ajuda, conselhos e orientações fizeram toda a diferença. Obrigado por nos ajudar a conhecer os encantos de Atenas e Santorini pelas suas lentes singulares. Queremos aqui destacar trabalho excepcional e impecável de seus parceiros Maria Lucia Sarantopoulos Bergamaschi , Joy Iliacopoulos, Ben Rigas, Tzoum Taratatzoum, Frank Kotsos e Fotini Gkiniou. Amamos vocês!!!

Ainda temos muuuuitas fotos lindas da cerimônia e do ensaio externo para mostrar à vocês, porque babaos nolhar do fotografo Ben Rigas. Mas o post de hoje, além de mostrar um pouco do que foi esse casamento de inverno por trás das lentes, também é para agradecer mais uma vez pela confiança do casal Fernanda e Marcelo e toda a família e colaboradores para que esse sonho fosse realizado!

Gente, nem só de verão vive Santorini né?! Nossa bela ilha grega sabe ser linda e surpreendente até em baixas temperaturas! Quer saber mais sobre Casamento em Santorini? Clique aqui! Ou mande um email para casamentoemsantorini@gmail.com 🙂 

Mil beijos!

10 passeios imperdíveis para fazer na Patagônia!

Queridos amigos!

Este ano tem sido uma jornada e tanto para mim 🙂 Muitas viagens e muito trabalho (amém!), e pouco tempo em terra firme para colocar a vida em dia. Acabo de voltar de viagem da Argentina e tenho dicas de passeios imperdíveis para fazer na Patagônia. Não importa se você é do tipo que curte  disposição e aventura ou se você é do tipo vi-tirei foto-comi bem-tô feliz 🙂 Existem várias opções de passeios na Patagônia para todos os tipos de viajantes!

o-que-fazer-na-Patagonia-(19)

O que você precisa saber sobre a Patagônia

Abaixo farei a lista dos 10 passeios mais legais que a gente fez em 12 dias de viagem pela Patagônia Argentina (então se você quer ir direto ao  ponto, vá direto para a lista embaixo do título “10 passeios……”). Mas antes de mais nada quero dizer que a gente viaja bastante, durante o ano, para vários lugares diferentes, mas que procuramos a Patagônia porque queríamos unir natureza com conforto.

No ano passado, conhecemos a Islândia e foi uma das viagens mais lindas da minha vida (para ver a série de posts acesse aqui), então a gente queria ir para outro destino inóspito e gelado, no estilo “pouca gente e muita natureza”. Como a gente mora com mais umas 20 milhões de pessoas em São Paulo, curtimos férias em lugares vazios 😉 E a Patagônia foi o destino ideial, porque além de uma ou outra “cidadezinha base”, só se vê a natureza exuberante (às vezes deserto, às vezes gelo e às vezes bosque) ocupando cada metro dessa região do mundo.

o-que-fazer-na-Patagonia-(67)

Importante: a tentação de querer conhecer vários locais (fazer a Patagônia Argentina e a Chilena, fazer a Patagônia Atlântica e a Andina, alugar um carro ou uma moto ou uma bike por um mês e conhecer cada cantinho da Patagônia) É ENORME. Mas na prática, se você tem poucos dias (a gente tinha doze dias) não ouse fazer tanta coisa, pois as distâncias são enormes e o clima é muito instável, ou seja, planos vão por água abaixo a todo instante. É bom ter pelo menos três dias em cada lugar para poder aproveitar os passeios mais interessantes da região.

Mais importante ainda: fomos no verão, em fevereiro, e mesmo assim é frio pacas. Mesmo quando as temperaturas sobem, tipo 10 graus, o vento gelado faz a sensação térmica cair para zero ou menos ainda. Leve muita roupa de frio, casacos impermáveis e botas de caminhada,

Como escolher onde ficar na Patagônia?

Nós queríamos, basicamente, fazer alguns passeios diferentes mas sem perder horas em vôos ou estradas. Então escolhemos dois pontos principais e fizemos a nossa programação ao redor deles. As cidades escolhidas foram: Ushuaia e El Calafate.

Ushuaia – a cidade que fica mais ao sul do mundo (Fin del Mundo)

É do Ushuaia que saem todos os navios, cruzeiros e expedições rumo à Antártida! Nós nos empolgamos demais com a ideia e tentamos pegar um “last minute deal”, já que é oferecida alguma promoção para estes cruzeiros em cada esquina de Ushuaia. Só que os preços começam a partir de 6 mil dolários por pessoas (ai!) e o cruzeiro de menor duração dura 10 dias… Ficou para a próxima!

passeios-para-fazer-na-patagonia

Ushaia é uma cidadezinha bem simpática, simples e relaxada, onde se vêem mochileiros e viajantes por todos os lados. A rua principal é a San Martín, onde ficam os restaurantes, lojas, bancos e tudo mais que você pode precisar. Não se iluda achando que vai comprar roupa de frio barata lá, é tudo “meio/muito caro”, afinal Ushuaia é longe pra burro de tudo que é lugar (quatro horas de vôo de Buenos Aires, hello) e depois dali, é só o pólo sul (adoro essa ideia! kkk). As únicas coisas mais em conta são comida e bebida, eba, muito vinho bom em ótimos preços!

Ficamos seis dias em Ushuaia, nos hospedamos no Las Hayas Resort, alugamos um carro e amamos tudo por lá! Se quiser saber mais sobre Ushuaia, veja o meu vídeo com dicas no Youtube)

Como já mencionei, chegamos em Ushuaia por um vôo que veio de Buenos Aires (quatro horas de viagem). Depois, fomos de avião de Ushuaia para El Calafate (foi pouco mais de uma hora de viagem).

El Calafate – a cidade que fica próxima ao Glacial Perito Moreno

A cidade de El Calafate também tem uma rua principal chamada San Martín, com lojinhas, bancos e restaurantes. A primeira vista, ela parece mais bem cuidada e “mais rica” do que Ushuaia, e quando vi os preços dos passeios tudo fez sentido para mim! Preços salgadinhos para os passeios, para as entradas nos parques e por aí vai…mas ó, beleza igual aquele canto do mundo eu nunca vi, então a gente gasta com gosto 😉 kkkk

o-que-fazer-na-Patagonia-(78)

Ficamos quatro dias em El Calafate e nos hospedamos fora da cidadezinha em um super hotel na frente do Lago Argentino (Design Suites Calafate, tinha uma spa também 🙂 ). Como a gente queria sossego (e o táxi não era caro), a distância não foi um problema. Além do mais, a maioria dos passeios já têm incluído transfers de ida e volta, assim eles buscam e entregam os turistas nos respectivos hotéis.

El Calafate é a cidade base para conhecer o Glacial Perito Moreno, mas se liga que o Glacial está dentro do Parque Los Glaciares (que tem uma série de passeios massas) que está a uma distância considerável da cidade, assim todos os passeios duram o dia inteiro (só para ir e voltar é uma hora e meia ou mais, cada trecho). Mas o visual é maravilhoso então nem dá para sentir a distância – só não dá para programar fazer vários passeios no mesmo dia sem ficar exxxxxausto.

Em El Calafate não alugamos carro, contratamos os passeios com transfers porque em muitos locais o acesso para carros era limitado. Então agora que você já entendeu a base para os passeios, finalmente, vou falar dos….

10 passeios imperdíveis para fazer na Patagônia!

1) Parque Nacional Tierra del Fuego

Cidade Base: Ushuaia

Comentários: Nós visitamos este parque por dois dias, porque tinha bastante coisa legal para ver e fazer: várias caminhadas curtas e relativamente fáceis,  o trem do Fin del Mundo, os locais para acampar, as lagoas verde e negra, cenários bem característicos da Patagonia, o correio do Fin del Mundo (e o carimbo para seu passaporte), a placa do  final da Rota 3 e uma empanada de carne que eu adorei.

Uma boa ideia é visitar de carro porque dá para passar o dia descobrindo as belezas do local. Quem estiver animado pode fazer uma das rotas a pé (a mais fácil é em torno de 2 horas e meia caminhando) e é super tranquilo porque o Parque tem excelente sinalização.

Lá é muito lindo e mega relax!

passeios-para-fazer-na-patagonia1

o-que-fazer-na-Patagonia-(22)

o-que-fazer-na-Patagonia-(10)

o-que-fazer-na-Patagonia-(24)

2) Passeio de veleiro pelo canal de Beagle (isso, pinguins!!!!!)

Cidade Base: Ushuaia

Comentários: para mim, “andar” de barco já é a atração em si. Mas este passeio no veleiro Paludine foi uma aventura a parte! Por causa do vento frio, a gente usou aquelas roupas amarelas de marinheiro por cima da nossa roupa e o staff super legal do veleiro sempre trazia chocolate quente, chá ou café. O vento, quando batia com vontade, empolgava a gente no veleiro, mas tem que gostar de velejar para se divertir, né?! Para quem quer algo mais tranquilo, existem passeios em barco maiores, para até 300 pessoas.

Ponto alto: os pinguins e os lobos marinhos!

Esse passeio, seja de veleiro ou outros barcos, é um dos mais legais da viagem! Imperdível!

o-que-fazer-na-Patagonia-(89)

o-que-fazer-na-Patagonia-(97)

passeios-para-fazer-na-patagonia 2

3) Caminhada até a Lagoa Esmeralda

Cidade Base: Ushuaia

Comentários: Não, não é parecido com algo que você já viu na vida. A “Laguna Esmeralda”, com certeza, entrou para a minha lista de top 5 lugares mais lindos que já vi. A caminhada é de quase 9 quilômetros ao todo  (contando ida + volta) e nós pegamos muita mas muuuita lama no caminho. Ainda assim, fomos um dos primeiros a chegar no local e a paz que eu senti quando vi esta lagoa é uma das coisas que nunca vou esquecer. A caminhada é de dificuldade média (eu achei média-difícil 😉 )

Dica: vá de manhã cedo, comece a caminhada em torno das 8 da manhã e leve um snack para a hora do descanso.

o-que-fazer-na-Patagonia-(28)

o-que-fazer-na-Patagonia-(31)

o-que-fazer-na-Patagonia-(36)

4) Caminhada para o Glacial Martial

Cidade Base: Ushuaia

Comentários: A gente já estava hospedado em um hotel que era no caminho do Glacial Martial, então não podíamos perder a chance de dar uma espiada. Fomos de carro até o pé da montanha, onde tem um estacionamento, algumas lojas de souvernis e uma casa de chá 😉 e de lá começamos a subida a pé. A vista do Glacial é bem bonita e a vista do Ushuaia do alto é estonteante.

Na foto não parece, mas a subida é bem puxada. É bom ir no começo do dia e reservar umas três horas, no mínimo, para ida e volta.

o-que-fazer-na-Patagonia-(100)

5) Ir até o ponto mais alto de Ushuaia para ver o nascer do sol

Cidade Base: Ushuaia

Comentários: show da natureza!

o-que-fazer-na-Patagonia-(102)

6) Nativo tour + jantar na caverna

Cidade Base: El Calafate

Comentários: este passeio foi animal! Existem duas opções: fazer com almoço ou jantar, nós fizemos no final do dia e comemos o jantar na caverna 🙂 Basicamente, é um passeio de jeep para dentro de uma área que parece um deserto (mas que está do lado do Lago Argentino) até que encontramos as pinturas rupestres nas cavernas. O guia era muito empolgado e explicou tudo sobre as civilazações antigas da Patagônia enquanto caminhávamos e observávamos as pinturas originais. No final da caminhada, chegamos em uma caverna grande onde o delicioso jantar (ensopado de cordeiro +mousse de chocolate) foi servido de uma maneira “nativa”, saindo de um caldeirão 🙂 vinho liberado e atmosfera super animada!

o-que-fazer-na-Patagonia-(38)

o-que-fazer-na-Patagonia-(43)

7) Caminhar ou dirigir por uma parte da Costanera

Cidade Base: El Calafate

Comentários: a minha sugestão é basicamente andar ou dirgir em torno do Lado Argentino, na Costanera, e parar onde der vontade. Se estiver a pé, cuidado com o vento. Se estiver de carro, leve um vinho (#sópensanisso) e alguns snacks. O visual é lindo, é bem vazio e super relaxante.

o-que-fazer-na-Patagonia-(44)

8) Cruzeiro Gastrônomico pelos rios de gelo (Glacial Upsala e Spegazzini)

Cidade Base: El Calafate

Comentários: Um dos pontos altos da viagem  – já viram que eu amo barco, né?! Escolhemos o cruzeiro gastronômico porque eu e meu marido curtimos gastronomia, mas existe uma outra opção de passeios mais econômica (sem a parte grastronômica, é claro) que faz uma parte dos rios de gelo. Então, a gente escolheu a opção mais top e este foi o passeio mais caro da viagem, em um barco confortável, com um menu delicioso e vinhos excelentes. Amamos!

Mas é claro, né gente, que a parte mais impressionante do passeio é a natureza ao redor. Os não tão famosos Glaciais Upsala e Spegazzini (vocês sabem, neste Parque Los Glaciares, o Glacial Perito Moreno é o famosinho) são gigantes, bem maiores que o Perito e eles são muito show! Então uma boa parte da navegação é assustadoramente acompanhada com icebergs gigantes e muitas informações bacanas sobre a região. O passeio dura o dia todo e é fantástico 🙂 E eu sou super empolgada kkkk

o-que-fazer-na-Patagonia-(52)

o-que-fazer-na-Patagonia-(65)

o-que-fazer-na-Patagonia-(104)

9) Passeio pelas passarelas  para ver o famoso Perito Moreno

Cidade Base: El Calafate

Comentários: Esta é a versão light de passeio para ver o Glacial Perito Moreno, dentro do Parque Los Glaciares. Existem várias rotas nas plataformas de caminhada, de pequena e média dificuldade, algumas partes são acessíveis para cadeirantes, ou seja, todo mundo consegue dar uma espiadinha para ver essa belezura aí. A caminhada toda deve demorar em torno de 2 a 3 horas, é tudo muito bem sinalizado e existem restaurantes e cafés e ainda uma área de pic nic, próximas ao estacionamento.

o-que-fazer-na-Patagonia-(1)

o-que-fazer-na-Patagonia-(74)

10) Trekking no Glacial Perito Moreno

Cidade Base: El Calafate

Comentários: Se você ama gelo e quiser algo mais aventureiro, a minha sugestão é fazer o trekking no Glacial (tem a versão “mini treking”e a versão “Big Ice”, o que muda é quanto tempo você fica no Glacial). Nós fizemos o mini trekking, que já é mega intenso pois o passeio começa as 8 da manhã e termina as 7 da noite. Depois das caminhadas na plataforma do Perito, da travessia de barco para o “lado de lá” e algum tempo para colocar as botinhas de gelo, finalmente começa o trekking em cima do Glacial Perito Moreno. Eu pirei: teve frio, chuva, vento, sol, cansaço, alegria e uma bebidinha com gelo do glacial no final 😉 Foi demais!

Dica: se você tem algum preparo físico e não tem problema de joelho, dá pra aguentar. Os tours tem ainda restrição de idade e é você que tem que levar seu almoço (lunch box), mas os hotéis preparam uma marmitinha top!

Para mim, foi o melhor passeio da Patagônia! É muito impressaionante!

o-que-fazer-na-Patagonia-(88)

o-que-fazer-na-Patagonia-(88)

o que fazer na Patagonia (82)

Espero que vocês tenham curtido as dicas dos passeios imperdíveis da Patagônia! Tentei mesclar um pouco de tudo que achei especial nessa viagem fantástica até o sul do mundo! Qualquer dúvida ou contribuição, podem escrever 🙂 Até a próxima, leitores! Ah, e o videozinho com dicas do Ushuaia está aqui:   Beijos!!

Parando para refletir – e aproveitando para criar um mundo melhor: my café com leite!

Um café para você, um leite para uma criança.

(Gostaram da ideia? Esta é a iniciativa do time da My 😉 e eu faço questão de contribuir com a causa e chamar todos vocês para participarem também!!!! Para entender melhor, leia abaixo!)

Café com leite é uma mistura perfeita e muito aconchegante, não é mesmo? Lembra equilíbrio. Lembra coisas que se complementam. Juntas ou separadas, essas bebidas despertam paixões. Afinal, para quem ama café, ele é tão vital quanto o leite para uma criança.
Ao comprar nosso kit de cápsulas, você ajuda a My virar realidade e nós doamos leite para quem precisa.

GOSTEI! QUERO CONTRIBUIR

Muito prazer, nós somos a My.

Não somos apenas uma marca de café em cápsulas. Somos empresa feita por pessoas que acreditam no seu poder de conquistar o que quiser. E por acreditar que é sempre possível ser mais, lançamos a campanha My – Café com Leite, na qual você compra um kit de cápsulas de café e a gente doa litros de leite para crianças que precisam.

Por que a My é diferente?
Fazemos cápsulas compatíveis com o sistema Nespresso, mas o nosso propósito é diferente de tudo que está por aí. Nossos blends são inspirados nos seus momentos de vida: desafios (My Power), mudanças (My Turn), estabilidade (My Harmony) e bem estar (My Time). Com isso, queremos que nossos produtos sejam um incentivo para você conquistar sua melhor versão, não importa em que fase esteja ou o que você busca.
E nós, o que buscamos? Ah, sim. Viemos para contribuir, para compartilhar, mas principalmente para questionar. Ao contribuir com a nossa campanha de lançamentovocê também estará financiando o nosso projeto de cápsulas mais sustentáveis.

Sirva-se e sirva! 
Nesta corrente do bem o prazer de viver é saboreado por todos.

Santorini no Inverno: o que você precisa saber

Muita gente me pergunta sobre se vale a pena ir para a ilha grega de Santorini, no inverno 😉 Como já morei na ilha (yes, no inverno também), tem mais de 10 anos que vou para Santorini e acabei de voltar de lá – fiquei 10 dias em Santorini no meio do inverno, turistando – resolvi fazer este post super completo com TODAS AS INFORMAÇÕES QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE SANTORINI NO INVERNO!

Inverno em Santorini Grécia (15)
Inverno em Santorini, Grécia

Santorini no Inverno: o que você precisa saber?

Precisa se preparar para os ventos frios, com muito casaco e roupa de lã, então consulte a seção sobre temperaturas 😉 Precisa saber que nem todo lugar vai ter hotel aberto e que nem todo hotel vai ter aquecimento (no máximo um ar condicionado que sopra 30 graus  – acredite, no inverno pode não ser suficiente). Então, confira a parte de “onde ficar”, neste post. Precisa saber que não é tão fácil achar restaurantes e cafés, portanto veja a nossa lista de sugetsões abaixo (a não ser que você não se importe de só comer souvlaki e tiropita kk). E se você conseguiu chegar até Santorini no meio do inverno (consulte, “como chegar” abaixo), aproveite a lista maravilhosa de coisas para fazer em Santorini no Inverno! Eu, particularmente, amo Santorini no inverno!!!

Inverno em Santorini Grécia
Inverno em Santorini Grécia

Introdução sobre o que é o Inverno em Santorini 

Bom, para começar quero dizer que a experiência de ter vivido no inverno em Santorini, como uma local, foi extrema e brutalmente diferente da experiência de turistar no inverno de Santorini. E isso é uma coisa que eu quero explicar para vocês: nas ilhas gregas, queridos leitores, só existe inverno e verão e eles são momentos estupidamente extremos. Basicamente, se você morasse na ilha, você iria se ligar que no Verão tem sol, praia, turismo, dinheiro, ilha lotada, romance no ar, trabalho todo dia – alegria e caos total! 😉 Já no Inverno tem frio, vento, mar revolto, umidade, pouco trabalho, ninguém nas ruas e é hora de entrar em casa, descansar na frente do aquecedor e rezar para que o próximo verão seje bom. Desejos de uma “boa temporada” é o que se escuta a cada esquina nos meses que não são verão, afinal, se não tem turista no verão, não tem sobrevivência no inverno 🙁

Dito isso, creio que deu para vocês entenderem o clima de paradoxo maluco que é viver em Santorini ou qualquer ilha grega por um período longo de tempo. Portanto, quando você fala para um local que vai para Santorini no inverno, ele vai te olhar assustado e perguntar ” Fazer o quê, no inverno em Santorini?”. E no final do verão, eles vão te perguntar…“você vai ficar para o inverno? Mas você já sabe como é o inverno aqui?É muito difícil!“. E ele está certo. É, realmente, muito difícil.

Então, se você é um turista ou forasteiro que conheceu Santorini no inverno, você vai achar que o clima de **Game of Thrones, quando Jon Snow fala “Winter is Coming”*** é muito dramático já que Santorini continua viva e linda durante todo o ano. Eu, no entanto, entendo a tensão e melancolia que envolve o inverno e tenho o maior respeito do mundo por aqueles que vivem na ilha do vulcão – hello, uma vida em um vulcão – com terrremotos, ventos insanos, e o risco eterno de um BUM catastrófico.

Inverno em Santorini Grécia
Inverno em Santorini, Grécia

Lembro de expressões como “no inverno, tudo fecha”, “não tem nem gato na rua no inverno em Santorini”, e as mais assustadoras como “fulano morreu por causa do inverno” – já que no inverno morre um bocado de gente nas ilhas (seja pelo frio, pelas doenças que eles já tinham, pelo atendimento não tão bom e a dificuldade de sair da ilha em dias de clima ruim…) Enfim, tem história para dar e vender  – mas vamos focar!!

Agora que já dei minha introdução reflexiva sobre Santorini no Inverno (vocês me conhecem e sabem que não posso evitar!) – vamos a parte prática da coisa!

Dicas: O que você tem que saber sobre Santorini no Inverno 

Afinal, Santorini fecha no inverno??

Não exatamente. As vilas onde os locais moram continuam funcionando normalmente, com mercados, bancos e cafeterias, mas se você é um visitante ou turista em Santorini, pode ser que você não faça nem ideia de onde a população vive. Daí, a sensação de que “a ilha fechou”, já que a parte turística onde ficam os hotéis, as atrações, e as vistas famosas do pôr do sol, ficam vazias. Eu diria que 80-90% do comércio relacionado ao turismo está fechado no inverno. Algumas agências de turismo ficam abertas por poucas horas, então é bom ter seus contatos ou chamar a Lulu aqui para fazer uma ligações 😉 Então, no inverno, o mais provável é que você vai caminhar nas famosas vilas de Fira e Oia, na beira da caldeira do vulcão, no local mais caro da Grécia, e um dos mais lindos do mundo em companhia apenas de Deus – quer coisa melhor?

Não é necessário ter medo, pois não tem crime, nem assalto nem nada disso em Santorini. Então, se você estiver sozinha, OK, dont worry. Aproveite a vista e o silêncio e explore tudo que quiser da ilha.

Atenção: é provavél que, nos meses de fevereiro e março, quando o inverno sigá sigá (devagar, devagar, me grego) vai dando lugar para a primavera, Santorini se transforme em um grande canteiro de obras. É nessa época do ano que o pessoal faz as construções das novas casas, renovações dos hotéis, cheiro de pintura fresca na ilha toda! Ou seja, até as igrejinhas com o domo azul estão sendo pintadas nesta época do ano – pode ser que você só veja domos brancos pelas ruas de Santorini 😉 No verão, elas estarão azuis de novo – aguarde!!

Inverno em Santorini Grécia
Inverno em Santorini, Grécia

Temperaturas em Santorini no Inverno 

Normalmente, as temperaturas no inverno de Santorini variam de zero a quinze graus Celsius. Tem grandes chances de você ficar uma semana em Santorini no meio do inverno e ter um céu azul maravilhoso e um sol bem quentinho e você até consegue caminhar na praia como se fosse começo de verão. Mas também é bem provável que o tempo fique louco, o vento sopre tão forte que nenhum barco vá para o mar e nenhum avião pouse ou decole de Santorini. A umidade é constante no alto inverno e – socorro – só de lembrar meus joelhos doem kkk

Resumo: é questão de sorte –  pode ter sol e céu azul de manhã com vendaval e tempestade a tarde 😉

Como chegar em Santorini no Inverno 

Eu viajo sempre de barco, então acho tranquilo ir de Atenas para Santorini de ferry boat (5 ou 8 horas de viagem). Eu não acho a viagem longa porque já me acostumei e no inverno o ritmo é lento e OK passar 8 horas em um barco observando o mar maravilhoso! Mas é claro que muitas vezes eu vou de avião, né gente, porque são apenas 35 minutinhos de viagem 😉

Tem problema de voos ou barcos cancelados? SIM, é comum no inverno, portanto é bom sempre ter uma margem de erro e não comprar conexões apertadas.

Onde ficar em Santorini no Inverno 

Eu fiz uma boa pesquisa sobre hotéis que ficam abertos no inverno em Santorini, e acabei por escolher ficar hospedada na caldeira de Fira e em Oia. Eu queria ter a experiência de ficar em hotéis na caldeira de Santorini, mesmo no inverno. Conclusão: é uma boa oportundiade para quem quer sentir o ar da caldeira do vulcão de Santorini logo de manhã, sem ter que pagar as tarifas salgadas do verão. Então, vale a experiência, porque a paz e a vista é maravilhosa!

Mas quero dizer aqui que os hotéis da caldeira de Santorini (seja em Fira ou em Oia, que são os locais famosos – nem comento Imerovigli e Firostefani – mais ainda) tem a desvatagem de estarem na parte mais tursítica –  ou seja – nem gato na rua no Inverno. Na caldeira de Fira ainda tem “mais movimento”, mas na de Oia, só tem gente caminhando na hora do pôr do sol.

Se você ficar em um dos hotéis famosos da caldeira, sim, aí vai ver outros hospedes, mas vai ter a mesma dificuldade para achar restaurantes, cafeterias, mercados e etc. Se você escolher ficar em Fira, na parte mais central, perto da Praça de Fira, do ponto de ônibus e de táxi, aí sim vai ver gente 🙂 ali é onde o pequeno comércio fica aberto o ano todo.

A maioria dos hotéis nas praias de Perissa e Kamari estão fechados no inverno – mas é sempre bom consultar.

Inverno em Santorini Grécia
Inverno em Santorini, Grécia

Onde comer em Santorini no Inverno 

Aqui vou colocar a lista do que estava aberto nesse inverno (2017), mas é sempre bom tentar confirmar, ok?!

Em Fira, na capital de Santorini: 

Na praça principal, tinha o Nick, the Grill, que é meu souvlaki favorito em Santorini (souvlaki é um sanduíche grego delicioso). Na mesma praça, vários outros locais estavam abertos para snacks e cafés. Para comer bem, fazer um almoço ou jantar caprichado, eu gosto do Kipos – um restaurante que tem comida deliciosa, excelentes vinhos e lá também é cafeteria durante o dia. Funciona o ano todo!Outras possibilidades em Fira são Theoni’s Kitchen e YOGI.

Para tomar café em Fira, tem o Clássico que fica pendurado na caldeira de Fira – adoro. E também o Graffiti, Home all day Caffe, Opus, sendo que estes três locais ficam na região entre Fira e Karterados.

Em Oia, vila famosa de Santorini: Pendurado na caldeira de Oia, está o Lotza para comer ou tomar um café. Eu não achei outras opções em Oia, mas é andar pelo local e tentar descobrir.

Em Akrotiri, temos o Dolphins que fica tradicionalmente aberto durante todo o ano.

Em Perissa, temos o beach bar Demilmar que fica tradicionalmente aberto o ano todo, e é uma delícia para tomar um café ou almoçar vendo o mar lindo de Santorini.

Em Pyrgos, temos como opção a deliciosa comida do Pyrgos Restaurant – eles fecham no inverno mas já estavam abrindo nos finais de semana. É bom perguntar, eles tem um ótimo site.

Até me vêem em mente outros locais, mas vai ser impossível de explicar aqui como você chegariam lá 😉 Em todo caso, vocês estão em boas mãos com estes locais que citei.

Inverno em Santorini Grécia
Inverno em Santorini, Grécia

O que fazer em Santorini no Inverno – 10 sugestões

  • tomar um café frappé ou nes em uma cefeteria em Fira, só assim você consegue entender a magnitude da ilha do vulcão
  • fazer a caminhada de Fira até Oia – passando pela caldeira, pelas estradas, pelos pedregulhos – em um dia de tempo bom, só você e Deus
  • Ir até o farol de Akrotiri e aproveitar o sossego e a sensação de isolamento total
  • Parar o carro no estacionamento de Pyrgos e andar por toda a vila a pé
  • Parar o carro na Praça do Eborio, tomar um café e assistir a vida dos locais e então caminhar e se perder em busca do Castelli ou Goulas – o castelo do Eborio
  • Caminhar pelo Megalochori e ver a rusticidade das plantações dos vinhedos que explodem na ilha no verão
  • Almoçar em Perissa, de frente para o mar
  • Assistir ao pôr do sol em Oia – com assento privilegiado na pontinha do Castro
  • Visitar o sítio arqueológico de Fira antiga e fazer a caminhada de Perissa até o alto da montanha
  • Passar uma manhã na região de Akrotiri, visitar a Praia Vermelha e o sítio arqueológico de Akrotiri

Bom, leitores, espero que vocês curtam este post super completo com dicas sobre o Santorini  no Inverno e aproveitem para conhecer a ilha mais linda da Grécia!! É de coração 😉 Mil beijos! Mais dicas no vídeo abaixo!

Inverno em Santorini Grécia
Inverno em Santorini, Grécia
Inverno em Santorini Grécia
Inverno em Santorini Grécia

 

Festa de Casamento em Santorini, na Grécia: Duda e Gabriel!

Queridos leitores!

Este é o último post e mais uma coletânea maravilhosa de fotos sobre o Casamento em Santorini (na Grécia) da Duda e do Gabriel 🙂 Se você perdeu os outros posts da série, acesse aqui:

Post 1: Casamento em Santorini da Duda e do Gabriel  – para ver todas as informaçãoes e detalhes de um belíssimo casamento em Santorini.

Post 2: Casamento em Santorini e o imperdível ensaio de fotos da Duda e Gabriel – para ver o making of da noiva e o ensaio de fotos em Santorini.

Post 3: Casamento em Santorini: fotos da cerimônia – para ver tudo que rolou na cerimônia de Casamento em Santorini!

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Duda e Gabriel

E hoje vamos falar da festa do Casamento em Santorini da Duda e do Gabriel!! Foi uma festa animadíssima, linda e cheia de energia boa. Para começar quero apresentar o local maravilhoso que o casal escolheu para a festa: o Theros Wave Beach Bar, na região de Vlyxada, em Santorini. 

Fotos de Márcio Monteiro

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Duda e Gabriel
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Duda e Gabriel

O beach bar super estiloso, no sul da ilha de Santorini, foi o palco da animadíssima festa deste Casamento em Santorini. Eu amo o local, e também fiz minha festa de Casamento por lá 🙂 Se quiser acessar todo o conteúdo sobre Casamento em Santorini, clique aqui.

A noiva Duda gostou da ideia de curtir uma mega festa na praia e escolheu o Theros, e também contratou o Mario Catering para servir o delicioso jantar grego. Tenho certeza que os convidados amaram (eu estava lá até o final da festa e vi a empolgação do pessoal kkkk)!

A entrada do noivo foi bem animada e os padrinhos e convidados fizeram sua parte no show. Os dançarinos gregos também agitaram bastante a festa e claro, todo mundo teve que entrar na dança 🙂

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Duda e Gabriel
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Duda e Gabriel
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Duda e Gabriel
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Duda e Gabriel
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Duda e Gabriel
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Duda e Gabriel

A quebra de pratos ( foto acima) foi um dos momentos tops da festa. Vocês já devem imaginar que a primeira coisa que todo mundo pergunta quando você faz um convite para Casamento em Santorini, na Grécia, é: “vai ter quebra de pratos?” Sim!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

A quebra de pratos é um costume grego pra lá de difundido no mundo. Alguns gregos modernos de Atenas vão falar que “não se quebra prato na Grécia, que é só lorota pra gringo ver…”, mas eu tenho que discordar. Na Grécia, as pessoas quebram prato SIM e cansei de ver isso rolando nas ilhas gregas 🙂 Se o grego está feliz, quebra prato – se está emocionado, quebra prato também! Quebra prato, copo, taça e bora colocar os sentimentos para fora 🙂 Vi acontecer mil vezes em Santorini…..E foi uma quebra de pratos super animada que rolou no Casamento em Santorini da Duda e do Gabriel! Ella, Santoriniiiiiiiiiii! Bravo, Ellada!! Os convidados curtiram e mataram a vontade!

Mas afinal, o que a quebra de pratos quer dizer?

Conto para vocês a explicação que uma grande amiga, professora nativa na ilha, me deu nessa última temporada em Santorini.  Quando um grego quebra um prato ele quer dizer: “não me importo com o dinheiro”. É uma prova do desapego material, uma comprovação da manisfestação de seus sentimentos acima de qualquer coisa.

E quem aí conheceu um(a) grego (a) neste estilo…? Passional, sincero, festeiro? Faço o que quero, falo o que penso, quebro quantos pratos quiser, faço tudo por quem eu amo, e por aí vai #filtro_zero #grego_fala_na_lata #grego_é_festeiro #grego_é_real #grego _se_acha_a_última_bolacha_do_pacote (menos, Lulu!)

Ah, e para ser totalmente clara sobre o assunto: atualmente, é proibida a quebra de pratos na Grécia 🙂 Ela só rola em festas privadas, ou em apresentações folclóricas e no caso dos casamentos, é preciso conversar com o dono do local e se informar, tá gente?!

E voltando ao assunto da festa de Casamento em Santorini da Duda e do Gabriel, quero contar para vocês que a Duda tinha pensando em uma surpresa para os convidados (e até para o noivo, gente!). E a surpresa era a queima de fogos! Para quem não sabe se quer ou não fogos de artifício no casamento em Santorini, pode me perguntar que falo sinceramente. No Theros, é uma excelente ideia 🙂 no visual da Praia Branca, os fogos arrasam! Foi super lindo e todo mundo ficou emocionado!

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Duda e Gabriel
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Duda e Gabriel

Depois dos fogos, o jantar foi servido e na sequência, a música correu solta e a galera curtiu demais! A lua subiu cheia no céu (já é tudo combinado, eu organizo esssas coisas com Papai do Céu e seus anjinhos  😉 kkkk ) e Santorini nos presenteou com mais uma noite inesquecível!

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Duda e Gabriel
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Duda e Gabriel
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Duda e Gabriel

E quem foi até a Grécia para o Casamento em Santorini da Duda e do Gabriel, sabe que nada nesse mundo poderá ser comparado aos momentos que viveram na ilha do vulcão. Para quem não pode ir, fica a vontade de ter ido e a alegria de poder compartilhar através das imagens o amor intenso que todos viveram em Santorini.

Duda e Gabriel, mais uma vez, obrigada pela confiança e carinho 🙂 e para vocês, desejo que o amor maior do mundo seja eterno!

Espero que vocês, leitores queridos, tenham curtido a série de posts sobre Casamento em Santorini! Beijos!!

Ah, e uma foto final do casal com a galera que ajudou a agitar esse Casamento em Santorini maravilhoso!

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Da esquerda para direita: Márcio Monteiro (fotógrafo), Marcella Lomba (decoradora), a noiva Eduarda Nanci, o noivo Gabriel Sabugosa, Elton Sabatino (cinegrafista) – abaixada estou eu (a Lulu, especialista de Casamento em Santorini) e a Maria Darzenta (wedding planner da Divine Weddings)

 

 

Dicas de Creta, Grécia: Monastério de Arkadi

Queridos leitores,

Hoje vou falar para vocês um pouquinho da minha visita no Monastério de Arkadi, que fica próximo a cidade de Rethymno, em Creta.

E só para citar uma coisa muito interessante que aprendi é que Monastério é uma palavra que vem do grego (é claro!) Monasterion, que quer dizer “lugar de viver sozinho” – já que monos é sozinho. Muito legal, né?! Para quem vai visitar a região e quer uma informação mais específica, o Arkadi fica no lado oeste da grande ilha grega de Creta, a 23 quilômetros de Rethymno.

Uma pequena introdução sobre Creta

para quem caiu de paraquedas no blog:

Minha viagem até Creta, na Grécia foi maravilhosa e muito inspiradora e agora começo a compartilhar com vocês tudo que aprendi. Me deparei com muitas dúvidas quando estava progamando a viagem, afinal Creta é uma ilha enorme,  e com uma lista infindável de coisas legais para fazer. Para quem curte praia, em Creta tem várias lindas, selvagens e supreendentes e outras tantas com estrutura moderna e resorts enormes. Para quem curte história e cultura, Creta oferece uma lista de passeios, museus, e monumentos históricos que emocionam por sua riqueza cultural e relevância na história da Grécia.

Tenho muito a dizer sobre aquele canto da Grécia porque o povo de Creta me conquistou por inteiro!

E vocês sabem que eu falo demais – 😉  – então podem aguardar que vai ter post de tudo que é assunto, dicas e informações sobre viagem para Creta, na Grécia. Se você quer ver um apanhado geral vai direto no meu vídeo do Youtube O que fazer em Creta, clicando aqui.

Agora, sobre o Monastério de Arkadi – eu achei o local lindo – lindo mesmo!

Cheguei lá sem esperar nada (talvez esse seja o segredo da vida, né? expectativa zero ;)) e me impressionei quando vi quantos ônibus de turismo estavam estacionados. What? Só eu que não sabia que este lugar mágico existia? Por que os brasileiros não falam desse lugar? Como podemos vir até Creta e perder uma visita nesse lugar tão especial?

Então, como eu descobri sobre o Monastério de Arkadi, em Creta?

Vocês já sabem que eu trabalho com Casamento em Santorini (Lulu, resume, vai..!) e por isso conheço muitos profissionais gregos nativos e eles se tornam amigos, sempre me dão dicas, informações novas e é um grande prazer conviver com eles e suas famílias. Estava em Creta conhecendo a ilha e tive a sorte de fazer um ensaio fotográfico com o excelente fotógrafo Ben Rigas lá no Monastério de Arkadi, acreditam?

E é isso que apresento para vocês agora: imagens maravilhosas de um dos meus ensaios em Creta, e e fotos belíssimas do Monastério de Arkadi. Abaixo, também dou algumas informações super interessantes sobre o local e alma forte do cretense 😉

O que fazer em Creta Grécia
Monastério de Arkadi, Creta
O que fazer em Creta Grécia
Monastério de Arkadi, Creta

O que vemos no Monastério de Arkadi?

Uma combinação de construções com estilo veneziano, renascentista, porque Creta foi por algum tempo parte da República de Veneza. É um monastério ortodoxo, um templo para estudo de ciência e arte, mas mesmo e apesar das muralhas e do Monastério parecer uma fortaleza, ele foi conquistado, destruído e reconstruído várias vezes, a cada invasão e dominação (vocês sabem que esta região viveu momentos turbulentos pesados, né?).

A informação que mais me chamou atenção é que o Monastério de Arkadi é atualmente um santuário nacional em honra da resistência cretense, pois foi um dos pontos mais relevantes de resistência contra a ocupação otomana. Diz a lenda, que cretenses se refugiaram no local (a maioria eram mulheres, crianças mas havia resistentes também) mas depois de três dias de combate (os otomanos estavam em número bem maior), os cretenses explodiram os barris de pólvora e todos os ocupantes morreram. Eles preferiram o sacrífico ao invés da redenção.

Isso não resolveu o conflito, mas chamou a atenção do mundo para a coragem e a bravura do povo de Creta, que lutava desteminadamente – até o fim – em nome de sua independência. Isso faz a gente pensar, né?! E se você viu ou leu a obra mundialmente conhecida como “Zorba”, deve se lembrar que uma das características mais marcantes do personagem Zorba era o espírito livre. “Vou trabalhar para você, mas no meu tempo livre, eu sou o meu chefe, Zorba fala logo no começo de sua história.

Finalmente, queria deixar uma pequena passagem para meus amigos gregos

Eu sei que eles leem o blog traduzido pelo Google 😉 O que mais me admira no grego e o que mais me deixa orgulhosa de ser metade grega é a sua lealdade – seja pela palavra dita, pela relação aceita, pela honra de ser quem é, pela família que o criou, pela vila que o recebeu, por Deus, que lhe deu a vida. A lealdade dos gregos é – na minha opinião – a característica mais marcante e ela está presente em cada cantinho de história na Grécia. Creta, um lugar que eu aprendi a amar tanto quanto minha querida Santorini, mostra isso o tempo todo, em cada esquina, em cada olhar. Os gregos são leais, mesmo que leais ao que eles acreditam, ao que entendem da vida. Podem estar em desacordo com o resto do mundo, mas estão de acordo com aquilo que são. São leais a sua essência. E isso não é admirável? 

Bom, desejo a todos um excelente final de semana – planejando viagens, ou descansando, ou lendo um bom livro 🙂 Um que seja cheio de cultura, história, bravura, paixão, amor pela Grécia e alegria! 😉 Bravo Ellada, mais uma vez a Grécia me deixa orgulhosa!

Abaixo mais algumas fotos de Ben Rigas 🙂 Beijos, amigos!

O que fazer em Creta Grécia
Monastério de Arkadi, Creta
O que fazer em Creta Grécia
Monastério Arkadi, Creta!
Dicas de Creta
Lulu em Creta, Monastério de Arkadi