O que responder quando as pessoas falam que você tem sorte?

Acabei de voltar de viagem, dormi infinitas horas no voo e mais algumas muitas aqui na minha casa. Ai, como é bom estar do lado do meu amor de novo, encontrar minha tranquilidade e meu porto seguro 😉 Sim, é bom demais. E mesmo estando totalmente desacelerada e ainda em ritmo de café frappé de ilhas gregas, as palavras deste post ficaram rodando a minha cabeça por horas a fio até que eu viesse ao computador e começasse a desfilá-las. E aqui estou.

Como muitos devem saber, passei meus últimos 21 dias nas ilhas gregas. A viagem foi fantástica e excepcional em muitos níveis e isso é assunto para outro post. O que quero falar hoje é que ouvi de muitos (gregos e brasileiros) que eu sou a pessoa mais sortuda do mundo, que minha vida é um sonho. E não é que eles tinham razão? Eu sou casada com o homem que eu amo, tenho uma família carinhosa que me apoia, trabalho com algo que adoro, viajo o mundo….ta aí: sou uma pessoa de extrema sorte, certo?

Sim, certo. Apesar de que na realidade o buraco é beeeeeeeem mais embaixo. E o caminho é beeeeeem mais curvilíneo. Não há vida apenas de alegria, não há luz sem escuridão. Então, senta que lá vem a história.

Você não sabe o quanto eu caminhei para chegar aqui e você nem pode imaginar quão escuro, difícil e desgastante foi o caminho. Você não conseguiria contar quantas noites de choro eu tive, nem quantas vezes eu caí e levantei, profissionalmente ou emocionalmente falando. Ou quantas brigas horrendas eu tive com minha família, quantas vezes fui maltratada e quantos relacionamentos eu rompi. Ou quantos homens me deram as costas. E adivinha? Percebi, na minha última viagem, que eu não sou a única. Sofrer muito antes de conseguir ser feliz não é privilégio meu.

Luana Sarantopoulos Santorini
Caldeira de Santorini, Fira

Entre alguns dos muitos momentos de tensão e ansiedade na ilha grega de Santorini que eu me encontrei muito mais perto da minha prima grega, Mos, minha irmã, minha metade helênica. Ela e toda a sua beleza misteriosa, seu charme de Afrodite, sua doçura de menina e seu coração maezona de todos. Nada me anima mais quando eu penso em Grécia do que conviver de perto com a minha prima grega! E assim, no meio da escuridão e da beleza negra de Santorini, nos encontramos mais uma vez. Não há coração que possa passar desapercebido por aquela caldeira, porque o vulcão tudo sabe tudo vê. Assim, nós entregamos tudo o que sentimos de peito aberto nessa viagem.

Um pouco depois, quando voltei para casa, eu ainda permaneci na ilha que um dia foi a minha casa, me encontrei comigo mesma, com a minha versão novinha, de 22 anos, corajosa, valente e destemida de ilha. Vi de perto que ela ainda estava lá e consegui trazer um bocado dela comigo. Mas entendi, quando olhei para trás que eu não sou mais aquela menina. Aliás, hoje eu sou muito maior do que aquilo. Foi preciso dizer adeus e pegar o barco, mais uma vez. Algumas lágrimas escorreram porque ir embora nunca é fácil, mas eu sabia que não havia nada melhor para se fazer. Eu sou muito maior do que aquilo, eu saí da ilha, eu corri o mundo. E isso é bom.

E logo que cheguei na ilha vizinha, chamada Milos, uma das mais lindas da Grécia, conheci uma outra menina mulher, super tão incrível. Uma belga-grega, de 19 aninhos apenas, que me fez lembrar de mim mesma quando saí mochilando pelas ilhas gregas pela primeira vez. Quando o mundo era um palco desconhecido e assustador mas ao mesmo tempo era o meu grande e único amor. Toda a beleza ingênua e alegria sem fim daquela menina foram os ingredientes indispensáveis para eu voltar ver a vida com o bocado de leveza que nos é tão necessário. Logo eu estaria em São Paulo e ela em alguma ilha do mar jônico mas ainda assim trocamos fotos e vídeo ano WhatsApp. Ontem eu era como ela e ela espera se tornar como eu algum dia. E no meio do mar esmeralda onde o pôr-do-sol de Milos refletia todas as suas luzes, o tempo parou ao meu redor e tudo fez sentido naqueles segundos de silêncio. É preciso atravessar o caminho para chegar em algum lugar. E se eu sempre quis chegar além, se eu sempre quis ir mais longe, então eu já deveria esperar que meu caminho seria mais longo, mais tortuoso. Fechei os olhos e agradeci. Eureka…afinal, tudo ficou claro. Que sorte a mim de estar nos lugares certos na hora certa 😉 A vida não é maravilhosa?

Luana Sarantopoulos Santorini

E é isso que tenho a dizer. Assim como eu escutei mais de 1000000 vezes que sou sortuda pela vida que eu tenho, descobri que todas essas personagens especiais femininas que me acompanharam nos últimos 20 dias também escutaram, agora que estão na crista da onda. E assim como eu, também ouviram mais de 50000000 vezes que eram loucas, todas as vezes que seus sonhos deram errado, todas as vezes que tentaram levantar de um tombo muito feio, toda vez que tiveram que espalhar o currículo de novo pelo mercado em busca de uma nova profissão. Ou quando enfrentaram os olhares de espanto e desaprovação de todos quando tiveram de contar sobre suas escolhas polêmicas e perturbardoras. Mas isso é passado. Hoje somos mais fortes, mais destemidas, mais capazes e selvagens do que nunca. E estamos prontas para o que der e o que vier.

Ah, e não seja ingênuo. Aqueles que hoje você admira sofreram barbaridades para chegar onde estão. E se hoje você sente uma pontinha de inveja quando vê sobre uma vida cheia de sorte e dias de céus azul saiba que eles não foram sempre tão iluminados assim. Essas pessoas só estão mais tempo naquela estrada longa e misteriosa da vida, eles cometeram mais erros, foram mais machucados e torturados e estão mais esfolados do que você. Não é possível enxergar as belezas lá do alto sem ter visitado as profundezas da escuridão. Disso, eu tenho certeza. Então, paciência, não apresse o rio. Se for o seu destino ou seu sonho ir mais longe do que a maioria vai, sossega que um dia você chega lá. E esteja pronto, porque existe uma lógica inegável na ideia de que vai ficar sempre mais escuro antes de amanhecer.

E o que responder quando as pessoas falam que você tem sorte? Agradeça e sorria, porque no final do dia o que importa é onde estamos hoje, independente de como chegamos até aqui 😉 Estou de volta full power no blog para contar tudo que aconteceu nesses dias pelas ilhas gregas! Obrigada pela audiência e paciência, leitores! E ótima semana!

Luana Sarantopoulos Santorini

3 comentários sobre “O que responder quando as pessoas falam que você tem sorte?

  1. Lulu, perfect! Cada palavra em seu lugar. Cada sentimento não-revelado escancarado para quem pode já perceber. O aprendizado para “chegar lá” – seja onde for – vai mostrando, aos pouquinhos, que o claro e o escuro não existem. Temos a ilusão de passar por eles porque estamos regressando ao que realmente somos: todas as cores e todas as tonalidades. Muitas felicidades sempre, querida blogueira. Você merece por compreender… Beijos

    1. Ei, Monica! Obrigada por ler! Viver é um aprendizado eterno né….! Sou muito grata pelos erros e acertos, são todos parte da jornada 😉 Ah, belíssimas suas palavras, adoro suas contribuições aqui. 🙂 Muitas felicidades para você! bjssss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *