Casamento em Santorini: Dia da Noiva e Dia do Noivo

Muitas noivas nos perguntam o que os noivos ficam fazendo enquanto as noivas estão se preparando para o Casamento em Santorini! Então fiz este post para mostrar um poquinho da diferença do que rola em Santorini no “Dia da Noiva” e no “Dia do Noivo”!

Casamento em Santorini: Dia da Noiva e Dia do Noivo

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Ana Paula e Luiz

O Dia da Noiva, em um Casamento em Santorini

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Noiva Ana Paula – MARAVILHOSA!!

É claro que cada casal tem suas preferências, mas na maioria dos Casamentos em Santorini, a noiva gosta de passar o seu grande dia “calmamente” com suas familiares próximas e madrinhas. Massagem, conversas leves e sorrisos dominam a primeira metade do dia. Um almoço leve é sempre bem vindo.

Quando os  profissionais de cabelo, maquiagem, foto e vídeo, começam a chegar, o sorriso leve dá espaço a ansiedade boa e as lágrimas surgem em alguns momentos. Votos de amor são lidos e relidos, as mães se emocionam ao ver a filha vestida de noiva, as madrinhas fazem declarações de amizade e desejos de uma vida cheia de amor – e é uma atmosfera de pura emoção!

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Ana Paula e Luiz
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Ana Paula e Luiz
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Ana Paula e Luiz
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Ana Paula e Luiz
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Ana Paula e Luiz
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Ana Paula e Luiz

E quando o pai da noiva entra em cena para levar a filha ao altar é mais emoção, carinho e choro bom. Aí é olhar para o horizonte e ver o mar majestoso de Santorini à sua frente, é o momento de se deixar levar pela coragem e intensidade da ilha do vulcão. E então dar aqueles últimos passos antes do altar do seu Casamento em Santorini.

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Ana Paula e Luiz
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini -Ana Paula e Luiz

Pelo menos no meu Casamento em Santorini foi assim 😉 E no da Ana Paula e Luiz, também. Escolhi alguns fotos lindas desse casal, pois este foi um do Casamentos mais maravilhosos que já organizamos em Santorini. As fotos não me deixam mentir!

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Ana Paula e Luiz

Ah, e se você se perguntar: o que rola no “Dia do Noivo”?

A minha resposta é: exatamente o que você deve estar imaginando 🙂 No dia do Casamento em Santorini, tudo já está definido, organizado e pago. O noivo pode aproveitar para relaxar com os amigos, fazer festa na piscina e o clima é de descontração e animação.

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Ana Paula e Luiz

Próximo do horário do casamento, o noivo se arruma com tranquilidade.

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Ana Paula e Luiz
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Ana Paula e Luiz

Ah, e é claro que por trás de toda a solidez e praticidade do noivo, tem um uma porção de lágrimas honestas reservada para a hora que ele vê a mulher da sua vida chegando no altar.

A maioria dos noivos choram mais do que as noivas na cerimônias! Parece que eles seguram toda a emoção da jornada do Casamento em Santorini (ou de uma vida juntos) para aquele momento específico no altar…e aí a gente chora junto, né?

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Ana Paula e Luiz

Todas as fotos deste post são da Ana Paula e do Luiz, o fotográfo por trás dos clicks belíssimos é o  Marcus Moriyama 🙂  Vamos postar muito ainda sobre este maravilhoso Casamento em Santorini, porque quando a Ana me enviou as fotos percebi que queria fazer uns 20 posts com elas kkkk #alokadoscasamentos 😉

Ana e Luiz, felicidades sempre! Que este amor companheiro que existe entre vocês seja a luz em suas vidas! Mil beijos!

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Ana Paula e Luiz
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Ana Paula e Luiz
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Ana Paula e Luiz
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Ana Paula e Luiz

5 dicas para ver Londres como você nunca viu!

Fazia muito tempo que tinha voltado de Londres pela última vez. Tempo mesmo, mais de 10 anos! Então aproveitei a escapada de poucos dias para curtir uma parte de Londres que não tinha aproveitado nas outras viagens à Inglaterra.

Neste post vou dar 5 dicas para ver Londres como você nunca viu!

o que fazer Londres
o que fazer Londres

Vou começar com algumas dicas sobre o que fazer em Londres. Li bastante antes de viajar mas concluí que eu tinha muito pouco tempo para fazer tudo que eu queria 🙁 Então escolhi fazer um número menor de atrações, mas fazê-las da melhor maneira possível! E quando vi que as temperaturas iriam estar abaixo de zero, botei mais casaco na mala e fui animada. Nunca tinha visto Londres dessa maneira, embaixo de neve!

o que fazer em Londres
Londres no inverno

 O que é imperdível em Londres:

  1. Royal Tour, a pé! Achei este tour no site: e simplesmente adorei a ideia. O serviço é oferecido por guias locais, que sabem tudinho de Londres. Eu fiz o Royal Tour com o Tom, e adorei o passeio! Durou aproximadamente 3 horas e fomos nos pontos que são super relevantes a história da Realeza da Inglaterra. Para quem gosta de história (eu!), é um tour super interessante! E se você gosta dos seriados que tem algo a ver Inglaterra, (com a Victoria, The Crown, Donwtown Abbey e coisas do gênero)  – eu também! – pode se interessar pelo royal tour também 🙂 Não tem mais nada inglês do que realeza (e uma cup of team, né?)

    o que fazer Londres
    Royal Tour em Londres
  2. London Eye VIP: o passeio pela roda gigante, a London Eye, é legal, independente do valor que você paga. Só de ver Londres do alto….coisa mais linda! Mas nesta viagem descobri que tinha tickets “normais”, tinha os “fast-tracks” que pegam uma fila menor e ainda tinha os VIPs. Como a diferença era pequena (tipo 5 libras a mais), decidi experimentar o London Eye VIP e achei que valeu muito a pena. A espera rola em um lounge quentinho com vistas lindas de Londres e quando chega a sua vez, a guia vem buscar o grupo seleto para entrar na roda gigante. Então você ganha uma taça de champagne durante o passeio. E o plus é  um guia explicando tudo dentro da cabine, uma mapa mega detalhado 360 graus, e número reduzidos de pessoas.Como eu não sou super fã de altura, achei que esses pequenos detalhes fizeram meu passeio muito mais agradável! 😉
    o-que-fazer-Londres-(11)
    London Eye, VIP
    o que fazer Londres
    London Eye VIP

     

    Chá da tarde como você nunca viu!

  3. Chá da Tarde Top: The Afternoon Tea no The Goring Hotel, coisa de gente muito fina 🙂 Nosso guia local nos contou que membros da família real adoram convidar os amigos para um chá da tarde no The Goring. Com mais de um século de experiência e perfeição na arte do chá da tarde,  este hotel tem um salão lindo que é palco da experiência de 3 as 4 da tarde, todos os dias. E não é só chá, não, gente, tem também a opção  de Afternoon tea with Bollinger, aquele champagne que é lenda! Todas as informações sobre o chá da tarde estão aqui: https://www.thegoring.com/food-drink/afternoon-tea/
    o que fazer Londres
    Chá da tarde no The Goring

    Compras em Londres: como você nunca viu!

  4. Compras na PrimarkSaindo do chá chic da tarde direto para a loja mais barata de departamento que já vi na vida 🙂 Sou fã da Primark desde sempre e toda vez que posso, dou uma passada lá 😉 Compras na Primark já faz parte da tradição de passear por Londres. Lá você encongtra peças de fast fashion pelo preço mais em conta que você já viu na vida. Claro que, algumas peças são simples e vão durar uma temporada, mas eu também tenho peças que já duram 10 anos 😉 Portanto, se você gosta de compras, vale uma visita!
    O que fazer em Londres
    Primark, em Londres

    Frio e neve em Londres: como você nunca viu!

  5. Inverno em Londres: já conhecia os invernos ingleses, cheio de chuva e vento. E também já um vislumbre do que era o verão, que também tem seu charme. Mas nada, em nenhuma das visitas anteriores, tinha visto um Londres tão maravilhosa com a Londre embaixo de neve! 😉 Confesso que quando vi a previsão do clima já estava com as passagens compradas e não ia desaminar de jeito nenhum 🙂 Mas que tava frio, tava! Demais! E que a neve caindo atrapalha o trânsito, os voos, e toda a vida “normal”, sim, ela atrapalha. Mas se você tivesse a sorte de estar passeando por Londres, ia sentir toda a mágica de uma Londres branquinha.
    o-que-fazer-Londres-(8)
    Londres, no inverno

    Fiz um post curtinho só para compartilhar algumas coisas legais desta viagem 🙂 mas espero que tenham gostado das dicas! Obrigada pelas mensagens de carinho, leio todas e me emociono!

    Mais algumas fotos da minha viagem por Londres 😉 Mil beijos!

    o-que-fazer-Londres-(8)
    Londres, no inverno

    o-que-fazer-Londres-(8)

    o que fazer em Londres
    o que fazer em Londres
    o que fazer em Londres
    Londres no inverno

     

Para quem quer viajar mais (e sempre)

Se você é uma daquelas pessoas que amaaaaa viajar, mas ainda viaja muito menos do que gostaria, este post é para você! Se você acha que só quem é rico e “tem a vida ganha” é que consegue viajar tanto…este post é para você também!

Se você me segue, já deve ter percebido que não fico mais do que 30 dias no mesmo lugar 😉 E eu escolhi viver assim – isso mesmo, escolhi! Mas isso não quer dizer que foi uma escolha que caiu do céu no meu colinho e menos ainda que ocorreu da noite para o dia. E como recebo muitas perguntas sobre como  “criei” essa vida de viagens….aí vai o meu relato:

Como comecei a viajar

Quando era criança, sempre viajava com minha família nas férias. As viagens significavam muitas horas de carro – naquela época que viajava 6 pessoas em um carro, todas sem sinto de segurança e alguém segurando a torta de frango! Eu nasci em Belo Horizonte, Minas Gerais e a gente gostava era de ir para a praia, como todo e bom mineiro. Eu também adorava visitar a casa dos avós no interior 😉 E isso era o máximo que rolava!

Quando chegou a adolescência, minhas amigas foram para a Disney e NY mas eu era da turma da capoeira, do forró e o que eu queria era Arraial D’ajuda. Quando entrei na UFMG, depois de muito estudo e uma boa dose de sorte, fui para um congresso de Administração no Chile. E esta foi a primeira vez que eu viajei para fora do Brasil. Sozinha e a trabalho – e pronto: eu nunca mais seria a mesma.

A primeira viagem sozinho para o exterior

Nessa viagem conheci pessoas que me contaram de países distantes, culturas novas e de um estilo de vida que eu nem sabia que existia: o de viver viajando. Talvez, em 2005, isso quase não existia mesmo. Lembro que aquela foi minha primeira vez em um hostel, e dos medos que tive naqueles dias. Voltei do Chile decidida a fazer algo com a minha vida.

Eu queria viajar por longas temporadas, então trabalhei durante todo o período que fiz universidade, em mais de um emprego ao mesmo tempo, quando tinha essa oportunidade. Fracassar não era uma opção – a meta era ralar e fazer acontecer (eu era nova gente, cheia de vontade!). Em um certo semestre, quando a data da minha primeira grande viagem se aproximou, comecei a fazer eventos também (e aí era o terceiro turno). Eu sabia que meus pais me ajudariam se eu pedisse, mas não queria pedir uma viagem de “férias”, eu queria independência para “rodar o mundo”. E depois de muito trabalho e correria no curso – tranquei o semestre e fui conhecer o mar mediterrâneo com uma mochila de 12 quilos como única companheira.

Naqueles dias, não tinha skype, facebook, e o salário mínimo era menos de 300 reais. O mundo era outro, mas acredito que alguns de vocês têm idade para saber disso! Lembro que trabalhei de garçonete na primeira ilha grega que morei e achei que meu salário em euros era sensacional! Também fiz alguns trabalhos temporários nas outras ilhas. Tudo que pudesse me dar a chance de continuar viajando….eu fazia. Viajava com muito pouco, economizava, ficava em hostels de até 5 euros a diária (dormia em quarto misto – e dormia de roupa porque se precisasse sair correndo de algum tarado à noite, eu estaria pronta). Lavava pratos em troca de acomodação, se fosse o caso 😉 e fazia feliz.

Nesta primeira viagem, conheci muito bem a Grécia, descobri  a Turquia, me encantei pela Inglaterra e me aventurei pela Escócia. Lembro que vi o ano novo em Edimburgo voar pelos ares em uma noite de virada que teve furacão. Voltei para o Brasil para terminar o curso mas já estava decidida: eu iria voltar para morar na Grécia.

O momento da decisão

E foi isso que fiz, com muito, mas muuuuuuito esforço, gente. Acho que já devia ser parte do meu destino, porque eu era muito obstinada. Como minha família é toda de imigrantes europeus (meus pais são filhos de gregos de italianos e mais lá atrás temos sírios e portugueses na família também), viajar e mudar de país deve estar no meu sangue. Isso facilita na parte dos papéis e na dupla cidadania, mas não facilita na jornada rumo ao desconhecido.

Não gosto de me colocar em uma posição de vítima da vida – eu não sou!! – mas por muito tempo me sentia “uma sobrevivente”. Tive um dos piores empregos da minha vida na ilha grega de Corfu, mas aprendi muito sobre chefes abusivos, homens agressivos e pessoas malucas. Como sempre viajava sozinha, passei por situações tristes e sofridas relacionadas à tentativas de abusos sexuais, mas eu era uma sobrevivente e iria sobreviver. Então eu reagia, lutava, ou corria, fugia. Eu não queria nem pensar em desistir do meu sonho de viajar por causa do MEDO. Aprendi, por questão de sobreviência, a “ler as pessoas” e escolhi melhor os locais e as companhias. Me senti muito sozinha. Eu não contava com ninguém naqueles dias, mas a vida me deu presentes e fiz grandes amigos, muitas pessoas me ajudaram quando precisei. Minhas família veio me visitar algumas vezes quando morava fora e sempre me apoiou mesmo sem concordar com as minhas escolhas.

Perdi parentes queridos enquanto estava na luta para me estabelecer no exterior, e isso dói tanto que nem consigo descrever. Fiquei sem dinheiro e trabalhei em mais um tanto de empregos que eram vistos como “subempregos” mas realmente, nunca me importei. Eu estava aprendendo e tinha clareza que era apenas uma parte da minha jornada. E uma parte bem necessária para criar a força e resistência que eu iria precisar adiante – mas isso só Deus sabia.

Quando abri meu primeiro negócio eu tinha 23 anos e já tinha feito de tudo um pouco (inclusive trabalhado com organização de casamentos – quem diria!). A minha primeira loja em Santorini foi um sucesso e um fardo, que me alegrou e me fez chorar demais. Por questões pessoais, tive que largar tudo na ilha do vulcão e voltar para o Brasil. E aí recomecei de novo – pela terceira vez –  tinha 24 anos e me sentia uma velha cansada e fracassada.

Depois do segundo negócio, veio o tombo, depois do terceiro, mais lições e então abri meu quarto negócio. Todos estavam ligados a viagens, porque esse era meu sonho – viver viajando. Depois do primeiro negócio virtual, veio o segundo, o terceiro, o quarto e o quinto. E já estamos no sexto. Conheci meu marido, que também ama viajar e este é nosso hobby favorito. Noivamos em viagem pela Itália, casamos na Grécia – juntos já fomos para o polo norte e polo sul! E outras tantas viagens maravilhosas!

Depois de escrever mais de 500 posts sobre a Grécia, a paixão virou trabalho sério. Depois de ajudar mais de 200 noivas, veio a primeira noiva que me contratou e hoje somos a empresa que mais faz casamentos em Santorini para brasileiros – temos uma equipe e trabalhamos num ambiente onde sonhar é permitido! E a cada foto linda que vocês verem de mim, lembrem que eu devo ter tirado 200 para postar 1. Em cada registro de viagem maravilhosa que você ver, lembre-se que tem uma menina que já teve síndrome do pânico e medo de voar – mas como vocês já sabem, eu escolho que o MEDO não vai decidir a minha vida. Sou eu, de mãos dadas com Deus, que vou escolher meu caminho.

Este post saiu totalmente fora do que eu tinha planejado compartilhar com vocês (virou um desabafo maluco) mas espero que possa servir de reflexão e inspiração…..

Eu acho que o que que quero dizer é: tentem – tentem o máximo que vocês podem.

É assim que os sonhos se realizam.

E se hoje eu viajo o mundo todo, e tenho a alegria de viver todos os meus verões nas ilhas gregas é porque tem mais de 10 anos que mentalizo isso, mais de 3650 dias que trabalho para isso. Com muita fé, amor e gratidão!

E se você não tem grana e odeia seu trabalho, não desanime: espero que você possa encontrar o seu caminho. Não tem nada que funcione tão bem quanto o desejo vindo da escassez – quando ele vem atrelado ao sonho de ser feliz, feliz de verdade, com aquela felicidade do tamanho do mundo.

Não existe vida fácil – existe gente que não desiste. Desejo que você seja assim 🙂

Dicas-de-Santorini
Dicas de Santorini – Oia pela manhã

Casamento em Santorini: o casamento grego de Beth e Giorgio!

O casamento grego da Beth e do Giorgio foi um evento daqueles que a ilha de Santorini nunca vai esquecer! 😉 E nem meu coração, gente, porque me emocionei muito quando li o depoimento lindo da noiva Beth…! Ah, o amor em Santorini!!

Casamento em Santorini: o casamento grego de Beth e Giorgio!

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Beth e Giorgio

A noiva conta tudo 

“Tudo começou na madrugada de um final de semana enquanto comentávamos de lugares dos sonhos para casar e viajar de lua de mel. O assunto virou Grécia, praias paradisíacas, ilhas românticas e assim tudo levou à pesquisa no Youtube sobre Casar na Grécia!

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Beth e Giorgio

O primeiro vídeo que encontrei e cliquei foi o da Lulu! Ela contava sobre a empresa, o trabalho de Wedding Planner… Adoramos! Naquele segundo, empolgados com a idéia, enviei um e-mail e uma mensagem via inbox no facebook para a Luana: tipo 3 da manhã!

Ela me respondeu logo cedo, no dia seguinte e desde o início me identifiquei super com ela. Quando marcamos o primeiro meeting a sensação foi a mesma, parecia que já a conhecia há anos. Jantamos no Taverna e conversamos tudo sobre planejar nosso casamento em Santorini. Diria que foi um encontro profissional misturado com boas risadas.

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini -Beth, Lulu e Giorgio

Resultado:

 Tranquilidade nos preparativos, excelentes idéias e a segurança de estar em boas mãos. Senti isso no caminho inteiro até o grande dia. Dizem que a noiva fica nervosa, “noivazilla”, “bridezilla” mas do jeito que a Casamento em Santorini cuidou do planejamento para nós, foi leve, maravilhoso e curtimos todas as programações do começo ao fim, tudo ocorreu como o combinado.. Meu marido e eu seremos gratos para sempre pela profissional comprometida que você é, Lulu. Hoje somos grandes amigas. Ela é genial! Determinada, sabe levar um projeto a diante com paixão e transmite essa energia positiva que ela tem de sobra. Foi inesquecível e eu adoraria voltar naquela semana, para reviver esse momento ao lado da família e amigos… Desejamos que você continue com todo o sucesso e talento que é brilhar com Destination Wedding! Milhares de casamentos te esperam, agapi! Obrigada por tudo!

Beth, sua linda, também quero voltar no tempo! Te adoro demais, agapoula! ;)….(tô emocionada até agora….#welovewhatwedo)

Casamento em Santorini: Beth e Giorgio

Agora vamos aos detalhes do Casamento em Santorini da Beth e do Gi!

O making of da noiva foi no hotel Kallisti, em Fira, onde grande parte dos convidados se hospedaram 🙂 Lá é tudo tão branquinho e clean, que é perfeito para realçar os detalhes daquele momento tão especial.

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini: a noiva linda Beth Masmanidis
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini: A noiva linda Beth

Casamento em Santorini: a cerimônia ortodoxa 

Este casamento ortodoxo belíssimo que aconteceu em Santorini foi na Igreja de Anastasis, uma das mais lindas da região de Imerovigli ;). A Beth ficou muito feliz quando descobriu que seria possível casar na Igreja com o mesmo nome da mamys fofa dela (um super beijo, Tácia!) 🙂 E a gente mais feliz ainda, porque a Anastasis fica em uma posição muito privilegiada na ilha de Santorini.

E lá vem o noivo e sua mãe linda, pelas ruelas branquinhas de Santorini……

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini: Beth e Giorgio

E lá vem a noiva! Gente, era muita emoção estampada nos rostos do pai e irmão!

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini: Beth e Giorgio
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini: Beth e Giorgio
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini: Beth e Giorgio

Enfim, casados!! 🙂

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini

Claro que não é tão fácil organizar um casamento ortodoxo em Santorini, né gente?Os nossos noivos foram mega pacientes, compreensivos e eficientes para ajeitar a papelada que precisávamos para o casamento. E é claro, tenho que enfatizar a minha gratidão com nossa parceria exclusiva com a melhor empresa da ilha, a Divine Weddings: então tudo dá super certo sempre!

Ensaio de fotos em Santorini 

Depois de uma cerimônia belíssima, os noivos saíram para um rápido ensaio de fotos  e o resultado foi tão ma-ra-vi-lho-so! A Beth e o Gi arrasaram nas fotos, e a gente que já foi noiva sabe o tanto que é difícil ficar tão deusa assim!  Mas quando o bronzeado, o sorriso, o vestido, o bouquet e claro, o noivo apaixonado entram em uma harmonia especial com o cenário estonteante de Santorini, o resultado é mágica pura! E ainda mais com esse amor todo!

E claro, gente, temos que lembrar que o fotógrafo Ben Rigas e o time do Wedding Stories, também estão na lista dos tops tops de Santorini 🙂 Eles que fizeram a fotografia e cinegrafia (vejam o vídeo imperdível no final do post) do casamento da Beth e do Gi!

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini Beth e Giorgio
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Beth e Giorgio
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Beth e Gi
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini

A festa do Casamento em Santorini

Os convidados animadíssimos seguiram para o Restaurante Pyrgos – um dos mais tops de Santorini, sem dúvida nenhuma – para um jantar maravilhoso  seguido de uma festa de arromba!

A combinação de muita comida grega, quebra de pratos, um dos melhores DJs brasileiros e claro, a energia maravilhosa das famílias e amigos (que é o ingrediente secreto que faz toda a diferença) fez o Casamento em Santorini da Beth e do Gi um dos mais memoráveis do ano! E mostrou que os gregos e os brasileiros (e os gregos-brasileiros, claaaaro) são os povos que mais sabem celebrar o amor 😉 e curtir uma boa festa! Energia sensacional, que dá pra sentir nas fotos 🙂

Casamento em Santorini
Casamento em Santorini: a chegada dos noivos
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini:  a chegada dos noivos
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – Beth e Giorgio
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini -Beth, Lulu e Giorgio
Casamento em Santorini
Casamento em Santorini Beth e Giorgio
Casamento em Santorini
Casamento em Santorin – Beth e Giorgio

Casamento em Santorini: vídeo clipe da Beth e do Gi

Lindo demais! É só apertar play e esperar carregar: cenas do boat tour + making of + cerimônia + festa! Quero ver não chorar… (ainda mais nos 3.50…..)! 🙂 É muita emoção! E que galera animada!

Mais uma vez, fica aqui meu agradecimento para os noivos Beth e Gi e suas famílias, que confiaram no nosso trabalho! A Casamento em Santorini agradece! E quero agradecer também nossos parceiros gregos, Wedding Stories por mais este vídeo emocionante!

 

Casamentos em Santorini 2017!

Queridos leitores,

Neste momento estou na ilha de Santorini, meu lugar favorito no mundo para mais uma temporada de Casamentos em Santorini!

Eu e a equipe do Casamento em Santorini organizamos para este ano casamentos lindos recheados de amor. Muitas noivas lindas, muitos passeios legais e claro, imagens de cair o queixo!

Casamento em Santorini
La Maltese Imerovigli – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
Casamento Camila e Andrey – La Maltese Imerovigli – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
La Maltese Imerovigli – Casamento em Santorini
Andromeda – Casamento em Santorini
casamento_em_santorini (27)
Paula – Santa Irene – Casamento em Santorini
casamento_em_santorini (6)
Beach Party – Theros Wave Bar – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
Makinf off Casamento Beth&Giorgio – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
Entrada do noivo – Casamento Beth&Giorgio – Igreja Anastasis – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
Beth…seu pai e seu irmão – Igreja Anastasis – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
Beth&Giorgio – Igreja Anastasis – Casamento em Santorini

Acompanhe sempre pelo insta @luana_sarantopoulos, pelo face /lulunopaisdasmaravilhas e se tiver mais interessada em casamentos nessa ilha maravilhosa, dê uma olhadinha no @casamentoemsantorini  e face /casamentoemsantorini

Esses dias serão super corridos, mas iremos postar com calma o melhor conteúdo para vocês!

Por enquanto, acompanhem por lá!!!

Beijos!!!!!

Você sabe o que é Elopement e Destination Wedding?

Casamento em Santorini – foto cedida por Divine Wedding

Olá minhas noivinhas e leitores!

O post de hoje é para esclarecer duas expressões que temos ouvido bastante no mundo Wedding. É para as noivinhas que ainda não planejaram nada do seu casamento.

Já ouviram falar dessa hashtag: #elopementwedding – circulando pela web e as redes sociais? Se a resposta é não…Bom, vamos lá! Elopement Wedding é uma expressão dada para os noivos que optaram por um casamento íntimo. Os únicos presentes serão o noivo e a noiva. Rara as vezes, podem ter presença dos pais ou apenas amigos muito próximos do casal.

A ideia inicial é que seja realizado apenas entre os noivos, um celebrante (padre, pastor, juiz de paz, amigo, parente, etc) e um fotógrafo para registrar o momento.

A expressão Elopement Wedding veio da palavra em inglês “elope” que significa “fugir”.

Mas caaaaalma, meninas…não é fugir de casa, do mapa, com um amor de carnaval. Aqui o significado é fugir das complicações e digamos, certas normas e regras que nossa sociedade colocou em uma cerimônia de casamento.

Acredito que toda pessoa já deve ter conhecido uma noiva que já pirou em alguma parte da organização do seu casamento, seja na cerimônia ou na recepção. Uma lista infinita de fornecedores, pensar nas lembrancinhas, cores da decoração, pesquisas de preços e de locais para o evento. Tem ainda a briga eterna entre a família na hora de fazer a lista de convidados, e muuuito dinheiro envolvido em apenas uma hora de cerimônia e geralmente 6 horas de festa…

Talvez, depois disso, os noivos precisam de um descanso de toda essa bagunça e acabam não sobrando grana nem pra lua de mel.

 

Casamento em Santorini – foto cedida por Divine Wedding

Com todos esses “pepinos” dentro de um planejamento de um casamento, muitos casais optam por esse tipo de cerimônia. Resolvem fazer de sua união uma festa apenas para os dois. Parece ser algo muito complexo para a cabeça de muitos. Viemos de uma tradição que o casamento é uma festa mais para família e amigos do que para os próprios noivos. Mas esse novo segmento vem crescendo – e MUITO – no setor de casamentos do nosso país. E diferentemente dos chamados Mini Weddings que podem ter até 100 convidados, o Elopement não passa de 10 pessoas.

Além do gasto ser bem menor que um casamento tradicional, o Elopement Wedding pode se unir ao Destination Wedding.

Calma, vou explicar rsrs…mais uma expressão louca mas também forte nesse meio. O Destination nada mais é do que casar fora do seu local de origem. Por exemplo, se você é de São Paulo e casa na Bahia, ou como nossas noivas que são brasileiras e casam-se na Grécia. Sacaram?!

Elopement e Destination Wedding - Casamento em Santorini
Elopement e Destination Wedding – Casamento em Santorini

Agora que apresentei essas duas expressões, imagina essas duas unidas?

Com certeza podem se tornar uma das maiores e mais incríveis experiências de um casal. E é isso que nós da equipe de Casamento em Santorini trabalhamos com força total! Mas é bom lembrar: muitos casais nos procuram para um casamento íntimo – ou elopement – e já emendam uma super lua de mel pelas ilhas gregas. Também atendemos casais que sonham e tem disposição pra transformar um mega evento de casamento como no Brasil só que lá em Santorini, na Grécia. Claro que o envolvimento financeiro é diferente, mas a experiência para noivos e convidados ficam marcados na memória. É algo fora do comum casar numa ilha paradisíaca!

Os Elopement Wedding e Destination Wedding parecem até uma história de amor de romances literários. Como se fosse um casal de adolescentes fugindo por causa de um amor proibido…kkk bem utópica. Mas a verdade é que vem dando muito certo e já temos dezenas de casais fechados para casamentos em Santorini até em 2019. O que significa que “consideramos justas toda a forma de amor” e de cerimônias!

E se você se interessou por esse tipo de casamento, que além de lindo e romântico, você e seu noivo já emendam aquela lua de mel dos sonhos na Grécia, entre em contato pelo nosso email: casamentoemsantorini@gmail.com

Continue navegando pelo meu blog e veja mais do meu conteúdo espalhado pelas redes sociais como Facebook, Instagram e Pinterest.

Mil beijos!

Karpathos: o paraíso grego fora da rota tradicional

Hoje é dia de post sobre a fascinante e paradísiaca ilha grega de Karpathos!

Karpathos….ah? Oi? Que ilha grega que é essa? E onde que ela fica, Lulu?

Veja as dicas completas neste post aqui!

 Karpathos é o paraíso grego fora da rota tradicional das ilhas gregas famosas!

E apesar de amarmos o combo Mykonos e Santorini, também amamos conhecer ilhas novas com estrutura boa, turismo para todo tipo de viajante, atmosfera relaxante e ainda visual de tirar o fôlego.

dicas-de-karpathos-grecia

Férias é pra relaxar, né gente? E nada melhor do que dar “um pulo” até as ilhas gregas para aproveitar dias de sol no mar mediterrâneo. Mas às vezes as ilhas gregas mais famosas ficam muito muito mas muuuuuito cheias na alta temporada – ou seja – é fila para todo lado, engarrafamento e por aí vai (imagina Búzios no reveillon…só que mais cheio).

Então, pedi para um grande amigo nativo da ilha de Karpathos (esse paraíso escondido nas ilhas gregas do Dodecaneso) para dar algumas dicas para os viajantes que querem conhecer a ilha grega de Karpathos! Bora lá?

O texto abaixo é de Antonis Karanikolas e as fotos abaixo são do Instagram dele! Inspiração e carisma total!! Aproveite para dar uma espiada e começar a seguir o perfil dele, só foto bacana! 😉

Uma das primeiras coisas que alguém tem que decidir, depois de selecionar o destino para passar suas férias, é a época do ano, estação ou mês que pretende viajar. Se o tempo vai ser quente, frio, se o local será lotado ou não, se será mais econômico para ficar sobre esse período e muitos outros parâmetros são importantes na hora de planejar.

Karpathos ilhas gregas (2)

Uma vez que alguém escolhe Karpathos, você vai começar a ler em vários sites muitos comentários e sugestões, pois a ilha é um ótimo destino durante todo o verão.

 Karpathos é perfeito de meados de abril a meados de outubro!

P.S: o verão na Europa, especialmente no Mediterrâneo, dura de meados de abril a meados de outubro. E  é claro que, como nas ilhas gregas mais famosas, Karpathos também fica  cheio em julho e agosto, mas isso não significa que os serviços ficam muito mais caros.

Karpathos ilhas gregas (3)

 Karpathos é uma das maiores ilhas gregas, ou seja, os turistas ficam espalhados e a ilha não fica tão lotada!

O ponto positivo é que, devido ao grande tamanho da ilha (9 º maior na Grécia),  mesmo nos meses da alta temporada (e milhares de turistas), Karpathos não parece tão lotado, pois os turistas estão espalhados em toda a ilha. A maioria dos viajantes ficam na capital da ilha, também chamada de Karpathos (embora os habitantes locais chamem Pigadia), mas há outros lugares, como Ammoopi, Arkasa, Lefkos, aldeia de Olympos e vila de Diafani, também são lugares onde os turistas ficam durante suas férias.

Assim como existem segredos para cada lugar, há alguns segredos para Karpathos também. Se você perguntar a maioria dos moradores locais qual é o melhor momento para alguém visitar a ilha, você provavelmente não vai ouvir o que você espera (julho e agosto).

Karpathos ilhas gregas (3)

Então leia os segredos de Karpathos para descobrir qual a melhor época para visitar a ilha!

Eu prefiro Karpathos em Junho e Setembro e existem várias razões para minha opinião. Vamos enumerá-las:

  1. Os profissionais e empresários (proprietários de restaurantes, bares etc) dirão que podem oferecer melhores serviços nos meses fora da chamada ” alta temporada ”, como junho e setembro, porque o turismo durante esses meses não são tão intensos . Então, eles têm mais tempo para atendê-lo melhor e não são esgotados pela fadiga (só para esclarecer, a “alta temporada” é Julho e Agosto)
  2. Como mencionado anteriormente, um parâmetro muito importante para escolher o tempo que você vai fazer uma viagem é o clima. Karpathos é o quarto lugar da Grécia com a maior média anual de ventos com maior intensidade. De fato, muitas vezes as corridas de windsurf ocorrem aqui devido a ventos fortes e pelas longas praias disponíveis. Os nativos vão dizer (e não há nenhuma resposta garantida sobre o vento) que os melhores meses para visitar é junho e setembro, talvez setembro está ganhando com alguns votos a mais.
  3. A ilha é conhecida por suas tradições puras. Não se esqueça que, mesmo hoje em dia, há Olympos, uma aldeia muito tradicional, onde as mulheres vestem até hoje seus trajes tradicionais. Então, se você tiver sorte o suficiente para estar em um festival em junho ou setembro, ele será todo seu! A verdade é que o maior festival da ilha acontece em 15 de agosto e comemorado em algumas aldeias (como em Olympos também), mas você não pode desfrutar muito por causa da multidão. Karpathos ilhas gregas
  4. Você nunca terá que esperar em filas. Sim, no verão na Grécia você vai ter que esperar na fila no caixa eletrônico, no banco, talvez em um restaurante para comer … Não se preocupe com isso, é por isso que estamos aqui para, para ajudá-lo. Durante junho ou setembro, você provavelmente não terá que esperar em filas.
  5. Nos últimos anos, muitos de nós estão lidando com a fotografia. Amadores, com sua câmera, ou o smartphone, nós nos tornamos uma espécie de fotógrafos. Mais uma vez, não tenho certeza de que em julho e agosto você será capaz de tomar o que quiser, como você quer … As praias estão lotadas, as ruas estreitas ou caminhos nas aldeias terá sempre outras pessoas também e onde você parar. Para apreciar a vista, você estará provavelmente com alguma outra pessoa …
  6. As praias! As praias da ilha e a aldeia Olympos, são os locais mais atraentes e importantes. Embora Karpathos tenha mais de 80 praias acessíveis, com tristeza temos de informá-lo que em julho e agosto, você não vai encontrar mesmo um que não tem sequer alguns turistas. Muitas vezes, eles são despertar das 07 para alugar uma espreguiçadeira na praia. Isto significa que você não será capaz de conseguir uma cadeira, mas vai ter que se sentar na areia. Isso é permitido na Grécia, mas às vezes é um pouco cansativo. Portanto, se você imaginar que uma praia será sua (ok, quase sua), se você quiser as manhãs durante as suas férias para acordar um pouco mais tarde, então você deve pensar novamente se a vir para a ilha em julho ou agosto. Karpathos ilhas gregas (1)
  7. Outra questão importante é a disponibilidade. Quer se trate de alojamento (hotéis, quartos, etc) ou carros para alugar (nem sequer falar sobre valores, mas apenas para a disponibilidade) na altíssima temporada é mais complicado. Como escrevemos acima, a ilha é grande o suficiente para alugar um carro (se você é turista independente)e provavelmente em junho ou setembro você vai encontrar mais opções para alugar alojamento, para aluguer de automóveis. Já em julho e agosto você realmente não pode encontrar de tudo, e também será difícil com qualquer coisa que precise de reserva antecipada.
  1. Finalmente, a questão financeira é sempre um fator importante para determinar a duração final do nosso feriado. Na medida em que a altíssima temporada para visitar a ilha é julho e agosto, isso significa que os hotéis vão custar cerca de 20% mais barato em outras épocas. A verdade é que nos últimos anos, mais e mais visitantes sabem sobre os aspectos positivos de setembro, especialmente os turistas que vêm várias vezes e visitaram Karpathos no passado. Assim, os preços em setembro vem subindo, mas você ainda obtém todos outros benefícios!

Então imagine que você está em uma ilha com dezenas de praias que você pode mergulhar nas águas cristalinas azuis e é quase interiamente sua (junho – setembro). Onde a água é completamente tranquilo, absolutamente sem vento (setembro) e, em seguida, vá confortavelmente comer sua refeição tradicional grega na taverna mais próxima. As cores no céu serão mais doces eo pôr do sol mágico (setembro). Você pode encontrar moradores locais e tirar fotos das senhoras de idade em trajes tradicionais (junho – setembro).

Se você gostou dos comentários, pense bem! Talvez os meses mais adequados para você são junho e setembro!

Karpathos ilhas gregas (3)

Gostaram do post?? Eu amei as dicas que o Antonis compartilhou com a gente!! Bora para Karpathos??

O primeiro Casamento em Santorini de 2017 (no inverno!)

Olá queridas noivinhas e queridos leitores!

Hoje vou falar do primeiro Casamento em Santorini de 2017!

 Em janeiro de 2017 eu fui para a Grécia para uma missão super especial: acompanhar o primeiro Casamento em Santorini de 2017: o casamento da Fernanda e do Marcelo! E olha só, este casal super especial escolheu casar no começo do mês de fevereiro 🙂 então foi um casamento em Santorini, no inverno, acreditam? (quer saber mais sobre Casamento em Santorini? Clique aqui!)

casamento em Santorini (6)
A gente passeando pela Praia Vermelha, em Santorini! Fernanda e Marcelo, Casamento em Santorini – Foto de Ben Rigas

Mas peraí, Lulu, dá pra fazer Casamento em Santorini no inverno?

Em situações normais, não. Nós batalhamos bastante para convencer nossos parceiros na ilha de Santorini pois aquela época do ano era a única possível para o casal e sua família e claro, contamos com o apoio sempre impecável da nossa parceira Divine Weddings. Aí gente, com muita determinação da família, dos noivos, e dos nossos parceiros, tudo deu super certo. E foi um Casamento em Santorini daqueles mega emocionantes 😉

casamento em Santorini (8)
Fernanda e Marcelo, Casamento em Santorini – Foto de Ben Rigas

Vou compartilhar com vocês algumas fotos e relatos dos bastidores (ou seja, do meu celular kkkk) deste casamento em Santorini, afinal estamos aguardando ansiosamente as fotos e os vídeos oficiais da equipe do Ben Rigas, do Wedding Stories. E só para vocês terem uma noção do que vem por aí….olha esse teaser animal e mega emocionante feito com o drone!

Nem o frio, nem o vento, nem as dificuldades do caminho….(que não foram poucas) NADA, absolutamente NADA é tão forte quanto o amor em Santorini! Deus no comando, sorriso no rosto, fé no destino e alegria na jornada – foi assim que começou a temporada de casamento em Santorini de 2017!

Eu só tenho que agradecer: primeiramente a Deus, por me acompanhar até aqui (no meio do inverno mais rigoroso dos últimos 100 anos), agradeço aos nossos amigos profissionais de Santorini, que fazem tudo para ver uma noiva feliz, a essa família corajosa da Fernanda e do Marcelo, carismática e determinada, que não deixou a peteca cair, nem por um minuto! Obrigada!!!!!!! Efharisto para poli, Santorini!!!

E hoje vamos ver algumas fotos do “backstage”, por trás do sonho que foi a união desse belíssimo casal! Foi um prazer organizar o momento mais importante da vida deles e de seus parentes queridos!

casamento em Santorini (91)
Olha eu aí! 😉 Fernanda e Marcelo, Casamento em Santorini – Foto de Ben Rigas
casamento em Santorini (62)
Selfie as 7 da manhã 🙂 Fernanda e Marcelo, Casamento em Santorini – Foto de Ben Rigas

casamento em Santorini inverno 3

Apesar do frio e do vento em Santorini, tivemos muita alegria e boas risadas com essa turma super contagiante. Confira abaixo algumas fotos oficias do ensaio externo e do making of, com o super fotógrafo de casamento em Santorini, Ben Rigas (vem muito mais por aí!):

casamento em Santorini inverno 3
Muito amor!Fernanda e Marcelo, Casamento em Santorini – Foto de Ben Rigas
casamento em Santorini inverno 3
Fernanda e Marcelo, Casamento em Santorini – Foto de Ben Rigas
casamento em Santorini inverno 3
O noivo e o best man 🙂 Fernanda e Marcelo, Casamento em Santorini – Foto de Ben Rigas
casamento em Santorini inverno 3
A noiva e a mãe – lindas!! 🙂 Fernanda e Marcelo, Casamento em Santorini – Foto de Ben Rigas

E depois de toda essa linda jornada do casal Fernanda e Marcelo em Santorini, foi um grande prazer e realização receber um depoimento do pai da Fernanda, o Cyro:

Querida Luana Sarantopoulos Bergamaschi boa noite! Somente agora pude parar um pouco para escrever-lhe. Como pai da noiva mais linda de Santorini, preciso deixar aqui meu agradecimento pelo excelente trabalho que você realizou. Trabalhamos juntos por exatos 365 dias, quando assinei um contrato de consultoria e assessoria com você. Seu apoio na organização do casamento garantiu tranquilidade, confiança e perfeição na execução do sonho da nossa família. Você e sua equipe nos acompanharam durante toda a nossa jornada com tanto carinho que conseguimos superar todos os desafios que surgiram. Sua ajuda, conselhos e orientações fizeram toda a diferença. Obrigado por nos ajudar a conhecer os encantos de Atenas e Santorini pelas suas lentes singulares. Queremos aqui destacar trabalho excepcional e impecável de seus parceiros Maria Lucia Sarantopoulos Bergamaschi , Joy Iliacopoulos, Ben Rigas, Tzoum Taratatzoum, Frank Kotsos e Fotini Gkiniou. Amamos vocês!!!

Ainda temos muuuuitas fotos lindas da cerimônia e do ensaio externo para mostrar à vocês, porque babaos nolhar do fotografo Ben Rigas. Mas o post de hoje, além de mostrar um pouco do que foi esse casamento de inverno por trás das lentes, também é para agradecer mais uma vez pela confiança do casal Fernanda e Marcelo e toda a família e colaboradores para que esse sonho fosse realizado!

Gente, nem só de verão vive Santorini né?! Nossa bela ilha grega sabe ser linda e surpreendente até em baixas temperaturas! Quer saber mais sobre Casamento em Santorini? Clique aqui! Ou mande um email para casamentoemsantorini@gmail.com 🙂 

Mil beijos!

10 passeios imperdíveis para fazer na Patagônia!

Queridos amigos!

Este ano tem sido uma jornada e tanto para mim 🙂 Muitas viagens e muito trabalho (amém!), e pouco tempo em terra firme para colocar a vida em dia. Acabo de voltar de viagem da Argentina e tenho dicas de passeios imperdíveis para fazer na Patagônia. Não importa se você é do tipo que curte  disposição e aventura ou se você é do tipo vi-tirei foto-comi bem-tô feliz 🙂 Existem várias opções de passeios na Patagônia para todos os tipos de viajantes!

o-que-fazer-na-Patagonia-(19)

O que você precisa saber sobre a Patagônia

Abaixo farei a lista dos 10 passeios mais legais que a gente fez em 12 dias de viagem pela Patagônia Argentina (então se você quer ir direto ao  ponto, vá direto para a lista embaixo do título “10 passeios……”). Mas antes de mais nada quero dizer que a gente viaja bastante, durante o ano, para vários lugares diferentes, mas que procuramos a Patagônia porque queríamos unir natureza com conforto.

No ano passado, conhecemos a Islândia e foi uma das viagens mais lindas da minha vida (para ver a série de posts acesse aqui), então a gente queria ir para outro destino inóspito e gelado, no estilo “pouca gente e muita natureza”. Como a gente mora com mais umas 20 milhões de pessoas em São Paulo, curtimos férias em lugares vazios 😉 E a Patagônia foi o destino ideial, porque além de uma ou outra “cidadezinha base”, só se vê a natureza exuberante (às vezes deserto, às vezes gelo e às vezes bosque) ocupando cada metro dessa região do mundo.

o-que-fazer-na-Patagonia-(67)

Importante: a tentação de querer conhecer vários locais (fazer a Patagônia Argentina e a Chilena, fazer a Patagônia Atlântica e a Andina, alugar um carro ou uma moto ou uma bike por um mês e conhecer cada cantinho da Patagônia) É ENORME. Mas na prática, se você tem poucos dias (a gente tinha doze dias) não ouse fazer tanta coisa, pois as distâncias são enormes e o clima é muito instável, ou seja, planos vão por água abaixo a todo instante. É bom ter pelo menos três dias em cada lugar para poder aproveitar os passeios mais interessantes da região.

Mais importante ainda: fomos no verão, em fevereiro, e mesmo assim é frio pacas. Mesmo quando as temperaturas sobem, tipo 10 graus, o vento gelado faz a sensação térmica cair para zero ou menos ainda. Leve muita roupa de frio, casacos impermáveis e botas de caminhada,

Como escolher onde ficar na Patagônia?

Nós queríamos, basicamente, fazer alguns passeios diferentes mas sem perder horas em vôos ou estradas. Então escolhemos dois pontos principais e fizemos a nossa programação ao redor deles. As cidades escolhidas foram: Ushuaia e El Calafate.

Ushuaia – a cidade que fica mais ao sul do mundo (Fin del Mundo)

É do Ushuaia que saem todos os navios, cruzeiros e expedições rumo à Antártida! Nós nos empolgamos demais com a ideia e tentamos pegar um “last minute deal”, já que é oferecida alguma promoção para estes cruzeiros em cada esquina de Ushuaia. Só que os preços começam a partir de 6 mil dolários por pessoas (ai!) e o cruzeiro de menor duração dura 10 dias… Ficou para a próxima!

passeios-para-fazer-na-patagonia

Ushaia é uma cidadezinha bem simpática, simples e relaxada, onde se vêem mochileiros e viajantes por todos os lados. A rua principal é a San Martín, onde ficam os restaurantes, lojas, bancos e tudo mais que você pode precisar. Não se iluda achando que vai comprar roupa de frio barata lá, é tudo “meio/muito caro”, afinal Ushuaia é longe pra burro de tudo que é lugar (quatro horas de vôo de Buenos Aires, hello) e depois dali, é só o pólo sul (adoro essa ideia! kkk). As únicas coisas mais em conta são comida e bebida, eba, muito vinho bom em ótimos preços!

Ficamos seis dias em Ushuaia, nos hospedamos no Las Hayas Resort, alugamos um carro e amamos tudo por lá! Se quiser saber mais sobre Ushuaia, veja o meu vídeo com dicas no Youtube)

Como já mencionei, chegamos em Ushuaia por um vôo que veio de Buenos Aires (quatro horas de viagem). Depois, fomos de avião de Ushuaia para El Calafate (foi pouco mais de uma hora de viagem).

El Calafate – a cidade que fica próxima ao Glacial Perito Moreno

A cidade de El Calafate também tem uma rua principal chamada San Martín, com lojinhas, bancos e restaurantes. A primeira vista, ela parece mais bem cuidada e “mais rica” do que Ushuaia, e quando vi os preços dos passeios tudo fez sentido para mim! Preços salgadinhos para os passeios, para as entradas nos parques e por aí vai…mas ó, beleza igual aquele canto do mundo eu nunca vi, então a gente gasta com gosto 😉 kkkk

o-que-fazer-na-Patagonia-(78)

Ficamos quatro dias em El Calafate e nos hospedamos fora da cidadezinha em um super hotel na frente do Lago Argentino (Design Suites Calafate, tinha uma spa também 🙂 ). Como a gente queria sossego (e o táxi não era caro), a distância não foi um problema. Além do mais, a maioria dos passeios já têm incluído transfers de ida e volta, assim eles buscam e entregam os turistas nos respectivos hotéis.

El Calafate é a cidade base para conhecer o Glacial Perito Moreno, mas se liga que o Glacial está dentro do Parque Los Glaciares (que tem uma série de passeios massas) que está a uma distância considerável da cidade, assim todos os passeios duram o dia inteiro (só para ir e voltar é uma hora e meia ou mais, cada trecho). Mas o visual é maravilhoso então nem dá para sentir a distância – só não dá para programar fazer vários passeios no mesmo dia sem ficar exxxxxausto.

Em El Calafate não alugamos carro, contratamos os passeios com transfers porque em muitos locais o acesso para carros era limitado. Então agora que você já entendeu a base para os passeios, finalmente, vou falar dos….

10 passeios imperdíveis para fazer na Patagônia!

1) Parque Nacional Tierra del Fuego

Cidade Base: Ushuaia

Comentários: Nós visitamos este parque por dois dias, porque tinha bastante coisa legal para ver e fazer: várias caminhadas curtas e relativamente fáceis,  o trem do Fin del Mundo, os locais para acampar, as lagoas verde e negra, cenários bem característicos da Patagonia, o correio do Fin del Mundo (e o carimbo para seu passaporte), a placa do  final da Rota 3 e uma empanada de carne que eu adorei.

Uma boa ideia é visitar de carro porque dá para passar o dia descobrindo as belezas do local. Quem estiver animado pode fazer uma das rotas a pé (a mais fácil é em torno de 2 horas e meia caminhando) e é super tranquilo porque o Parque tem excelente sinalização.

Lá é muito lindo e mega relax!

passeios-para-fazer-na-patagonia1

o-que-fazer-na-Patagonia-(22)

o-que-fazer-na-Patagonia-(10)

o-que-fazer-na-Patagonia-(24)

2) Passeio de veleiro pelo canal de Beagle (isso, pinguins!!!!!)

Cidade Base: Ushuaia

Comentários: para mim, “andar” de barco já é a atração em si. Mas este passeio no veleiro Paludine foi uma aventura a parte! Por causa do vento frio, a gente usou aquelas roupas amarelas de marinheiro por cima da nossa roupa e o staff super legal do veleiro sempre trazia chocolate quente, chá ou café. O vento, quando batia com vontade, empolgava a gente no veleiro, mas tem que gostar de velejar para se divertir, né?! Para quem quer algo mais tranquilo, existem passeios em barco maiores, para até 300 pessoas.

Ponto alto: os pinguins e os lobos marinhos!

Esse passeio, seja de veleiro ou outros barcos, é um dos mais legais da viagem! Imperdível!

o-que-fazer-na-Patagonia-(89)

o-que-fazer-na-Patagonia-(97)

passeios-para-fazer-na-patagonia 2

3) Caminhada até a Lagoa Esmeralda

Cidade Base: Ushuaia

Comentários: Não, não é parecido com algo que você já viu na vida. A “Laguna Esmeralda”, com certeza, entrou para a minha lista de top 5 lugares mais lindos que já vi. A caminhada é de quase 9 quilômetros ao todo  (contando ida + volta) e nós pegamos muita mas muuuita lama no caminho. Ainda assim, fomos um dos primeiros a chegar no local e a paz que eu senti quando vi esta lagoa é uma das coisas que nunca vou esquecer. A caminhada é de dificuldade média (eu achei média-difícil 😉 )

Dica: vá de manhã cedo, comece a caminhada em torno das 8 da manhã e leve um snack para a hora do descanso.

o-que-fazer-na-Patagonia-(28)

o-que-fazer-na-Patagonia-(31)

o-que-fazer-na-Patagonia-(36)

4) Caminhada para o Glacial Martial

Cidade Base: Ushuaia

Comentários: A gente já estava hospedado em um hotel que era no caminho do Glacial Martial, então não podíamos perder a chance de dar uma espiada. Fomos de carro até o pé da montanha, onde tem um estacionamento, algumas lojas de souvernis e uma casa de chá 😉 e de lá começamos a subida a pé. A vista do Glacial é bem bonita e a vista do Ushuaia do alto é estonteante.

Na foto não parece, mas a subida é bem puxada. É bom ir no começo do dia e reservar umas três horas, no mínimo, para ida e volta.

o-que-fazer-na-Patagonia-(100)

5) Ir até o ponto mais alto de Ushuaia para ver o nascer do sol

Cidade Base: Ushuaia

Comentários: show da natureza!

o-que-fazer-na-Patagonia-(102)

6) Nativo tour + jantar na caverna

Cidade Base: El Calafate

Comentários: este passeio foi animal! Existem duas opções: fazer com almoço ou jantar, nós fizemos no final do dia e comemos o jantar na caverna 🙂 Basicamente, é um passeio de jeep para dentro de uma área que parece um deserto (mas que está do lado do Lago Argentino) até que encontramos as pinturas rupestres nas cavernas. O guia era muito empolgado e explicou tudo sobre as civilazações antigas da Patagônia enquanto caminhávamos e observávamos as pinturas originais. No final da caminhada, chegamos em uma caverna grande onde o delicioso jantar (ensopado de cordeiro +mousse de chocolate) foi servido de uma maneira “nativa”, saindo de um caldeirão 🙂 vinho liberado e atmosfera super animada!

o-que-fazer-na-Patagonia-(38)

o-que-fazer-na-Patagonia-(43)

7) Caminhar ou dirigir por uma parte da Costanera

Cidade Base: El Calafate

Comentários: a minha sugestão é basicamente andar ou dirgir em torno do Lado Argentino, na Costanera, e parar onde der vontade. Se estiver a pé, cuidado com o vento. Se estiver de carro, leve um vinho (#sópensanisso) e alguns snacks. O visual é lindo, é bem vazio e super relaxante.

o-que-fazer-na-Patagonia-(44)

8) Cruzeiro Gastrônomico pelos rios de gelo (Glacial Upsala e Spegazzini)

Cidade Base: El Calafate

Comentários: Um dos pontos altos da viagem  – já viram que eu amo barco, né?! Escolhemos o cruzeiro gastronômico porque eu e meu marido curtimos gastronomia, mas existe uma outra opção de passeios mais econômica (sem a parte grastronômica, é claro) que faz uma parte dos rios de gelo. Então, a gente escolheu a opção mais top e este foi o passeio mais caro da viagem, em um barco confortável, com um menu delicioso e vinhos excelentes. Amamos!

Mas é claro, né gente, que a parte mais impressionante do passeio é a natureza ao redor. Os não tão famosos Glaciais Upsala e Spegazzini (vocês sabem, neste Parque Los Glaciares, o Glacial Perito Moreno é o famosinho) são gigantes, bem maiores que o Perito e eles são muito show! Então uma boa parte da navegação é assustadoramente acompanhada com icebergs gigantes e muitas informações bacanas sobre a região. O passeio dura o dia todo e é fantástico 🙂 E eu sou super empolgada kkkk

o-que-fazer-na-Patagonia-(52)

o-que-fazer-na-Patagonia-(65)

o-que-fazer-na-Patagonia-(104)

9) Passeio pelas passarelas  para ver o famoso Perito Moreno

Cidade Base: El Calafate

Comentários: Esta é a versão light de passeio para ver o Glacial Perito Moreno, dentro do Parque Los Glaciares. Existem várias rotas nas plataformas de caminhada, de pequena e média dificuldade, algumas partes são acessíveis para cadeirantes, ou seja, todo mundo consegue dar uma espiadinha para ver essa belezura aí. A caminhada toda deve demorar em torno de 2 a 3 horas, é tudo muito bem sinalizado e existem restaurantes e cafés e ainda uma área de pic nic, próximas ao estacionamento.

o-que-fazer-na-Patagonia-(1)

o-que-fazer-na-Patagonia-(74)

10) Trekking no Glacial Perito Moreno

Cidade Base: El Calafate

Comentários: Se você ama gelo e quiser algo mais aventureiro, a minha sugestão é fazer o trekking no Glacial (tem a versão “mini treking”e a versão “Big Ice”, o que muda é quanto tempo você fica no Glacial). Nós fizemos o mini trekking, que já é mega intenso pois o passeio começa as 8 da manhã e termina as 7 da noite. Depois das caminhadas na plataforma do Perito, da travessia de barco para o “lado de lá” e algum tempo para colocar as botinhas de gelo, finalmente começa o trekking em cima do Glacial Perito Moreno. Eu pirei: teve frio, chuva, vento, sol, cansaço, alegria e uma bebidinha com gelo do glacial no final 😉 Foi demais!

Dica: se você tem algum preparo físico e não tem problema de joelho, dá pra aguentar. Os tours tem ainda restrição de idade e é você que tem que levar seu almoço (lunch box), mas os hotéis preparam uma marmitinha top!

Para mim, foi o melhor passeio da Patagônia! É muito impressaionante!

o-que-fazer-na-Patagonia-(88)

o-que-fazer-na-Patagonia-(88)

o que fazer na Patagonia (82)

Espero que vocês tenham curtido as dicas dos passeios imperdíveis da Patagônia! Tentei mesclar um pouco de tudo que achei especial nessa viagem fantástica até o sul do mundo! Qualquer dúvida ou contribuição, podem escrever 🙂 Até a próxima, leitores! Ah, e o videozinho com dicas do Ushuaia está aqui:   Beijos!!

Parando para refletir – e aproveitando para criar um mundo melhor: my café com leite!

Um café para você, um leite para uma criança.

(Gostaram da ideia? Esta é a iniciativa do time da My 😉 e eu faço questão de contribuir com a causa e chamar todos vocês para participarem também!!!! Para entender melhor, leia abaixo!)

Café com leite é uma mistura perfeita e muito aconchegante, não é mesmo? Lembra equilíbrio. Lembra coisas que se complementam. Juntas ou separadas, essas bebidas despertam paixões. Afinal, para quem ama café, ele é tão vital quanto o leite para uma criança.
Ao comprar nosso kit de cápsulas, você ajuda a My virar realidade e nós doamos leite para quem precisa.

GOSTEI! QUERO CONTRIBUIR

Muito prazer, nós somos a My.

Não somos apenas uma marca de café em cápsulas. Somos empresa feita por pessoas que acreditam no seu poder de conquistar o que quiser. E por acreditar que é sempre possível ser mais, lançamos a campanha My – Café com Leite, na qual você compra um kit de cápsulas de café e a gente doa litros de leite para crianças que precisam.

Por que a My é diferente?
Fazemos cápsulas compatíveis com o sistema Nespresso, mas o nosso propósito é diferente de tudo que está por aí. Nossos blends são inspirados nos seus momentos de vida: desafios (My Power), mudanças (My Turn), estabilidade (My Harmony) e bem estar (My Time). Com isso, queremos que nossos produtos sejam um incentivo para você conquistar sua melhor versão, não importa em que fase esteja ou o que você busca.
E nós, o que buscamos? Ah, sim. Viemos para contribuir, para compartilhar, mas principalmente para questionar. Ao contribuir com a nossa campanha de lançamentovocê também estará financiando o nosso projeto de cápsulas mais sustentáveis.

Sirva-se e sirva! 
Nesta corrente do bem o prazer de viver é saboreado por todos.