Casamento,  Daily Motivator,  Giro pelo mundo

Se você ama de verdade, liberte

Mais um post inspirado que escrevi quando estava super envolvida com a história do meu primeiro livro!

Todas nós, em algum momento inexplicavelmente difícil de nossas vidas, vamos entender a necessidade e importância de libertar a pessoa amada. Não importa se essa decisão lhe parece injusta ou incabível, se você vai chorar algumas noites ou vai se perder nos grandes ecos das hipóteses, as vezes temos que deixar o amor voar, mesmo que isso signifique voar para bem longe.

E libertar o ser amado não quer dizer que você optou por abandoná-lo, ou não lutar por ele, ou deixá-lo cair no esquecimento. Não necessariamente. Algumas vezes, percebemos na prática que é preciso “soltar a linha” de um novo relacionamento para ver até onde ele vai. Se usarmos a técnica da liberdade de um jeito sincero e sobretudo inteligente, vamos observar que muitos homens só precisam de tempo e sossego para perceber o que querem de verdade. Ele vai acabar entendo que quer voltar correndo para o cativeiro de seus braços, mas ele precisava de tomar essa decisão sozinho, longe de seus olhos.

Em outras situações, é preciso parecer “solta” para conquistar o espaço desejado. Toda mulher que já teve algumas experiências em relacionamento sabe que quanto menos se espera, mais se recebe. Quem aí só conheceu caras superficiais enquanto saia em busca do amor da vida? E quem aí descobriu que um rolo de uma fase descompromissada de solteira poderia ser um belo partido?

E por aí, exemplos não faltam. Em todo caso, como nunca sabemos com que destino vamos trombar na próxima esquina, vale a lição de manter os olhos bem abertos, isto é, se estamos prontas para a missão. Porque se não estamos e temos consciência disso (só que nunca temos), deveríamos deixar bem claro para os bons moços que não estamos aptas a nenhum tipo de relacionamento. E que estamos momentaneamente fechadas para balanço. E assim, os libertaremos de uma saga amorosa impiedosa e confusa. Não machucaremos o outro e nos pouparemos de culpas e acertos de contas de carma futuro.

Difícil? Sim. Impossível? Quase, mas não, não é impossível. Só que conseguir se expressar com tanta clareza para o outro exige que você já tenha o hábito de ter conversas francas consigo mesma. Aí é que mora o segredo, temos que ser nossas melhoras amigas, entender nossos pontos fracos, nossas dúvidas, perdoar nossos erros e só então, podemos dar os conselhos sábios de quem tudo viu e viveu para que se acerte nos próximos passos. E como entender que as vezes é preciso soltar um homem que se ama no meio de um relacionamento sério? De um casamento?

Quando tudo está tão estressante e pesado que só a companhia um do outro não basta para que existam sorrisos e carinhos dentro de casa, bem, é hora de soltar. Encontrar um hobby diferente para você, comprar um livro novo para ele. Ir visitar os pais, deixar ele confortável e sem horário no final de semana. Soltar, digo mais uma vez, não é mandar para longe. É simplesmente tirar a pressão, aquela que esmaga nossos peitos quase todas as manhãs. E o mais importante disso tudo: é preciso muito conversa para que a libertação não seja vista como desinteresse, muito menos como passos em caminhos opostos. Ou seja, no amor, como em tudo nessa vida, falar é preciso.

Ainda me parece que aqui se faz e aqui se paga, na esfera amorosa. Logo, prefiro optar pela sinceridade em 99% dos casos. Porque tem aqueles 1% nos quais falar tudo que se pensa só vai gerar um efeito colateral difícil de ser previsto e impossível de ser controlado. E quando saber que o momento que se está vivendo é parte da pequena e macabra janela do 1% das verdades omitidas? Basta pensar que quando tudo acabar, se você o ama de verdade, você tem que deixar ele partir e eu sei que honestamente não deve ser isso que você sente aí dentro. Se você o ama, você quer dizer tudo isso e um pouco mais, você quer provar o amor de todas as maneiras, pedir desculpas pelos erros do passado, fazer promessas impossíveis para o futuro. Se você e ele já tem uma história juntos e já tentaram de tudo um pouco, por mais que seja difícil, as vezes é hora de libertar. E isso não é necessariamente mentir, mas é evitar que sua mente continue repetindo os mesmos vícios, é acreditar que pode haver um caminho menos sofrido para o amor.

Já tentou muitas vezes e nada deu certo? Talvez seja a hora de libertar de vez quem você ama. Se você teve a sabedoria e sã consciência de entender isso, não diga que o ama, não diga que ainda o quer. Seja firme e deixe ele seguir com a vida dele. E você com a sua. Por mais que a raiva, o desentendimento e a mágoa tomem conta do pensamento por algum tempo, no final do dia, os dois lados vão se sentir agradecidos. Podemos libertar quem amamos, porque havemos de amar muitas pessoas nessa vida. E não podemos viver acorrentadas nelas, pois não somos como almas presas cumprindo penas nesse planeta. Somos todos borboletas a voar pelo jardim da vida.

relacionamento liberdade

Ei gente, aqui é a Lulu. Sou de família grega e italiana e morei em Santorini. Em 2014, tive o prazer de me casar na ilha de Santorini, lugar mais lindo do mundo! Moro em Amsterdam e viajo todo verão para a Grécia, para realizar o sonho de quem quer casar em Santorini. Pergunte que quiser. 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *