10 motivos para amar Mykonos

Queridos leitores,

estou de volta no Brasil e vocês sabem o que isso significa: hora de organizar as fotos das últimas viagens e escrever os posts mais carinhosos e informativos para vocês 😉

Mais uma vez, tive a oportunidade de passar o verão nas ilhas. Agradeço a Deus todo dia pela minha vida e pela chance de viver entre Santorini e Brasil 🙂 E no último verão, além de visitar Santorini e outras ilhas, voltei para a ilha de Mykonos por mais uma vez.

A sensação da chegada em Mykonos é sempre a mesma: que energia fantástica, eu quero ficar aquiiiiiiiiii!

Mykonos o que fazer (18)
Mykonos, a chegada

Se você acha que Mykonos é só balada, descubra aqui que é muito mais! Se você busca um post com mais informações sobre Mykonos, dicas do que fazer em Mykonos e ainda se você não tem certeza se deve ou não incluir Mykonos na sua viagem pela Grécia, leia aqui: Ilha de Mykonos, vou ou não vou?

E o post de hoje é a minha lista com 10 motivos para amar Mykonos!

Espero que ele sirva de incentivo para que você marquem a viagem até a Grécia e às ilhas gregas! Bora lá?

Motivo número 1) , na minha lista sobre o que eu amo sobre Mykonos:

As praias!

Se toda vez que você pensa em ilhas gregas você se imagina nadando em águas claras, caminhando por areias brancas….BINGO! Você vai amar as praias de Mykonos, pois a costa da ilha toda está cheia de praias maravilhosas com uma super estrutura. E claro, as praias de muitas outras ilhas gregas também são de areias brancas e de mar verde esmeralda, mas é bom deixar claro que a nossa queridinha Santorini não tem praias de areias brancas!

E o combo paraíso natural + super estrutura faz de Mykonos uma das ilhas mais visitadas todos os anos!

Mykonos o que fazer (19)
As praias de Mykonos
Mykonos o que fazer (17)
As praias de Mykonos

Motivo 2) para amar Mykonos:

“Little Venice”

Mykonos o que fazer (4)
Little Venice, em Mykonos

Isso, aquela foto do cartão postal que você já viu. As casinhas beijando o mar, os restaurantes que servem um pouco de tudo e principalmente frutos do mar frescos, ah e claro, o vinho no pôr do sol….. 😉 Nós amamos a Little Venice!

Motivo número 3) para amar a badalada Mykonos

A cidadezinha de Chora

As ilhas gregas “têm essa mania” de ter cidadezinhas fofas que os locais chamam de Chora! Também conhecida como Mykonos Old Town, Chora é um conjunto de ruelas e casinhas brancas, pequenos hotéis, cafeterias e restaurantes, lojinhas de souvenirs e baladas – só que eleva isso a milésima potência em termos de charme e de sofisticação = Chora é a tradicional cidadezinha de ilha grega, só que com a cara (e o preço) de Mykonos.

Mas cuidado, a cidadezinha é um labirinto e é super super fácil se perder e passar mil vezes na frente da mesma loja até achar o seu caminho de volta. E isso é parte da diversão (ainda mais se a gente já “tomou uns golo e já está mais prá lá do que prá cá…).

Mykonos o que fazer (12)
Vista do meu quarto, Chora
Mykonos o que fazer (2)
Vista do meu quarto, Chora

Motivo número 4) para amar a Mykonos dos cartões postais

Os Moinhos

Sim, eles são demais. E a vista de lá é dez também. De perto, eles são ainda mais lindos!

Mykonos o que fazer (3)
Moinhos, em Mykonos

Motivo número 5) para amar Mykonos

A cor das águas

Não tem como ignorar o fato de que as ilhas gregas cíclades são um paraíso natural pra lá de abençoado. A cor da água, geeeeeente, a cor da água é uma coisa que sempre me impressiona em Mykonos. Sabe aquela que a gente fala: “a água era transparente!”…? Pois é, isso nas ilhas gregas é lei. Em Mykonos, ela é transparente e ainda azul turquesa/verde ou algo assim 😉

Mykonos o que fazer (1)
Praias de Mykonos

Motivo número 6) para visitar Mykonos

O fácil acesso!

Mykonos o que fazer
Cruise Map, Mykonos

Você pode chegar de barco direto de Atenas, em uma viagem relativamente curta. No verão, são muitos voos que chegam da Europa toda 😉 E quase todos os cruzeiros passam por lá. Motivo número 7) para colocar Mykonos na sua wishlist:

O pôr do sol é um super evento.

Eu sou um pessoa obcecada por pôr do sol. E faço questão de assistir o espetáculo do sol se pondo todos os dias (possíveis) da minha vida – ainda mais nas ilhas gregas! Então posso falar que o pôr do sol em Mykonos é um show a parte. E dá para escolher onde assistir, são várias opções que vão atender todos os bolsos e gostos.

Mykonos o que fazer (2)
Pôr do sol em Mykonos

Motivo número 8) para amar Mykonos:

O céu após o por do sol é inesquecível.

Para, respira, agradece a Deus e segue em diante. Sua vida nunca mais será a mesma!

Céu em Mykonos

Motivo número 9) para amar Mykonos

A atmosfera de liberdade

Aquela ideia “quer ficar pelado, fica – quer ficar de roupa, OK” é uma fator que me faz curtir a atmosfera de Mykonos. Não que eu caminhe pelada por aí, mas gosto da ideia de vários seres humanos em uma praia e cada um curtindo da maneira que mais lhe agrada 😉

Mykonos o que fazer (14)
Eu, feliz da vida, em Mykonos 🙂

Motivo número 10) para amar Mykonos

As Baladas

É lá que você vai poder participar de muitas das festas mais sensacionais das ilhas gregas! Se você curte “o dia”, os beach bares da famosa Paradise e da Super Paradise são seu destino. Se você curte “a noite”, opções também não vão faltar.

Queridos, tudo que escrevo aqui é fruto da minha experiência, ok? Não sou especialista de viagem em Mykonos e nem pretendo afirmar que o que disse aqui é tudo sobre o assunto. Só penso em dividir um pouco do que aprendo pelas minhas viagens e espero inspirar todos vocês para este destino maravilho:  Mykonos e as ilhas gregas! Se quiserem comentar e acrescentar dicas, sejam bem vindo!

Mil beijos!

Mais informações sobre Mykonos aqui.

Viagem para Itália: 10 looks para colocar na mala!

 

Viagem para Itália: 10 looks para colocar na mala!

Uma das coisas mais gostosas é montar a mala de uma viagem super especial! Especialmente, quando a gente tem tempo para planejar os looks com calma 🙂

Uma viagem para a Itália significa algumas coisas na minha cabeça: comida boa, lugares lindos,  vinhos especiais e looks cheio de estilo! E já que a Itália respira moda, que tal aproveitar para usar alguns looks inspirados e diferentes?

A idéia te agrada? Então bora lá! 😉 Vamos andar no estilo pelas ruas da Itália 🙂 Mas primeiro a gente tem que montar uma mala que facilite as escolhas dos looks e claro, que seja de um tamanho que você consiga carregar por aí.

Tarefa difícil, mas não impossível. EU que vivoooooo viajando (o máximo que fico em casa é um mês no ano! kkkk) já aprendi algumas técnicas práticas e até divertidas (para quem curte moda). É um jeito bem pensado de fazer as malas, e o tempo que você investe para planejar a mala da viagem pela Itália você ganha enquanto estiver viajando.

E para facilitar, usar a cabeça para fazer a mala é uma ótima maneira de não levar um tanto de tranqueira que você não vai usar e que pesa uma tonelada!

O que vestir viagem para Itália 4
o que levar na mala para a Itália

Assim, é legal criar uma ordem na hora de montar a mala para a Itália!

1) pesquise muito e salve imagens de looks que te inspiram;

2) “dê uma geral” no armário e veja o que é útil;

3) experimente tudo que puder e só separe o que serve perfeitamente;

4) monte os looks e fotografe;

5) organize a mala com os looks já montados;

6) capriche nos acessórios 😉

***** Importante: aproveite para doar para quem precisa as roupas que você não quer mais! 😉

Mala pronta: 10 looks que eu usei na minha última viagem pela Itália!

Amei amei amei a combinação de inspirações que usei nessa viagem. Cool, relax, fashion, sport e com uma pegada feminina 😉 Espero que vocês curtam!

Look para  bater perna em Veneza: Chapéu, vestido midi, tênis branco e óculos 😉 A bolsa preta com o pompom de coração é parceira!

o que vestir viagem Itália 9
O que vestir na Itália, Veneza

Look para uma feira gastronômica em Parma: body vermelho, saia jeans midi, camisa jeans amarrada na cintura, bolsa e sandálias caramelo 🙂 Ah, e o óculos oh yeah

o que vestir viagem Itália 9
O que usar na Itália, Parma

Look para explorar Florença: vestido de malha, tênis e um colar de arrasar 😉

o que vestir viagem Itália 9
O que vestir na Itália, Florença

Look para relaxar em Lerici: shortinho marinho, blusa de renda, colar de pérolas e acessórios caramelo.

o que vestir viagem Itália 9
O que usar na Itália, Lerici

Look para fazer comprar em Bolonha: calça preta rasgada, blusa de seda e tênis

o que vestir viagem Itália 9
O que usar na Itália, Bolonha

Look para conhecer a Toscana: saia midi preta, camiseta animal print azul e acessórios especiais

O que vestir viagem para Itália 5
O que usar na Itália, Toscana

Look para passear de gôndola em Veneza: saia midi cinza, blusa de babados, sandália dourada e óculossss lindossss 😉

O que vestir viagem para Itália 4
O que vestir na Itália, Veneza

Look para almoçar massa em qualquer canto da Itália: vestido lurez, tênis e acessórios fofos

O que vestir viagem para Itália 4
O que vestir na viagem para Itália

Look para visitar templos na Itália: longo, casaquinho e chapéu (fácil e comportado)

viagem pela Itália e Grécia (3)
O que usar na Itália, Porreta

Look para um dia mais frio: um casaco marinho, uma jaqueta de couro, um lenço…..leve sempre algo assim 🙂

*****foto espontânea com a família pelas ruas de Ravena 🙂

o que levar para Itália
Look para passear com a família, Ravena

Gostaram das sugestões? Espero que sim 🙂 É uma alegria compartilhar um pouco da minha vida aqui com vocês! E se quiserem acompanhar a próxima viagem em tempo real, te espero no meu instagram 🙂 luana_sarantopoulos

Mil beijos!

Ensaio fotográfico na ilha de Karpathos!

Olá queridas noivinhas e leitores!

Quem aí ama um um post recheado de fotos lindas e inspiradoras?

Nós adoramos ensaio fotográfico de noivos! Pode ser na nossa querida ilha de Santorini, ou em qualquer parte da Grécia. Ver clicks de noivas em lugares paradisíacos e divulgar nossos grandes amigos fotógrafos, é sempre um imenso prazer para nós!

 E pra começar essa semana com pé direito, vamos mostrar pra vocês algumas fotos de um ensaio que aconteceu na maravilhooosa ilha de Karpathos, na Grécia.

O olhar incrível por trás destas lentes é do nosso querido amigo grego, Antonis Karanikolas.

Atenção noivinhas que vão casar em Santorini e aproveitar a lua de mel para conhecer as outras ilhas gregas: Karpathos é destino certo para belíssimas fotos em um cenário de tirar o fôlego! #FicaDica

Chega de conversa e vamos às fotos:

Ilha de Karpathos
Ensaio de fotos de casamento na ilha de Karpathos – Foto cedida por Antonis Karanikolas

 

Ilha de Karpathos
Ensaio de fotos de casamento na ilha de Karpathos – Foto cedida por Antonis Karanikolas

 

Ilha de Karpathos
Ensaio de fotos de casamento na ilha de Karpathos – Foto cedida por Antonis Karanikolas

 

Ilha de Karpathos
Ensaio de fotos de casamento na ilha de Karpathos – Foto cedida por Antonis Karanikolas

 

Ilha de Karpathos
Ensaio de fotos de casamento na ilha de Karpathos – Foto cedida por Antonis Karanikolas

 

Ilha de Karpathos
Ensaio de fotos de casamento na ilha de Karpathos – Foto cedida por Antonis Karanikolas

 

Ilha de Karpathos
Ensaio de fotos de casamento em Karpathos – Foto cedida por Antonis Karanikolas

Me acompanhem nas redes sociais que todos dias temos materiais recheados de fotos inspiradoras!

Instagram: @luana_sarantopoulos e Facebook: /lulunopaisdasmaravilhas

Mil Beijos!

 

Você sabe o que é Elopement e Destination Wedding?

Casamento em Santorini – foto cedida por Divine Wedding

Olá minhas noivinhas e leitores!

O post de hoje é para esclarecer duas expressões que temos ouvido bastante no mundo Wedding. É para as noivinhas que ainda não planejaram nada do seu casamento.

Já ouviram falar dessa hashtag: #elopementwedding – circulando pela web e as redes sociais? Se a resposta é não…Bom, vamos lá! Elopement Wedding é uma expressão dada para os noivos que optaram por um casamento íntimo. Os únicos presentes serão o noivo e a noiva. Rara as vezes, podem ter presença dos pais ou apenas amigos muito próximos do casal.

A ideia inicial é que seja realizado apenas entre os noivos, um celebrante (padre, pastor, juiz de paz, amigo, parente, etc) e um fotógrafo para registrar o momento.

A expressão Elopement Wedding veio da palavra em inglês “elope” que significa “fugir”.

Mas caaaaalma, meninas…não é fugir de casa, do mapa, com um amor de carnaval. Aqui o significado é fugir das complicações e digamos, certas normas e regras que nossa sociedade colocou em uma cerimônia de casamento.

Acredito que toda pessoa já deve ter conhecido uma noiva que já pirou em alguma parte da organização do seu casamento, seja na cerimônia ou na recepção. Uma lista infinita de fornecedores, pensar nas lembrancinhas, cores da decoração, pesquisas de preços e de locais para o evento. Tem ainda a briga eterna entre a família na hora de fazer a lista de convidados, e muuuito dinheiro envolvido em apenas uma hora de cerimônia e geralmente 6 horas de festa…

Talvez, depois disso, os noivos precisam de um descanso de toda essa bagunça e acabam não sobrando grana nem pra lua de mel.

 

Casamento em Santorini – foto cedida por Divine Wedding

Com todos esses “pepinos” dentro de um planejamento de um casamento, muitos casais optam por esse tipo de cerimônia. Resolvem fazer de sua união uma festa apenas para os dois. Parece ser algo muito complexo para a cabeça de muitos. Viemos de uma tradição que o casamento é uma festa mais para família e amigos do que para os próprios noivos. Mas esse novo segmento vem crescendo – e MUITO – no setor de casamentos do nosso país. E diferentemente dos chamados Mini Weddings que podem ter até 100 convidados, o Elopement não passa de 10 pessoas.

Além do gasto ser bem menor que um casamento tradicional, o Elopement Wedding pode se unir ao Destination Wedding.

Calma, vou explicar rsrs…mais uma expressão louca mas também forte nesse meio. O Destination nada mais é do que casar fora do seu local de origem. Por exemplo, se você é de São Paulo e casa na Bahia, ou como nossas noivas que são brasileiras e casam-se na Grécia. Sacaram?!

Elopement e Destination Wedding - Casamento em Santorini
Elopement e Destination Wedding – Casamento em Santorini

Agora que apresentei essas duas expressões, imagina essas duas unidas?

Com certeza podem se tornar uma das maiores e mais incríveis experiências de um casal. E é isso que nós da equipe de Casamento em Santorini trabalhamos com força total! Mas é bom lembrar: muitos casais nos procuram para um casamento íntimo – ou elopement – e já emendam uma super lua de mel pelas ilhas gregas. Também atendemos casais que sonham e tem disposição pra transformar um mega evento de casamento como no Brasil só que lá em Santorini, na Grécia. Claro que o envolvimento financeiro é diferente, mas a experiência para noivos e convidados ficam marcados na memória. É algo fora do comum casar numa ilha paradisíaca!

Os Elopement Wedding e Destination Wedding parecem até uma história de amor de romances literários. Como se fosse um casal de adolescentes fugindo por causa de um amor proibido…kkk bem utópica. Mas a verdade é que vem dando muito certo e já temos dezenas de casais fechados para casamentos em Santorini até em 2019. O que significa que “consideramos justas toda a forma de amor” e de cerimônias!

E se você se interessou por esse tipo de casamento, que além de lindo e romântico, você e seu noivo já emendam aquela lua de mel dos sonhos na Grécia, entre em contato pelo nosso email: casamentoemsantorini@gmail.com

Continue navegando pelo meu blog e veja mais do meu conteúdo espalhado pelas redes sociais como Facebook, Instagram e Pinterest.

Mil beijos!

O coração dos gregos

Ei leitores! Estamos esquetando as turbinas para o lançamento dos meus próximos livros – finalmente as partes 2 e 3 da trilogia Noiva de Santorini vão sair para venda no mundo todo!! Uhuu!

Mais um trechinho abaixo para vocês 🙂 Espero que cada ser humano apaixonado pela Grécia possa viajar no tempo e espaço e curtir um pouco das grandes almas gregas que conhecemos….Ah, e aproveitem para ver no final do post o trailer novo que fizemos na ilha de Santorini, na Grécia! Beijos!

cropped-casamento-em-santorini-lulu-no-pais-das-maravilhas-1.jpg

 

Tic-tac-tic-tac, bate o coração do grego, como um relógio acelerado e tempestuoso.

Em terras helênicas, ninguém se importa com a necessidade de paz. A corrida pelo destino, a aceitação de que a vida é uma saga, de que a riqueza vem do caminho, resultam na pura certeza de que o homem sábio é o que viveu a vida por completo. O coração grego explode a cada dia, a cada amanhecer, comprovando e testemunhando que a vida deve ser voltada para a experiência da jornada. E por mais exaustivo que isso possa parecer para corações não gregos, confesso que me acostumei a viver e a sofrer como os nativos das ilhas.

            As lições que presenciei sobre as dores de amor e sobre o desespero sem fim de romances absurdamente passionais não me deixariam viver uma existência tranquila e pacífica. Afinal, não enquanto estivesse presa nas águas do mediterrâneo, onde cada nativo deixa sua vida ser guiada pelas forças de um vulcão misterioso como o da ilha de Santorini.

          Enquanto vivia nas belas ilhas gregas, percebi que as paisagens calmas e naturalmente abençoadas escondem um portal onde a vida pode ser muito crua, difícil e complicada. Um lugar onde os homens parecem animais bravos e esfolados, acostumados a luta diária pela sobrevivência. E nesse ambiente intenso, entre mulheres que são deusas poderosas e sujas, ora veneráveis e ora temidas, iniciei minha jornada. Meu inconsciente parecia um animal selvagem, uma besta de origens mitológicas, quase um Minotauro desenfreado que nunca parecia dormia por completo.

            E depois de um primeiro e avassalador amor de ilha e um segundo romance grego mais forte ainda, fugi das ilhas gregas, como tinha de fazer, para conseguir emendar minha sanidade e acima de tudo, meu coração. Naqueles dias, já não era mais a mesma menina. A parte grega crescia e gritava alto, mas não sabia se o coração aguentaria aquele fardo. Afinal, todos os gregos que conheci sofriam dos males do coração. O que pode ser mais catastrófico do que seu órgão vital se lançar com fúria contra seu corpo? Nada pode ser mais grego, mais passional, do que um verdadeiro ataque de coração fulminante.

          Eu ainda queria viver.

          Penso em como me sentia naquele dia, de fuga da Grécia, de esperança no Brasil. Tudo estava para mudar novamente e queria me lembrar daquele momento único, de retorno, recomeço, nova jornada, promessas remendadas, minha redenção. E por mais que tivesse amaldiçoado a bela ilha de Santorini e prometido que nunca mais olharia para trás, aquele pedacinho mágico e vulcânico de terra continuaria me chamando pelo nome. E, eventualmente, eu sabia que poderia voltar a colocar meus pés atrapalhados e incorrigivelmente românticos nas pedras grossas da impiedosa ilha de Santorini.

Um suspiro profundo, um sorriso teimoso e uma constatação melancólica: algumas coisas simplesmente não mudam. Nunca. Ainda bem, pois sem os grandes dramas gregos não haveria as mais belas histórias.

10 dicas para fazer um Casamento em Santorini!

Olá queridas noivas e queridos leitores!

Hoje é dia de post sobre Casamento em Santorini!

E depois de ajudar muuuuuitas noivas, consegui mapear as maiores dúvidas e dificuldades e agora estou pronta para dar uma listinha com 10 dicas para fazer um Casamento em Santorini! A idéia é estressar menos e curtir mais! Afinal, fazer um destination wedding não é moleza, né gente?

Primeiro, você tem que saber se você é o tipo de noiva que quer encarar a jornada de Casamento em Santorini…

Fotógrafo para Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – foto de Ben Rigas

Se seu sonho sempre foi casar em uma ilha, em um local a céu aberto, com uma vista maravilhosa, em um ambiente tranquilo e naturalmente abençoado por Deus, bem, provalvelmente você é uma candidata para casar em Santorini. Mas aí você pensa nas decorações especiais que você quer ter, na cerimônia linda em português, nas bandas brasileiras que você queria que tocasse no seu casamento…bem, acho que seria bom você ler minhas 10 dicas para fazer um Casamento em Santorini para entender as limitações de quem quer casar fora do Brasil!

Vamos lá: 10 dicas para fazer um Casamento em Santorini

  1. Entenda Santorini

     Santorini é uma ilha vulcânica que foi colonizada pelos minóicos em 3000 a.C. e que entrou em erupção em 1450 a.C. Tá, mas o que isso tem a ver com Casamento em Santorini, Lulu? Já me explico – visualiza: ilha vulcânica, hotéis em penhascos. estradas estreitas e muitos cantinhos que só são acessíveis depois de uma bela caminhada, escadarias para todo lado, pouco estacionamento, e muita, mas muuuuuuita beleza natural. Provavelmente, Santorini é o metro quadrado mais caro da Grécia e  local mais lindo do mundo (na minha opinião, sou fã assumida mesmo) mas gente, lá é seco seco seco – ou seja toda as flores vêm de fora 😉  E lá é pequeno e os recursos são escassos, portanto as limitações da ilha têm de ser levadas em consideração. Continua lendo que você vai entender 🙂

    Fotografo de Casamento em Santorini
    Casamento em Santorini – foto de Ben Rigas
  2. Seja flexível

    Casamento-em-Santorini-noiva-foto-32
    Casamento em Santorini – foto de Ben Rigas

    Explico isso para todas as noivas que me pedem ajuda – gente, Santorini é uma ilha maravilhosa e no meio do nada, e as vezes o nosso sonho de ter um gazebo coberto de flores especiais que só são encontradas na Índia não vai ser facilmente realizado em Santorini. Ou melhor, ele não faz muito sentido em Santorini. É importante entender as suas próprias limitações financeiras e adequá-las às muitas e belas opções disponíveis na ilha grega de Santorini – afinal, só de a ideia de estar celebrando o amor lá já é um sonho!

  3. Seja minimalista

    Casamento-em-Santorini-noiva-foto-29
    Casamento em Santorini – foto de Ben Rigas

    Eu sei, meninas, quando a gente é noiva (fui há pouco tempo e vocês sabem que me casei em Santorini) a gente suuuuuuurta nos mil itens maravilhosos que tem no Pinterest sobre casamento. Queremos todas as decorações, todos os frufrus, todos os souvenirs e favors e lembrancinhas e tudo mais que eu tenho direito porque eu sou a NOIVA!!!!!!!! OK, mas quando você colocar na ponta do lápis os custos e a logística de fazer tudo chegar em Santorini (de barco, avião ou helicoptero ou mesmos dentro das suas malas – socorro!) – AÍ SIM, você vai “olhar para fora” e entender que a beleza natural da ilha grega do vulcão é a decoração e a lembrança mais mágica que você pode oferecer aos convidados! 

  4. Escolha a época do ano

    casamento em Santorini (91)
    A gente acompanhando o casamento de inverno em Santorini

    Eu aconselho fazer seu Casamento em Santorini no verão grego: de maio a outubro. Aí você conhece garantir o clima maravilhoso de ilha grega, mar tranquilo, céu azul e ventos mais amenos. “Ai, Lulu, mas meu aniversário de namoro é em dezembro!” Se alguma data fora da temporada indicada é extremamente importante para você, seu noivo ou sua família, pense em casar em outro local. O inverno em Santorini tende a ser frio, neblinado e chuvoso. Este ano demos muita sorte com um belísismo Casamento em Santorini no inverno – mas foi uma exceção, ok, noivinhas?  Veja o post aqui:

  5. Escolha o local para seu Casamento em Santorini

    Casamento-em-Santorini-noiva-foto-15
    Casamento em Santorini – foto de Ben Rigas

    É normal as noivas passarem horas e mais horas na net tentando descobrir tudo que é possível sobre Casamento em Santorini. Você vai achar muitos posts meus 😉 e claro, inspirações de outros casamentos também. É importante mencionar aqui que  uma foto não conta uma história completa. Ou seja, todos os locais em Santorini são maravilhosos, mas muitos não autorizam a entrada de profissionais estrangeiros, outros não permitem fogos de artifício e outros ainda nem permitem a famosa quebra de pratos. Alguns tem limites muito severos de horários, outros não permitem mudanças no cardápio. Existem locais perfeitos para cerimônia para duas pessoas e outros para festas com 100 convidados! Ou seja, precisamos conversar bastante antes de passar um orçamento para o local X, ok?

  6. Conte com despesas extras 

    Você sabe: casamento demanda um budget bem claro para evitar as armadilhas do caminho. MAS quando se trata de um casamento no exterior é preciso tem uma grana extra para as possíveis variações de câmbio, para os preços de serviços que variam de acordo com a demanda no local e ainda com as taxas e impostos que são dos outros países. E ainda tem os custos da viagem – as passagens que mudam muito de preço, os hotéis baratos que você imaginou que iria reservar mas ele já triplicou de preço e por aí vai…..

  7. Considere o “tempo da ilha”

    casamento-em-santorini-fotos-de-noiva-19-fotografo
    Casamento em Santorini – foto de Ben Rigas

    Não sei se vocês já conheceram uma ilha grega, mas já devem ter passado alguns dias na costa da Bahia ou no interior de Minas Gerais. Pois é, parece que o tempo lá passa mais devagar, as pessoas têm ritmos diferentes e horários bem mais flexíveis do que os nossos nas grandes cidades brasileiras. Ou seja, os emails as vezes podem demorar mais do que você imagina, mas isso não é indicação de enrolação nem de problema à vista. É apenas o ritmo da ilha – então relaxa que está tudo sob controle!

  8. Aceite a natureza da ilha de Santorini

    Areias negras, pedras vulcânicas, penhascos na caldeira de um vulcão que até hoje solta sua lava embaixo da água e VENTO – SEMPRE! Casinhas brancas penduradas na frente do mar mediterrâneo, igrejinhas com cúpulas azuis em locais que nos arrancam lágrimas de emoção, comida boa, atmosfera mágica e muita gente pura de coração. É isso que você pode e deve esperar como cenário do seu Casamemento em Santorini.

    fotógrafo Casamento em Santorini
    Casamento em Santorini – foto de Ben Rigas
  9. Confie na ajuda – você vai precisar dela! 

    Seja a nossa assessoria para Casamento em Santorini (para saber mais, clique aqui), seja os contatos na ilha de Santorini ou ainda uma amiga ou parente grega  que vai te ajudar na organização do Casamento em Santorini, a regra básica é a mesma: Confie nas pessoas e acredite que vai dar tudo certo. É impossível  controlar tudo na distância! 

    Casamento-em-Santorini-noiva-foto-29
    Casamento em Santorini – foto de Ben Rigas
  10. Ajude os convidados 

Eles vão precisar de dicas de hospedagem, de noções básicas de preços e de uma programação bacana da ilha. E eles merecem isso e muito mais 🙂 Fale com a  gente  (casamentoemsantorini@gmail.com), nós montamos roteiros exclusivos para você já sugerir para seus convidados 🙂 e ainda criamos uma  programação na ilha de Santorini que é a sua cara.

E CLARO:

Aproveite a jornada e seja feliz organizando seu Casamento em Santorini!!! 

fotógrafo Casamento em Santorini
Casamento em Santorini – foto de Ben Rigas

Bora para Santorini! Mil Beijos, leitores!

10 passeios imperdíveis para fazer na Patagônia!

Queridos amigos!

Este ano tem sido uma jornada e tanto para mim 🙂 Muitas viagens e muito trabalho (amém!), e pouco tempo em terra firme para colocar a vida em dia. Acabo de voltar de viagem da Argentina e tenho dicas de passeios imperdíveis para fazer na Patagônia. Não importa se você é do tipo que curte  disposição e aventura ou se você é do tipo vi-tirei foto-comi bem-tô feliz 🙂 Existem várias opções de passeios na Patagônia para todos os tipos de viajantes!

o-que-fazer-na-Patagonia-(19)

O que você precisa saber sobre a Patagônia

Abaixo farei a lista dos 10 passeios mais legais que a gente fez em 12 dias de viagem pela Patagônia Argentina (então se você quer ir direto ao  ponto, vá direto para a lista embaixo do título “10 passeios……”). Mas antes de mais nada quero dizer que a gente viaja bastante, durante o ano, para vários lugares diferentes, mas que procuramos a Patagônia porque queríamos unir natureza com conforto.

No ano passado, conhecemos a Islândia e foi uma das viagens mais lindas da minha vida (para ver a série de posts acesse aqui), então a gente queria ir para outro destino inóspito e gelado, no estilo “pouca gente e muita natureza”. Como a gente mora com mais umas 20 milhões de pessoas em São Paulo, curtimos férias em lugares vazios 😉 E a Patagônia foi o destino ideial, porque além de uma ou outra “cidadezinha base”, só se vê a natureza exuberante (às vezes deserto, às vezes gelo e às vezes bosque) ocupando cada metro dessa região do mundo.

o-que-fazer-na-Patagonia-(67)

Importante: a tentação de querer conhecer vários locais (fazer a Patagônia Argentina e a Chilena, fazer a Patagônia Atlântica e a Andina, alugar um carro ou uma moto ou uma bike por um mês e conhecer cada cantinho da Patagônia) É ENORME. Mas na prática, se você tem poucos dias (a gente tinha doze dias) não ouse fazer tanta coisa, pois as distâncias são enormes e o clima é muito instável, ou seja, planos vão por água abaixo a todo instante. É bom ter pelo menos três dias em cada lugar para poder aproveitar os passeios mais interessantes da região.

Mais importante ainda: fomos no verão, em fevereiro, e mesmo assim é frio pacas. Mesmo quando as temperaturas sobem, tipo 10 graus, o vento gelado faz a sensação térmica cair para zero ou menos ainda. Leve muita roupa de frio, casacos impermáveis e botas de caminhada,

Como escolher onde ficar na Patagônia?

Nós queríamos, basicamente, fazer alguns passeios diferentes mas sem perder horas em vôos ou estradas. Então escolhemos dois pontos principais e fizemos a nossa programação ao redor deles. As cidades escolhidas foram: Ushuaia e El Calafate.

Ushuaia – a cidade que fica mais ao sul do mundo (Fin del Mundo)

É do Ushuaia que saem todos os navios, cruzeiros e expedições rumo à Antártida! Nós nos empolgamos demais com a ideia e tentamos pegar um “last minute deal”, já que é oferecida alguma promoção para estes cruzeiros em cada esquina de Ushuaia. Só que os preços começam a partir de 6 mil dolários por pessoas (ai!) e o cruzeiro de menor duração dura 10 dias… Ficou para a próxima!

passeios-para-fazer-na-patagonia

Ushaia é uma cidadezinha bem simpática, simples e relaxada, onde se vêem mochileiros e viajantes por todos os lados. A rua principal é a San Martín, onde ficam os restaurantes, lojas, bancos e tudo mais que você pode precisar. Não se iluda achando que vai comprar roupa de frio barata lá, é tudo “meio/muito caro”, afinal Ushuaia é longe pra burro de tudo que é lugar (quatro horas de vôo de Buenos Aires, hello) e depois dali, é só o pólo sul (adoro essa ideia! kkk). As únicas coisas mais em conta são comida e bebida, eba, muito vinho bom em ótimos preços!

Ficamos seis dias em Ushuaia, nos hospedamos no Las Hayas Resort, alugamos um carro e amamos tudo por lá! Se quiser saber mais sobre Ushuaia, veja o meu vídeo com dicas no Youtube)

Como já mencionei, chegamos em Ushuaia por um vôo que veio de Buenos Aires (quatro horas de viagem). Depois, fomos de avião de Ushuaia para El Calafate (foi pouco mais de uma hora de viagem).

El Calafate – a cidade que fica próxima ao Glacial Perito Moreno

A cidade de El Calafate também tem uma rua principal chamada San Martín, com lojinhas, bancos e restaurantes. A primeira vista, ela parece mais bem cuidada e “mais rica” do que Ushuaia, e quando vi os preços dos passeios tudo fez sentido para mim! Preços salgadinhos para os passeios, para as entradas nos parques e por aí vai…mas ó, beleza igual aquele canto do mundo eu nunca vi, então a gente gasta com gosto 😉 kkkk

o-que-fazer-na-Patagonia-(78)

Ficamos quatro dias em El Calafate e nos hospedamos fora da cidadezinha em um super hotel na frente do Lago Argentino (Design Suites Calafate, tinha uma spa também 🙂 ). Como a gente queria sossego (e o táxi não era caro), a distância não foi um problema. Além do mais, a maioria dos passeios já têm incluído transfers de ida e volta, assim eles buscam e entregam os turistas nos respectivos hotéis.

El Calafate é a cidade base para conhecer o Glacial Perito Moreno, mas se liga que o Glacial está dentro do Parque Los Glaciares (que tem uma série de passeios massas) que está a uma distância considerável da cidade, assim todos os passeios duram o dia inteiro (só para ir e voltar é uma hora e meia ou mais, cada trecho). Mas o visual é maravilhoso então nem dá para sentir a distância – só não dá para programar fazer vários passeios no mesmo dia sem ficar exxxxxausto.

Em El Calafate não alugamos carro, contratamos os passeios com transfers porque em muitos locais o acesso para carros era limitado. Então agora que você já entendeu a base para os passeios, finalmente, vou falar dos….

10 passeios imperdíveis para fazer na Patagônia!

1) Parque Nacional Tierra del Fuego

Cidade Base: Ushuaia

Comentários: Nós visitamos este parque por dois dias, porque tinha bastante coisa legal para ver e fazer: várias caminhadas curtas e relativamente fáceis,  o trem do Fin del Mundo, os locais para acampar, as lagoas verde e negra, cenários bem característicos da Patagonia, o correio do Fin del Mundo (e o carimbo para seu passaporte), a placa do  final da Rota 3 e uma empanada de carne que eu adorei.

Uma boa ideia é visitar de carro porque dá para passar o dia descobrindo as belezas do local. Quem estiver animado pode fazer uma das rotas a pé (a mais fácil é em torno de 2 horas e meia caminhando) e é super tranquilo porque o Parque tem excelente sinalização.

Lá é muito lindo e mega relax!

passeios-para-fazer-na-patagonia1

o-que-fazer-na-Patagonia-(22)

o-que-fazer-na-Patagonia-(10)

o-que-fazer-na-Patagonia-(24)

2) Passeio de veleiro pelo canal de Beagle (isso, pinguins!!!!!)

Cidade Base: Ushuaia

Comentários: para mim, “andar” de barco já é a atração em si. Mas este passeio no veleiro Paludine foi uma aventura a parte! Por causa do vento frio, a gente usou aquelas roupas amarelas de marinheiro por cima da nossa roupa e o staff super legal do veleiro sempre trazia chocolate quente, chá ou café. O vento, quando batia com vontade, empolgava a gente no veleiro, mas tem que gostar de velejar para se divertir, né?! Para quem quer algo mais tranquilo, existem passeios em barco maiores, para até 300 pessoas.

Ponto alto: os pinguins e os lobos marinhos!

Esse passeio, seja de veleiro ou outros barcos, é um dos mais legais da viagem! Imperdível!

o-que-fazer-na-Patagonia-(89)

o-que-fazer-na-Patagonia-(97)

passeios-para-fazer-na-patagonia 2

3) Caminhada até a Lagoa Esmeralda

Cidade Base: Ushuaia

Comentários: Não, não é parecido com algo que você já viu na vida. A “Laguna Esmeralda”, com certeza, entrou para a minha lista de top 5 lugares mais lindos que já vi. A caminhada é de quase 9 quilômetros ao todo  (contando ida + volta) e nós pegamos muita mas muuuita lama no caminho. Ainda assim, fomos um dos primeiros a chegar no local e a paz que eu senti quando vi esta lagoa é uma das coisas que nunca vou esquecer. A caminhada é de dificuldade média (eu achei média-difícil 😉 )

Dica: vá de manhã cedo, comece a caminhada em torno das 8 da manhã e leve um snack para a hora do descanso.

o-que-fazer-na-Patagonia-(28)

o-que-fazer-na-Patagonia-(31)

o-que-fazer-na-Patagonia-(36)

4) Caminhada para o Glacial Martial

Cidade Base: Ushuaia

Comentários: A gente já estava hospedado em um hotel que era no caminho do Glacial Martial, então não podíamos perder a chance de dar uma espiada. Fomos de carro até o pé da montanha, onde tem um estacionamento, algumas lojas de souvernis e uma casa de chá 😉 e de lá começamos a subida a pé. A vista do Glacial é bem bonita e a vista do Ushuaia do alto é estonteante.

Na foto não parece, mas a subida é bem puxada. É bom ir no começo do dia e reservar umas três horas, no mínimo, para ida e volta.

o-que-fazer-na-Patagonia-(100)

5) Ir até o ponto mais alto de Ushuaia para ver o nascer do sol

Cidade Base: Ushuaia

Comentários: show da natureza!

o-que-fazer-na-Patagonia-(102)

6) Nativo tour + jantar na caverna

Cidade Base: El Calafate

Comentários: este passeio foi animal! Existem duas opções: fazer com almoço ou jantar, nós fizemos no final do dia e comemos o jantar na caverna 🙂 Basicamente, é um passeio de jeep para dentro de uma área que parece um deserto (mas que está do lado do Lago Argentino) até que encontramos as pinturas rupestres nas cavernas. O guia era muito empolgado e explicou tudo sobre as civilazações antigas da Patagônia enquanto caminhávamos e observávamos as pinturas originais. No final da caminhada, chegamos em uma caverna grande onde o delicioso jantar (ensopado de cordeiro +mousse de chocolate) foi servido de uma maneira “nativa”, saindo de um caldeirão 🙂 vinho liberado e atmosfera super animada!

o-que-fazer-na-Patagonia-(38)

o-que-fazer-na-Patagonia-(43)

7) Caminhar ou dirigir por uma parte da Costanera

Cidade Base: El Calafate

Comentários: a minha sugestão é basicamente andar ou dirgir em torno do Lado Argentino, na Costanera, e parar onde der vontade. Se estiver a pé, cuidado com o vento. Se estiver de carro, leve um vinho (#sópensanisso) e alguns snacks. O visual é lindo, é bem vazio e super relaxante.

o-que-fazer-na-Patagonia-(44)

8) Cruzeiro Gastrônomico pelos rios de gelo (Glacial Upsala e Spegazzini)

Cidade Base: El Calafate

Comentários: Um dos pontos altos da viagem  – já viram que eu amo barco, né?! Escolhemos o cruzeiro gastronômico porque eu e meu marido curtimos gastronomia, mas existe uma outra opção de passeios mais econômica (sem a parte grastronômica, é claro) que faz uma parte dos rios de gelo. Então, a gente escolheu a opção mais top e este foi o passeio mais caro da viagem, em um barco confortável, com um menu delicioso e vinhos excelentes. Amamos!

Mas é claro, né gente, que a parte mais impressionante do passeio é a natureza ao redor. Os não tão famosos Glaciais Upsala e Spegazzini (vocês sabem, neste Parque Los Glaciares, o Glacial Perito Moreno é o famosinho) são gigantes, bem maiores que o Perito e eles são muito show! Então uma boa parte da navegação é assustadoramente acompanhada com icebergs gigantes e muitas informações bacanas sobre a região. O passeio dura o dia todo e é fantástico 🙂 E eu sou super empolgada kkkk

o-que-fazer-na-Patagonia-(52)

o-que-fazer-na-Patagonia-(65)

o-que-fazer-na-Patagonia-(104)

9) Passeio pelas passarelas  para ver o famoso Perito Moreno

Cidade Base: El Calafate

Comentários: Esta é a versão light de passeio para ver o Glacial Perito Moreno, dentro do Parque Los Glaciares. Existem várias rotas nas plataformas de caminhada, de pequena e média dificuldade, algumas partes são acessíveis para cadeirantes, ou seja, todo mundo consegue dar uma espiadinha para ver essa belezura aí. A caminhada toda deve demorar em torno de 2 a 3 horas, é tudo muito bem sinalizado e existem restaurantes e cafés e ainda uma área de pic nic, próximas ao estacionamento.

o-que-fazer-na-Patagonia-(1)

o-que-fazer-na-Patagonia-(74)

10) Trekking no Glacial Perito Moreno

Cidade Base: El Calafate

Comentários: Se você ama gelo e quiser algo mais aventureiro, a minha sugestão é fazer o trekking no Glacial (tem a versão “mini treking”e a versão “Big Ice”, o que muda é quanto tempo você fica no Glacial). Nós fizemos o mini trekking, que já é mega intenso pois o passeio começa as 8 da manhã e termina as 7 da noite. Depois das caminhadas na plataforma do Perito, da travessia de barco para o “lado de lá” e algum tempo para colocar as botinhas de gelo, finalmente começa o trekking em cima do Glacial Perito Moreno. Eu pirei: teve frio, chuva, vento, sol, cansaço, alegria e uma bebidinha com gelo do glacial no final 😉 Foi demais!

Dica: se você tem algum preparo físico e não tem problema de joelho, dá pra aguentar. Os tours tem ainda restrição de idade e é você que tem que levar seu almoço (lunch box), mas os hotéis preparam uma marmitinha top!

Para mim, foi o melhor passeio da Patagônia! É muito impressaionante!

o-que-fazer-na-Patagonia-(88)

o-que-fazer-na-Patagonia-(88)

o que fazer na Patagonia (82)

Espero que vocês tenham curtido as dicas dos passeios imperdíveis da Patagônia! Tentei mesclar um pouco de tudo que achei especial nessa viagem fantástica até o sul do mundo! Qualquer dúvida ou contribuição, podem escrever 🙂 Até a próxima, leitores! Ah, e o videozinho com dicas do Ushuaia está aqui:   Beijos!!

O que levar na mala para a Grécia? Dicas para o Inverno!

Muitos de vocês me pediram este post e la vai:  O que levar na mala para a Grécia no inverno? Como fazer a mala de inverno para a Grécia? O que levar e o que deixar de fora? Todo mundo sabe que a Grécia é o destino perfeito para férias de verão, né?! Mas Atenas, o continente e até algumas ilhas gregas escondem surpresas maravilhosas também no inverno!

o que levar na mala para a Grécia Inverno (1)
o que levar na mala para a Grécia Inverno

É claro que cada pessoa tem seu estilo e o melhor é adaptar as dicas abaixo para seu gosto 🙂 Tem gente que é mais básica, gente que é mais perua (#eu), alguns focam em conforto e outros em estilo. Mas como é uma mala de inverno, gente, temos que focar em não passar frio, tá?! Eu dei uma olhada na previsão do tempo e para janeiro e fevereiro, estamos esperando de 0 a 15 graus celsius. Pode nevar, pode ter tempestades e nas ilhas, o vento é garantido – OU SEJA: frio!!!

Por mais que a Grécia não tenha um inverno tão rigoroso quanto outros países da Europa (hello ano passado que fomos para a Islândia kkk), ainda pode ser bem fria. Os dias de céu azul e sol são prováveis mas o vento gelado também é 😉 então é melhor estar preparado. Como eu viajo bastante, já criei minha metodologia para fazer malas  – sem muito sofrimento e confusão – :). Ta aí alguns vídeos com dicas para fazer mala (tem vídeos antigos, piada total!):

10 passos para fazer mala 

como fazer mala para as ilhas gregas

o que levar na mala para a Grécia – sapatos

o que levar na mala para Grécia – acessórios!

10 itens importantes para um destino gelado!

E chega de conversinha, vamos ao assunto deste post 😉

O que levar na mala para a Grécia no Inverno?

Vou compartilhar as dicas que funcionam para mim:

 Casacos grossos estilosos são meu ponto de partida para arrumar a mala (ah, e já tira o que vai usar na viagem)

E mesmo que você só vá levar um ou dois casacos grossos, já escolhe o mais pesado para ser o que você vai levar a bordo no avião – menos um volume gigante na mala 😉 Como a minha viagem é longa e cheia de eventos importantes, estou levando um casacão preto mais chic + um casacão marinho perfeito para todas as ocasiões + um casaco peludo de onça curto estilo bomber para o dia-a-dia + um colete mais esporte com gorro bem quentinho +  um casaco mais curte bege para o dia-a-dia.

(ta, sei que sou exagerada 😉 mas são muuuuuuitos dias kkkk)

O que vai embaixo do casaco – o próximo passo é definir os looks e já colocar montado na mala

Eu gosto de pesquisar as tendências de inverno nos blogs e instagrams da gringa antes de fazer a mala, porque em 90% dos casos a gente tem todas as peças no armário, só que a gente não percebeu porque está com cabeça de verão aqui no Brasil! Aí, com várias ideias de looks estilosos na cabeça, eu já escolho os looks  e já coloco eles montados na mala 😉 Isso evita aquela sobra bizarra que quase toda mulher leva e nuuuunca usa. Basicamente: uma camiseta + calça + um blazer (já coloco tudo junto) e claro, depois vou jogar com o casacão e acessórios.

As calças que vou levar na mala para a Grécia – vá prevenida

Gente, frio da Europa para nós, brasileiros, é frio muito frio! Não adianta achar que vai usar vestidinho, saia e meia calça – isso é mais para outono do que invernão mesmo! Ou no máximo, vale colocar um ou duas opções de vestidos na mala para o dia que for jantar em um lugar fechado e quentinho ou for na bouzokia 🙂 Então, basicamente, considere que as calças são peça-chave de todos os looks. Calças pretas de diferentes estilos, legging grossas, jeans escuros e calças mais grossas quentinhas (vale levar uma ou outra de lã/moletom/sport).

E leve calças confortáveis, porque embaixo delas é bom colocar uma meia calça ou uma calça térmica

Mesmo que o modelo seja skinny, aquelas calças mais justinhas no comprimento todo, é bom você experimentar para ver se vai ficar confortável se você precisar colocar uma meia calça. É uma maneira fácil de se esquentar e mesmo se sua calça for aquela com alguns rasgos, tem umas fashionistas usando meias pretas quentes embaixo dos jeans rasgados 😉 aí é gosto!

Sim, leve uma calça térmica (que é tipo uma legging mais fina), ou melhor, um conjuntinho térmico

Descobri a existência dessas maravilhas da humanidade (os conjuntinhos térmicos), no inverno passado quando fomos para a Islândia – e usei esses conjuntinhos tipo todos os dias da minha vida! Se você não faz muita ideia do que estou falando, dá uma olhada rápida nesse post: o que levar para um destino gelado. E o melhor, dá para comprar esses conjuntos no Brasil, por um preço ótimo! Vou levar três conjuntinhos nessa viagem – qualquer coisa vou lavar a subaca na pia do hotel e repetir no outro dia kkkkkkkk #perua_sim_mas_sem_frescura

Meias de lã, golas de lã, gorros quentinhos, luvas (aquela que dá para usar o celular – touch especial)

Não sei se vai ser para tanto frio. mas estarei preparada! As meias de lã são boas porque dá para usar com as calças naquele dia que você não está afim de colocar a calça térmica – porque só de estar com os pés quentinhos, você já fica mais feliz 🙂 As golas de lã eu sempre uso: vou levar uma preta e uma bege –  e os gorros eu também gosto bastante: levo um preto e um branco.

O que levar de calçados para o inverno da Grécia

Estamos na fase do tênis e provavelmente você sabe disso. Então é legal levar um par de tênis estilosos para os dias de caminhada pesada, mas é claro, vamos aproveitar para tirar as botas lindas do armário para desfilar por Atenas 😉 Como é meio tenso levar um bota gigante (over the knee) na mala, vou levar botas de neve que são quentinhas, pequenas e maleáveis (pretas), uma par de sapatinhos baixos, uma bota para caminhada pesada (aquelas de tracking estilo da timberland) e uma bota estilosa para sair a noite  (com um saltinho).

O que levar de acessórios para o inverno da Grécia

Um óculos de sol, para os dias de céu azul, de preferência aqueles mais escuros, os pretos ou marrons 😉 (deixe os coloridos para o verão!)O mínimo de jóias e bijuterias, mesmo porque quase nada aparece embaixo dos casacões.   Aposte em poucos anéis, e brincos pequenos. A parte de maquiagem e produtos de beleza deve ser simplificada também, leve o básico e de preferência em tamanho pequeno. É importante não esquecer do protetor solar de rosto e um creme noturno para hidratar a pele, já que o vento e  frio deixam tudo muito ressecado. É bom levar uma bolsa pequena para sair a noite e uma média para poder colocar camêra, livro, carteira, etc 😉

E aqui vão as dicas finais:

  • não leve muitos sapatos nem acessórios demais
  • se você vai para o norte, vai precisar de mais agasalho, com certeza! Pesquise a previsão antes!
  • não vá com a mala lotada – calcule o espaço que você quer deixar para o que vai comprar lá 😉
  • pense nos extremos: tenha opções que podem ser usadas se fizer um frio inesperado ou calor inesperado
  • não leve pijama grosso, pense em usar o conjuntinho térmico para dormir (se você tiver mais do que um, é claro)
  • se você está em dúvida se leva ou não leva : NÃO LEVE – a chance de você usar é pequena!
  • tenha pelo menos um calçado que pode ser usado na chuva
  • em casos extremos de muita coisa para pouca mala, tente usar a técnica da embalagem a vácuo para os grandes casacos (já fiz isso, mas fica beeeeeem pesado e tem que levar a bombinha para tirar o ar quando for colocar o casaco de volta na mala #trampo)

No mais, boa viagem! Espero que tenha ajudado vocês 😉 Mandarei mais notícias em breve!!

Beijos!

o que levar na mala para a Grécia Inverno (1)
o que levar na mala para a Grécia Inverno

Conheça Creta através das lentes de um Fotógrafo de Casamentos da Grécia!

Não é difícil ficar impressionada com os belos cenários da maravilhosa ilha de Creta, na Grécia. E é claro que mesmo com nossos smartphones conseguimos capturar algumas imagens lindas que vão para os albuns das mídias sociais, né gente?! Mas todo mundo sabe que faz toda a diferença ter um fotógrafo excelente do outro lado da câmera, certo?! E se ele for um fotógrafo de Casamento na Grécia, super experiente e conhecedor dos locais mais lindos de Creta? Aí é alegria na certa!

Este ano tive a oportunidade de fazer um ensaio com o fotógrafo que faz Casamento por toda a Grécia, Ben Rigas  – vocês sabem que eu não sou nem de longe modelo mas que eu amoooo fotos! E foi na ilha de Creta que fiz um dos ensaios que mais gostei – em Rethymno, conhecem?! Ah, e confira também o imperdível ensaio pelo Monastério de Arkadi aqui!

 Rethymno??????? Isso, uma belíssima cidade em Creta

A cidade de Rethymno, em Creta tem aproximadamente 40 mil pessoas e foi primeiramente construída no período minóico. Eu achei Rethymno bem interessante, e amei a região do portinho veneziano (segurem a curiosidade porque vou mostrar nas fotos). Fiquei hospedada em Rethymno no último verão por apenas poucos dias mas deu pra sentir que lá é o local ideal para você que curte arte e história e ainda assim quer ter uma atmosfera tranquila de “vila grega”.

E o que tem para se fazer em Rethymno?

Caminhar pelo porto veneziano, escolher uma das muitas cafeterias para ver o entardecer, andar até o farol para tirar fotos belíssimas e relaxar com um jantar na beira da praia é uma boa pedida para quem quer curtir um dia em Rethymno. São inúmeras opções para conhecer a parte histórica e ainda tem muitas praias lindas bem próximas da cidade (aquelas que a gente pira quando vê as fotos – vai ter post sobre isso). Uma coisa que chamou muito minha atenção foi a culinária da região de Rethymno – eu simplesmente amei e comi bem demais nos dias que estava lá! Outra coisa foi o Raki com mel – 🙂 !

E cadê as fotos de Creta, Lulu?!?!

Como são muitas fotos lindas do ensaio que fiz em Creta, com o fotógrafo de Casamento na Grécia, Ben Rigas, separei algumas que tem como cenário a belíssima cidade de Rethymno. Gente, faz muita diferença ter alguém que conhece bem o local e sabe exatamente onde você tem que ir e só cabe a você fazer um “smiiiiiiiile“. Não foi tão difícil tentar “sair bem” nas fotos, o ensaio foi natural, descontraído e divertido.

Espero que vocês curtam as fotos, que elas te inspirem para conhecer Creta e claro, quem quiser saber mais sobre o trabalho do Ben Rigas, acessa a page dele aqui – tem muita coisa linda por lá!

Prometo que ainda tem muita postagem sobre a ilha de Creta 😉 Fiquem ligados! Mil beijos!

fotografo-para-casamento-na-grecia-creta-4
Eu, em Creta, clicada pelo Fotógrafo de Casamento na Grécia Ben Rigas
fotografo-para-casamento-na-grecia-creta-4
Eu, em Creta, clicada pelo Fotógrafo de Casamento na Grécia Ben Rigas
fotografo-para-casamento-na-grecia-creta-4
Eu, em Creta, clicada pelo Fotógrafo de Casamento na Grécia Ben Rigas
fotografo-para-casamento-na-grecia-creta-4
Eu, em Creta, clicada pelo Fotógrafo de Casamento na Grécia Ben Rigas
fotografo-para-casamento-na-grecia-creta-4
Eu, em Creta, clicada pelo Fotógrafo de Casamento na Grécia Ben Rigas
fotografo-para-casamento-na-grecia-creta-4
Eu, em Creta, clicada pelo Fotógrafo de Casamento na Grécia Ben Rigas
fotografo-para-casamento-na-grecia-creta-4
Eu, em Creta, clicada pelo Fotógrafo de Casamento na Grécia Ben Rigas
fotografo-para-casamento-na-grecia-creta-4
Eu, em Creta, clicada pelo Fotógrafo de Casamento na Grécia Ben Rigas
fotografo-para-casamento-na-grecia-creta-4
Eu, em Creta, clicada pelo Fotógrafo de Casamento na Grécia Ben Rigas

Casamento em Santorini e o passeio de barco pela ilha – a experiência!

Umas das coisas mais legais de fazer um Casamento em Santorini é poder ter 3 ou 4 dias de festa nas ilhas gregas com seus convidados e familiares queridos! E uma das melhores sugestões para a programação do Casamento em Santorini é um belo passeio de barco pela ilha – tem coisa melhor do navegar no mar maravilhoso da Grécia?

Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco

Como funciona o passeio de barco em Santorini 

E como muitas noivas que querem fazer o Casamento em Santorini me perguntam como funciona esse passeio de barco, bem, vou dar algumas dicas e sugestões 😉 São informações baseadas no verão de 2016 😉

Vamos começar pela parte da organização, pois é preciso reservar o barco com muuuuita antecedência e é legal já ter uma ideia incial do número de convidados. É claro que nós temos excelentes cotações e organizamos passeios em parceria com quem a gente sabe que nunca desaponta. É só entrar em contato: luana.sarantopoulos@gmail.com

Existem basicamente dois tipos de passeios de barco (existem muitos, mas vou citar os mais convenientes para Casamento em Santorini):

1) Passeio de barco privado (catamarã, yatchs, sailings boats) – nesse caso, alugamos o barco todo para os noivos e seus convidados. Podemos colocar um menu top de almoço ou snack e também um menu de open bar para a galera se animar! Podemos escolher o horário de chegada e saída, a rota passeando pelos pontos mais lindos da ilha de Santorini e claro, podemos parar para ver o vulcão, para nadar nas termas e para admirar a beleza das praias de cores variadas!

2) Passeio de caravela (são aqueles barcos grandes que tem já uma programação, horário e número de pessoas definido). Normalmente, eles não incluem comes e bebes mas são uma boa opção para quem não quer gastar muito 😉 Também visistam o vulcão, as ternas e alguns ainda vão até a pequena ilha de Thirassia, que amo! Se você nunca ouvir falar de Thirassia, leia meu post aqui.

 Afinal, como acontece? Conta aí, Lulu! 

(se estiver muito curioso, corre direto aqui no vídeo! – senão, leia as dicas e informações abaixo!)

E então, querem ver como acontece um passeio de barco para um Casamento em Santorini? Siiiiim! 😉 Posto algumas fotos que tirei este ano em um passeio de barco que participei – como convidada e anjo da guarda!

Casamento em Santorini, passeio de barco!
Casamento em Santorini, passeio de barco!
Casamento em Santorini, passeio de barco!
Casamento em Santorini, passeio de barco!

O mais legal do passeio de barco em Santorini é a atmosfera de descontração e claro, o cenário maravilhoso da ilha! Santorini é famosa por ter belas e exóticas praias, sejam elas pretas, brancas ou vermelhas 😉 O cenário fica ainda mais esplêndido a cada olhar, pois as “construções” que Deus fez ali, minha gente, não existem em lugar nenhum dessse mundo! E olha que eu viajo bastante 😉 #apaixonadaporSantorini

Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco

E além das paradas próximas às praias de Santorini, o passeio de barco sempre é uma boa oportunidade para chegar pertinho do vulcão de Santorini e para mergulhar nas águas quentes das termas – há quem diga que a temperatura ali chega a 30 graus e que o “tom de ferrugem” da água é “uma beleza” para o corpo (mas é um terror para biquini branco, tá, noivas?).

Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco

Finalmente, depois de algumas horas de muita música, comida grega de primeira e drinks liberados, chega o tão esperado momento do pôr do sol! 😉 Já montamos o passeio para que o entardecer seja visto do mar né, gente?! Pensamos em tudo para fazer a noiva feliz 🙂

Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco

E no final do passeio de barco, a gente respira aliviado porque tudo sempre dá certo e a lua cheia sobe no céu, alegrando nossos corações! Só tenho que agradecer a Deus e a Santorini por ter momentos tão especiais como este, mais um ano da minha vida! 😉

Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco

Um agradecimento final a minha querida amiga e noiva Eduarda Nanci, a Duda! Foi maravilhoso fazer parte de tudo isso ao seu lado 🙂 Mil beijos!

Casamento em Santorini, passeio de barco
Casamento em Santorini, passeio de barco