5 dicas para ver Londres como você nunca viu!

Fazia muito tempo que tinha voltado de Londres pela última vez. Tempo mesmo, mais de 10 anos! Então aproveitei a escapada de poucos dias para curtir uma parte de Londres que não tinha aproveitado nas outras viagens à Inglaterra.

Neste post vou dar 5 dicas para ver Londres como você nunca viu!

o que fazer Londres
o que fazer Londres

Vou começar com algumas dicas sobre o que fazer em Londres. Li bastante antes de viajar mas concluí que eu tinha muito pouco tempo para fazer tudo que eu queria 🙁 Então escolhi fazer um número menor de atrações, mas fazê-las da melhor maneira possível! E quando vi que as temperaturas iriam estar abaixo de zero, botei mais casaco na mala e fui animada. Nunca tinha visto Londres dessa maneira, embaixo de neve!

o que fazer em Londres
Londres no inverno

 O que é imperdível em Londres:

  1. Royal Tour, a pé! Achei este tour no site: e simplesmente adorei a ideia. O serviço é oferecido por guias locais, que sabem tudinho de Londres. Eu fiz o Royal Tour com o Tom, e adorei o passeio! Durou aproximadamente 3 horas e fomos nos pontos que são super relevantes a história da Realeza da Inglaterra. Para quem gosta de história (eu!), é um tour super interessante! E se você gosta dos seriados que tem algo a ver Inglaterra, (com a Victoria, The Crown, Donwtown Abbey e coisas do gênero)  – eu também! – pode se interessar pelo royal tour também 🙂 Não tem mais nada inglês do que realeza (e uma cup of team, né?)

    o que fazer Londres
    Royal Tour em Londres
  2. London Eye VIP: o passeio pela roda gigante, a London Eye, é legal, independente do valor que você paga. Só de ver Londres do alto….coisa mais linda! Mas nesta viagem descobri que tinha tickets “normais”, tinha os “fast-tracks” que pegam uma fila menor e ainda tinha os VIPs. Como a diferença era pequena (tipo 5 libras a mais), decidi experimentar o London Eye VIP e achei que valeu muito a pena. A espera rola em um lounge quentinho com vistas lindas de Londres e quando chega a sua vez, a guia vem buscar o grupo seleto para entrar na roda gigante. Então você ganha uma taça de champagne durante o passeio. E o plus é  um guia explicando tudo dentro da cabine, uma mapa mega detalhado 360 graus, e número reduzidos de pessoas.Como eu não sou super fã de altura, achei que esses pequenos detalhes fizeram meu passeio muito mais agradável! 😉
    o-que-fazer-Londres-(11)
    London Eye, VIP
    o que fazer Londres
    London Eye VIP

     

    Chá da tarde como você nunca viu!

  3. Chá da Tarde Top: The Afternoon Tea no The Goring Hotel, coisa de gente muito fina 🙂 Nosso guia local nos contou que membros da família real adoram convidar os amigos para um chá da tarde no The Goring. Com mais de um século de experiência e perfeição na arte do chá da tarde,  este hotel tem um salão lindo que é palco da experiência de 3 as 4 da tarde, todos os dias. E não é só chá, não, gente, tem também a opção  de Afternoon tea with Bollinger, aquele champagne que é lenda! Todas as informações sobre o chá da tarde estão aqui: https://www.thegoring.com/food-drink/afternoon-tea/
    o que fazer Londres
    Chá da tarde no The Goring

    Compras em Londres: como você nunca viu!

  4. Compras na PrimarkSaindo do chá chic da tarde direto para a loja mais barata de departamento que já vi na vida 🙂 Sou fã da Primark desde sempre e toda vez que posso, dou uma passada lá 😉 Compras na Primark já faz parte da tradição de passear por Londres. Lá você encongtra peças de fast fashion pelo preço mais em conta que você já viu na vida. Claro que, algumas peças são simples e vão durar uma temporada, mas eu também tenho peças que já duram 10 anos 😉 Portanto, se você gosta de compras, vale uma visita!
    O que fazer em Londres
    Primark, em Londres

    Frio e neve em Londres: como você nunca viu!

  5. Inverno em Londres: já conhecia os invernos ingleses, cheio de chuva e vento. E também já um vislumbre do que era o verão, que também tem seu charme. Mas nada, em nenhuma das visitas anteriores, tinha visto um Londres tão maravilhosa com a Londre embaixo de neve! 😉 Confesso que quando vi a previsão do clima já estava com as passagens compradas e não ia desaminar de jeito nenhum 🙂 Mas que tava frio, tava! Demais! E que a neve caindo atrapalha o trânsito, os voos, e toda a vida “normal”, sim, ela atrapalha. Mas se você tivesse a sorte de estar passeando por Londres, ia sentir toda a mágica de uma Londres branquinha.
    o-que-fazer-Londres-(8)
    Londres, no inverno

    Fiz um post curtinho só para compartilhar algumas coisas legais desta viagem 🙂 mas espero que tenham gostado das dicas! Obrigada pelas mensagens de carinho, leio todas e me emociono!

    Mais algumas fotos da minha viagem por Londres 😉 Mil beijos!

    o-que-fazer-Londres-(8)
    Londres, no inverno

    o-que-fazer-Londres-(8)

    o que fazer em Londres
    o que fazer em Londres
    o que fazer em Londres
    Londres no inverno

     

10 coisas que eu AMO (e odeio) sobre a Inglaterra

Vou me aproveitar da onda das listas de ódio por países e criar uma de amor e ódio. Afinal, vocês me conhecem e sabem que eu não perderia nem um segundo da minha vida para me dedicar a profanar o pior que uma nação tem. Acredito que todos os lugares tem milhões de vantagens e, obviamente, de coisas irritantes e indesejáveis.

Com certeza, você já sentiu isso na pele. Você estava se sentindo o máximo em algum país de primeiro mundo, vivendo a sua vidinha de um jeito bem mais organizado e sem medo quando sentiu o baque do choque cultural absurdo e ficou assim, sem saber dizer se preferia aquele jeito evoluído que você (provavelmente) não se encaixava ou se iria votar para que o esculacho continuasse a reinar na nossa terrinha brasilis. Ah, “terrinha” é meu jeito mineiro de falar carinhosamente da minha terra, Brasilzão, tá? Não é pejorativo, pelo-amor-de-Deus!

10 coisas que amo e odeio sobre a Inglaterra

Então, inspirada pela série de coisas relevantes e curiosas que eu e meu amor conseguimos levantar em uma conversa de bar de um dia qualquer, vai aí a minha lista de 10 coisas que amo e odeio sobre a Inglaterra!

1) O item número um desta lista tinha que ser a pontualidade britânica. Existe uma tranquilidade intrínseca a tudo que acontece na Inglaterra, porque simplesmente você sabe o que e em que horas as coisas vão acontecer no seu dia. Almoço com as amigas as 12 e 30 em ponto, chá das five às 5 e ponto e jantar as 20:00 sharp. Legal né? As pessoas aparecem na hora, ninguém fica criando raízes sozinha em algum pub olhando para a porta esperando desesperadamente a companhia e a sensação de respeito mútuo é deliciosa. Mas para mim, criaturinha de terceiro mundo, foi bem tenso conseguir entender que o ônibus que passa as 17:07, foi difícil pra burro entender que ele chega no ponto as 17:06 e fecha as portas e arranca as 17:08.

2) Quando eu penso em Inglaterra, penso no sotaque maravilhoso que os britânicos têm. Não me importa se for aquele tom agressivo no norte, de Manchester, se é aquele puxado caipira das midlands (que me é super familiar!) ou se é o acelerado ritmado do sul de Londres, sim, aquele que quase ninguém de fora é capaz de entender. Eu adoro o sotaque britânico. Só que perdi as contas de quantas vezes eu tive que ficar esclarecendo que eu estava dizendo “can not”, porque simplesmente eles não entendem a nossa pronúncia de “can’t”. Isso e claro, muitas outras coisas que eu tinha que repetir até cansar em todas as pronúncias imagináveis para que um britânico conseguir ter uma pista do que eu estava falando.

3) Ah, os Pubs. Uma das coisas que eu mais curti no tempo que morei na Inglterra foi a saga de ir de pub em pub, com minha galerinha de ingleses descolados. Eu que raramente conseguia beber mais do que duas cervejas porque o pint deles é uma jarra para mim logo entendi que aquela era a maior diversão que se conseguiria em um país frio como aquele. Só que todo mundo vai para os pubs normalmente depois do trabalho e por questões de temperatura, o pub fica todo fechado o dia todo, aquecedor no talo. Então a catinga, o cheiro que é um misto de espirro com cecê e bafo é uma constante indesejável e meio nojenta da vida nos pubs… fazer o que né?!

4)  A Rainha. Deus salve a Rainha, toda a família real e a realeza completa que ainda existe. Tem coisa mais perfeita do que a Kate e William e o baby mais fofs e chic do mundo? Então, os britânicos amam a família real, amam incondicionalmente. Só que se algum jornal lama colocar algum caso absurdo e algum escândalo vier à tona, prepare-se para ouvir toda a ladainha da boca de todos os ingleses porque eles tem um interesse anormal sobre o assunto. E, fique atento, pois é óbvio que você que não é nem de longe relacionado ao sangue azul não pode cogitar em expressar sua opinião sobre a Rainha, porque muitos deles ficam furiosos e ofendidos. Aprendi na pele, tá?

5) Falando em jornal, para quem curte uma boa fofoca, nada como os tablóides ingleses. Eles são a maior máquina do mundo de fofocas, histórias surreais e casos absurdos. Dependendo do dia, da matéria que foi escolhida para capa do “The  Sun” é risada e assunto garantido na roda de amigos, mas também tem o lado trash de trazer matérias totalmente catastróficas e apocalípticas na maior parte do tempo. E aí, fica a gosto do cliente: tem quem ame e quem odeie. Eu passo.

6) Não vou dizer todos, mas a maioria dos ingleses que eu conheci era super polite. Assim, a educação e gentileza são caracteristicas obrigatórias que devem ser apresentadas logo de cara por qualquer pessoas que esteja no Reino Unido como um todo. É esperado de todos que se diga “obrigado”, “por favor”, “com licença”, “could you”, “can I have”, “I beg your pardon” mesmo se você estiver bêbado em alguma casa de kebabs no meio da madrugada gelada britânica. Eu sempre achei isso ótimo, um super plus de viver na Inglaterra. A parte chata é que nós não estamos acostumados a nos expressar assim na nossa língua, então, principalmente no começo, frequentemente cometemos erros estrondosos quando falamos inglês, já que é aquele inglês traduzido mentalmente do que falaríamos em português. Bang! Vai tomar um “why do you have to be so rude?” na cabeça, na certa.

7) A comida inglesa pode ser parecida com aquela que o Jamie Oliver faz na Tv e eu achei que a oferta de produtos era bem variada e completa e os pratos eram saborosos. Mas o brasileiro vai achar a banana cara, os vegetais frescos caros e a carne um roubo e erroneamente ou por questão de necessidade pode acabar comendo miojo todo dia. E aí vai falar que só tem porcaria na Inglaterra.

8) Os preços dos eletrônicos era ridiculamente baixo quanto eu morei lá. Não sei atualmente, mas na época dava para comprar todo tipo de quinquilharia eletrônica no Ebay e mesmo nas lojas das grandes cidades por um preço muito, muuito baixo. Até meu salário de bartender redeu vários celulares, binóculos que tiravam fotos, mini filmadoras, playstation e toda a lista que um brasileiro tenta trazer para dentro do país na volta da viagem. Surpresa: minha mala foi extraviada e ficou voando para lá e para cá por mais de 1 mês e é claro, eu não vi nem metade do que eu tinha comprado.

9) Moda e por moda, eu me refiro a moda popular, ao street wear. Foi por causa da Inglaterra que eu virei um shopaholic porque eu não conseguia assimilar como aquele tanto de qualidade e informação de moda poderia ser vendida por um preço tão acessível. Então eu me jogava nas filas das big lojas e me acabava nas compras. Resultado: mil sacolas e uma conta de menos de 80 libras. A parte chata é que normalmente eles não tem muita opção de calças e shorts para bootylicius girls como as brasucas. Aí é complicado achar uma calça que acomode nosso uh-uh sem mostrar o cofre.

10) Clima. Sei que o senso comum acha o clima da Inglaterra detestável. Toda aquela chuva e vento que não tem hora para chegar nem para parar e que persiste na maior parte do ano pode ser realmente desanimadora. Mas há algo de incrivelmente belo no outono inglês, todas aquelas folhas no chão anunciando que o frio de lascar já está dobrando a esquina. Eu adorava olhar pela janela, mesmo nos dias mais gelados e observar a bagunça que os cachorros e as crianças faziam quando a primeira neve caía. E eu queria ir também! Ah, é que eu gosto de aproveitar o máximo das experiências que eu escolho viver!

E vale ressaltar, eu não seria besta de generalizar nenhuma das informações acima. Eu tenho certeza que existem ingleses que odeiam a família real, lugares que tem comida ruim, pubs que são cheirosos e britânicos que nunca chegam na hora. Quando a gente generaliza, normalmente a gente erra feio. Minha última dica: vá até lá e descubra por você mesmo as coisas que te encantam e que te desanimam sobre qualquer lugar. Ninguém pode viver nossa vida por nós 😉 Perdoem a qualidade das fotos, elas são de muitos anos atrás (dá época que 3 MP era o top! rsrsrs):

10 coisas que amo e odeio sobre a Inglaterra
Lulu na Inglaterra

 

10 coisas que amo e odeio sobre a Inglaterra
Cambridge

 

10 coisas que amo e odeio sobre a Inglaterra
Lulu em New Castle, Inglaterra

 

10 coisas que amo e odeio sobre a Inglaterra
Lulu em Londres, Inglaterra

 

 

 

 

Magical Mystery Tour!


Este post veio de uma inspiração super especial. Uma não, na verdade foram duas situações bem diferentes que chamaram minha atenção neste buraco entre passado e futuro que se chama “momento presente que vivemos”!

Já viram que estou inspirada, né?! E muito! Bom, para começar ando a mil por hora nos novos projetos e com muito gás e fé no sucesso, mas no meio disso tudo, tive uma notícia não tão boa, vindo de uma família tão querida que está passando por uma barra pesada. E quem nunca teve dias de cão!? E mesmo no meio do meu turbilhão, não consegui deixar de pensar em tudo que minha amiga está vivendo e comecei a refletir muito sobre a vida, para variar…

E a outra inspiração, para quem ficou curioso, veio de uma outra amiga da Cents e da Lulu, que me convidou para dar uma entrevista para o blog de moda que ela tem. Será que eu topei!? Demais! Afinal, nada como olhar para trás e dividir com alguém nossas conquista e mais ainda,  todos os nosso perrengues até conquistar qualquer coisa neste mundo. Eu amei a idéia e assim que a entrevista for postada, compartilho com vocês!

Com tudo isso em mente, e com uma vontade louca de achar 10 minutinhos para postar algo que possa ser relevante para muitas vidas, fui em busca de um dos livros que mais me inspirou em tempos difíceis, além mar: Pepitas de Ouro, do Osho! Presente dos meus queridos pais, tem até dedicatória fofa deles, sinto que é hora de ele mudar de mãos, para ajudar quem precisa, mas não sem antes dar uma palinha aqui no país das maravilhas….

“Viva totalmente e viva intensamente, então cada momento se torna dourado e toda a sua vida se torna uma sequência de momentos dourados.”

LULU em Santorini, Grécia 2009

“Ponha tudo em jogo. Seja um jogador! Arrisque tudo porque o próximo momento não é certo.”

LULU na Feira Têxtil em Istambul, Turquia 2012

“O contentamento não está no fato de completar algo; e sim no fato que você desejou com tal intensidade que, enquanto o estava fazendo, você esqueceu de tudo, o mundo inteiro; ele era o único foco de todo o seu ser.”

LULU e Suelen Natal na produção do Catálogo Cents Imports 2012

“Para aqueles que querem viver – não pensar a respeito, mas amar; não pensar a respeito, mas ser; não filosofar a respeito –  não existe alternativa além de beber o néctar do presente momento.”

LULU em Halkidiki, Grécia 2007

“Se você está triste, você está errado; se você está alegre, você está certo.”

LULU e Fefs nas fotos da Loja Virtual da Cents 2011

“Uma pessoa destemida tem tudo o que a vida desejar dar a ela como dádiva.”

LULU na Mesquita Azul, Sultahnamet, Turquia 2011

“Simplesmente ouça seu coração. Esse é o seu único professor.”

LULU feliz! Hoje e sempre, força na peruca!

Para vocês que se identificaram com as frases do Osho, agora vou mandar uma de minha autoria. Aliás, roubei mais de metade da frase né, acho que nem conta…..heheheheh! Só queria falar com vocês para se jogarem de cabeça na vida, porque ainda não há comprovações que se vive mais do que uma vez (ou há?), pelo menos não neste corpitcho lindo do momento:

Sooooo, seja bem vindo à vida: o maior Magical Mystery Tour do mundo!

LULU em Liverpool, Inglaterra 2006

Beijos e excelente semana para todos!

O pior de viajar sozinha: fotos tiradas pelos passantes!

Quem me conhece bem, sabe que eu sou péssima para tirar fotos! Lá no passado longínquo, quando eu tinha os meus 14 anos e era fera na capoeira, a minha fama já me perseguia. Todo mundo tem um apelido na capoeira, se você não sabe. E eu não tive por um tempo, e até ficava triste por isso. O meu destino veio de encontro e me pediram para eu tirar uma foto de alguma acrobacia durante a roda de capoeira. Adivinha? Eu não consegui clicar nem uma foto do salto, só do chão e do ar mesmo. By the way, meu apelido era Kodak!

O tempo passou, mas as coisas não mudaram tanto! Eu continuei tirando muita foto, e muita foto ruim! Achei meus arquivos do mochilão de um ano esses dias, e que deprê, muita foto que tinha o maior potencial, totalmente sem foco. Tenho várias horríveis, mas acho que a do pequeno porto em Pitagório, Samos, é suficiente para você entender o sentimento de quem nadou e morreu na praia com uma foto ruim, quase boa:

Porto de Pitagorio, Samos, Grécia

Mas este post não é sobre isso! Afinal de contas, finalmente comprei um câmera semi profissional e vou arrasar daqui para frente! Prometo novas fotos, em breve!

E como a vida é muito justa, também fuçando no meus arquivos percebi que geral não sabe tirar foto bem! Eu sempre viajava sozinha, e eu contava com a colaboração de estranhos e/ou amigos de um dia para tirar as minhas fotos. E não é que a galera até que tentava, mas acabava sacaneando!?

Concluí que o mundo realmente dá voltas, e aqui se faz aqui se paga. Acho que peguei uma rebarba na praga que uma turista jogou no meu pai, há muitos anos, quando ele tirou a foto dos pés dela (isso mesmo, somente dos pés) na praia de Cabo Frio! Por pura sacanagem!

Para vocês, as piores fotos que poderiam ter tirado da minha pessoa! Divirtam-se e não façam isso com ninguém!

Kusadassi, Turquia

Ah, fala sério! Era para ser super legal e mostrar a cor e o movi do lugar, mas não tão “ao pé da letra”!

E quando não te avisam que sua cara está ridícula!?

Skegness, Inglaterra

A praia de Skeg é bem feinha, e com um parque de diversões bizarro e não tinha nada mais para tirar de foto além do famoso Fish and Chips. How depressive!

Agora esta em Istambul, eu já achei paia! Foi sacanagem na alta! Tentem me achar na foto:

Istambul, Turquia

A Mesquita Azul estava lá linda e glamourosa e eu sai praticamente atrapalhando a foto, concordam!?

E no alto da ilha de Patmos, contra o vento, dá para tirar? Não, mas ninguém me avisou. E eu achei que tinha até ficado bacana:

Patmos, Grécia

A paisagem é linda, teria ficado bem melhor se eu não estivesse na foto. Atrapalhei a foto, (parte 2)!

E para finalizar, essa foto que é estranha, mas que dá até um efeito legal (?).

Londres, Inglaterra

Eu estava no meio da Avenida em Londres, e era noite e estava brilhante, acho que a foto capitou tudo isso né!? Também deu para ver que estava muito frio né!?

Independente das fotos lame total, o importante é que eu estava feliz e como estava. E acho que muitas dessas fotos foram tiradas na minha primeira câmera digital, nas minhas primeiras viagens…Então deu sorte!

A gente tem sempre que começar, de algum jeito, mesmo que de qualquer jeito. O fato e a única certeza é que um dia a gente chega lá, se não desistir no caminho né…!?  Bora para frente, porque o tempo não pára!