Casamentos em Santorini 2017!

Queridos leitores,

Neste momento estou na ilha de Santorini, meu lugar favorito no mundo para mais uma temporada de Casamentos em Santorini!

Eu e a equipe do Casamento em Santorini organizamos para este ano casamentos lindos recheados de amor. Muitas noivas lindas, muitos passeios legais e claro, imagens de cair o queixo!

Casamento em Santorini
La Maltese Imerovigli – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
Casamento Camila e Andrey – La Maltese Imerovigli – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
La Maltese Imerovigli – Casamento em Santorini
Andromeda – Casamento em Santorini
casamento_em_santorini (27)
Paula – Santa Irene – Casamento em Santorini
casamento_em_santorini (6)
Beach Party – Theros Wave Bar – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
Makinf off Casamento Beth&Giorgio – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
Entrada do noivo – Casamento Beth&Giorgio – Igreja Anastasis – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
Beth…seu pai e seu irmão – Igreja Anastasis – Casamento em Santorini
Casamento em Santorini
Beth&Giorgio – Igreja Anastasis – Casamento em Santorini

Acompanhe sempre pelo insta @luana_sarantopoulos, pelo face /lulunopaisdasmaravilhas e se tiver mais interessada em casamentos nessa ilha maravilhosa, dê uma olhadinha no @casamentoemsantorini  e face /casamentoemsantorini

Esses dias serão super corridos, mas iremos postar com calma o melhor conteúdo para vocês!

Por enquanto, acompanhem por lá!!!

Beijos!!!!!

Você sabe o que é Elopement e Destination Wedding?

Casamento em Santorini – foto cedida por Divine Wedding

Olá minhas noivinhas e leitores!

O post de hoje é para esclarecer duas expressões que temos ouvido bastante no mundo Wedding. É para as noivinhas que ainda não planejaram nada do seu casamento.

Já ouviram falar dessa hashtag: #elopementwedding – circulando pela web e as redes sociais? Se a resposta é não…Bom, vamos lá! Elopement Wedding é uma expressão dada para os noivos que optaram por um casamento íntimo. Os únicos presentes serão o noivo e a noiva. Rara as vezes, podem ter presença dos pais ou apenas amigos muito próximos do casal.

A ideia inicial é que seja realizado apenas entre os noivos, um celebrante (padre, pastor, juiz de paz, amigo, parente, etc) e um fotógrafo para registrar o momento.

A expressão Elopement Wedding veio da palavra em inglês “elope” que significa “fugir”.

Mas caaaaalma, meninas…não é fugir de casa, do mapa, com um amor de carnaval. Aqui o significado é fugir das complicações e digamos, certas normas e regras que nossa sociedade colocou em uma cerimônia de casamento.

Acredito que toda pessoa já deve ter conhecido uma noiva que já pirou em alguma parte da organização do seu casamento, seja na cerimônia ou na recepção. Uma lista infinita de fornecedores, pensar nas lembrancinhas, cores da decoração, pesquisas de preços e de locais para o evento. Tem ainda a briga eterna entre a família na hora de fazer a lista de convidados, e muuuito dinheiro envolvido em apenas uma hora de cerimônia e geralmente 6 horas de festa…

Talvez, depois disso, os noivos precisam de um descanso de toda essa bagunça e acabam não sobrando grana nem pra lua de mel.

 

Casamento em Santorini – foto cedida por Divine Wedding

Com todos esses “pepinos” dentro de um planejamento de um casamento, muitos casais optam por esse tipo de cerimônia. Resolvem fazer de sua união uma festa apenas para os dois. Parece ser algo muito complexo para a cabeça de muitos. Viemos de uma tradição que o casamento é uma festa mais para família e amigos do que para os próprios noivos. Mas esse novo segmento vem crescendo – e MUITO – no setor de casamentos do nosso país. E diferentemente dos chamados Mini Weddings que podem ter até 100 convidados, o Elopement não passa de 10 pessoas.

Além do gasto ser bem menor que um casamento tradicional, o Elopement Wedding pode se unir ao Destination Wedding.

Calma, vou explicar rsrs…mais uma expressão louca mas também forte nesse meio. O Destination nada mais é do que casar fora do seu local de origem. Por exemplo, se você é de São Paulo e casa na Bahia, ou como nossas noivas que são brasileiras e casam-se na Grécia. Sacaram?!

Elopement e Destination Wedding - Casamento em Santorini
Elopement e Destination Wedding – Casamento em Santorini

Agora que apresentei essas duas expressões, imagina essas duas unidas?

Com certeza podem se tornar uma das maiores e mais incríveis experiências de um casal. E é isso que nós da equipe de Casamento em Santorini trabalhamos com força total! Mas é bom lembrar: muitos casais nos procuram para um casamento íntimo – ou elopement – e já emendam uma super lua de mel pelas ilhas gregas. Também atendemos casais que sonham e tem disposição pra transformar um mega evento de casamento como no Brasil só que lá em Santorini, na Grécia. Claro que o envolvimento financeiro é diferente, mas a experiência para noivos e convidados ficam marcados na memória. É algo fora do comum casar numa ilha paradisíaca!

Os Elopement Wedding e Destination Wedding parecem até uma história de amor de romances literários. Como se fosse um casal de adolescentes fugindo por causa de um amor proibido…kkk bem utópica. Mas a verdade é que vem dando muito certo e já temos dezenas de casais fechados para casamentos em Santorini até em 2019. O que significa que “consideramos justas toda a forma de amor” e de cerimônias!

E se você se interessou por esse tipo de casamento, que além de lindo e romântico, você e seu noivo já emendam aquela lua de mel dos sonhos na Grécia, entre em contato pelo nosso email: casamentoemsantorini@gmail.com

Continue navegando pelo meu blog e veja mais do meu conteúdo espalhado pelas redes sociais como Facebook, Instagram e Pinterest.

Mil beijos!

Santorini no Inverno: o que você precisa saber

Muita gente me pergunta sobre se vale a pena ir para a ilha grega de Santorini, no inverno 😉 Como já morei na ilha (yes, no inverno também), tem mais de 10 anos que vou para Santorini e acabei de voltar de lá – fiquei 10 dias em Santorini no meio do inverno, turistando – resolvi fazer este post super completo com TODAS AS INFORMAÇÕES QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE SANTORINI NO INVERNO!

Inverno em Santorini Grécia (15)
Inverno em Santorini, Grécia

Santorini no Inverno: o que você precisa saber?

Precisa se preparar para os ventos frios, com muito casaco e roupa de lã, então consulte a seção sobre temperaturas 😉 Precisa saber que nem todo lugar vai ter hotel aberto e que nem todo hotel vai ter aquecimento (no máximo um ar condicionado que sopra 30 graus  – acredite, no inverno pode não ser suficiente). Então, confira a parte de “onde ficar”, neste post. Precisa saber que não é tão fácil achar restaurantes e cafés, portanto veja a nossa lista de sugetsões abaixo (a não ser que você não se importe de só comer souvlaki e tiropita kk). E se você conseguiu chegar até Santorini no meio do inverno (consulte, “como chegar” abaixo), aproveite a lista maravilhosa de coisas para fazer em Santorini no Inverno! Eu, particularmente, amo Santorini no inverno!!!

Inverno em Santorini Grécia
Inverno em Santorini Grécia

Introdução sobre o que é o Inverno em Santorini 

Bom, para começar quero dizer que a experiência de ter vivido no inverno em Santorini, como uma local, foi extrema e brutalmente diferente da experiência de turistar no inverno de Santorini. E isso é uma coisa que eu quero explicar para vocês: nas ilhas gregas, queridos leitores, só existe inverno e verão e eles são momentos estupidamente extremos. Basicamente, se você morasse na ilha, você iria se ligar que no Verão tem sol, praia, turismo, dinheiro, ilha lotada, romance no ar, trabalho todo dia – alegria e caos total! 😉 Já no Inverno tem frio, vento, mar revolto, umidade, pouco trabalho, ninguém nas ruas e é hora de entrar em casa, descansar na frente do aquecedor e rezar para que o próximo verão seje bom. Desejos de uma “boa temporada” é o que se escuta a cada esquina nos meses que não são verão, afinal, se não tem turista no verão, não tem sobrevivência no inverno 🙁

Dito isso, creio que deu para vocês entenderem o clima de paradoxo maluco que é viver em Santorini ou qualquer ilha grega por um período longo de tempo. Portanto, quando você fala para um local que vai para Santorini no inverno, ele vai te olhar assustado e perguntar ” Fazer o quê, no inverno em Santorini?”. E no final do verão, eles vão te perguntar…“você vai ficar para o inverno? Mas você já sabe como é o inverno aqui?É muito difícil!“. E ele está certo. É, realmente, muito difícil.

Então, se você é um turista ou forasteiro que conheceu Santorini no inverno, você vai achar que o clima de **Game of Thrones, quando Jon Snow fala “Winter is Coming”*** é muito dramático já que Santorini continua viva e linda durante todo o ano. Eu, no entanto, entendo a tensão e melancolia que envolve o inverno e tenho o maior respeito do mundo por aqueles que vivem na ilha do vulcão – hello, uma vida em um vulcão – com terrremotos, ventos insanos, e o risco eterno de um BUM catastrófico.

Inverno em Santorini Grécia
Inverno em Santorini, Grécia

Lembro de expressões como “no inverno, tudo fecha”, “não tem nem gato na rua no inverno em Santorini”, e as mais assustadoras como “fulano morreu por causa do inverno” – já que no inverno morre um bocado de gente nas ilhas (seja pelo frio, pelas doenças que eles já tinham, pelo atendimento não tão bom e a dificuldade de sair da ilha em dias de clima ruim…) Enfim, tem história para dar e vender  – mas vamos focar!!

Agora que já dei minha introdução reflexiva sobre Santorini no Inverno (vocês me conhecem e sabem que não posso evitar!) – vamos a parte prática da coisa!

Dicas: O que você tem que saber sobre Santorini no Inverno 

Afinal, Santorini fecha no inverno??

Não exatamente. As vilas onde os locais moram continuam funcionando normalmente, com mercados, bancos e cafeterias, mas se você é um visitante ou turista em Santorini, pode ser que você não faça nem ideia de onde a população vive. Daí, a sensação de que “a ilha fechou”, já que a parte turística onde ficam os hotéis, as atrações, e as vistas famosas do pôr do sol, ficam vazias. Eu diria que 80-90% do comércio relacionado ao turismo está fechado no inverno. Algumas agências de turismo ficam abertas por poucas horas, então é bom ter seus contatos ou chamar a Lulu aqui para fazer uma ligações 😉 Então, no inverno, o mais provável é que você vai caminhar nas famosas vilas de Fira e Oia, na beira da caldeira do vulcão, no local mais caro da Grécia, e um dos mais lindos do mundo em companhia apenas de Deus – quer coisa melhor?

Não é necessário ter medo, pois não tem crime, nem assalto nem nada disso em Santorini. Então, se você estiver sozinha, OK, dont worry. Aproveite a vista e o silêncio e explore tudo que quiser da ilha.

Atenção: é provavél que, nos meses de fevereiro e março, quando o inverno sigá sigá (devagar, devagar, me grego) vai dando lugar para a primavera, Santorini se transforme em um grande canteiro de obras. É nessa época do ano que o pessoal faz as construções das novas casas, renovações dos hotéis, cheiro de pintura fresca na ilha toda! Ou seja, até as igrejinhas com o domo azul estão sendo pintadas nesta época do ano – pode ser que você só veja domos brancos pelas ruas de Santorini 😉 No verão, elas estarão azuis de novo – aguarde!!

Inverno em Santorini Grécia
Inverno em Santorini, Grécia

Temperaturas em Santorini no Inverno 

Normalmente, as temperaturas no inverno de Santorini variam de zero a quinze graus Celsius. Tem grandes chances de você ficar uma semana em Santorini no meio do inverno e ter um céu azul maravilhoso e um sol bem quentinho e você até consegue caminhar na praia como se fosse começo de verão. Mas também é bem provável que o tempo fique louco, o vento sopre tão forte que nenhum barco vá para o mar e nenhum avião pouse ou decole de Santorini. A umidade é constante no alto inverno e – socorro – só de lembrar meus joelhos doem kkk

Resumo: é questão de sorte –  pode ter sol e céu azul de manhã com vendaval e tempestade a tarde 😉

Como chegar em Santorini no Inverno 

Eu viajo sempre de barco, então acho tranquilo ir de Atenas para Santorini de ferry boat (5 ou 8 horas de viagem). Eu não acho a viagem longa porque já me acostumei e no inverno o ritmo é lento e OK passar 8 horas em um barco observando o mar maravilhoso! Mas é claro que muitas vezes eu vou de avião, né gente, porque são apenas 35 minutinhos de viagem 😉

Tem problema de voos ou barcos cancelados? SIM, é comum no inverno, portanto é bom sempre ter uma margem de erro e não comprar conexões apertadas.

Onde ficar em Santorini no Inverno 

Eu fiz uma boa pesquisa sobre hotéis que ficam abertos no inverno em Santorini, e acabei por escolher ficar hospedada na caldeira de Fira e em Oia. Eu queria ter a experiência de ficar em hotéis na caldeira de Santorini, mesmo no inverno. Conclusão: é uma boa oportundiade para quem quer sentir o ar da caldeira do vulcão de Santorini logo de manhã, sem ter que pagar as tarifas salgadas do verão. Então, vale a experiência, porque a paz e a vista é maravilhosa!

Mas quero dizer aqui que os hotéis da caldeira de Santorini (seja em Fira ou em Oia, que são os locais famosos – nem comento Imerovigli e Firostefani – mais ainda) tem a desvatagem de estarem na parte mais tursítica –  ou seja – nem gato na rua no Inverno. Na caldeira de Fira ainda tem “mais movimento”, mas na de Oia, só tem gente caminhando na hora do pôr do sol.

Se você ficar em um dos hotéis famosos da caldeira, sim, aí vai ver outros hospedes, mas vai ter a mesma dificuldade para achar restaurantes, cafeterias, mercados e etc. Se você escolher ficar em Fira, na parte mais central, perto da Praça de Fira, do ponto de ônibus e de táxi, aí sim vai ver gente 🙂 ali é onde o pequeno comércio fica aberto o ano todo.

A maioria dos hotéis nas praias de Perissa e Kamari estão fechados no inverno – mas é sempre bom consultar.

Inverno em Santorini Grécia
Inverno em Santorini, Grécia

Onde comer em Santorini no Inverno 

Aqui vou colocar a lista do que estava aberto nesse inverno (2017), mas é sempre bom tentar confirmar, ok?!

Em Fira, na capital de Santorini: 

Na praça principal, tinha o Nick, the Grill, que é meu souvlaki favorito em Santorini (souvlaki é um sanduíche grego delicioso). Na mesma praça, vários outros locais estavam abertos para snacks e cafés. Para comer bem, fazer um almoço ou jantar caprichado, eu gosto do Kipos – um restaurante que tem comida deliciosa, excelentes vinhos e lá também é cafeteria durante o dia. Funciona o ano todo!Outras possibilidades em Fira são Theoni’s Kitchen e YOGI.

Para tomar café em Fira, tem o Clássico que fica pendurado na caldeira de Fira – adoro. E também o Graffiti, Home all day Caffe, Opus, sendo que estes três locais ficam na região entre Fira e Karterados.

Em Oia, vila famosa de Santorini: Pendurado na caldeira de Oia, está o Lotza para comer ou tomar um café. Eu não achei outras opções em Oia, mas é andar pelo local e tentar descobrir.

Em Akrotiri, temos o Dolphins que fica tradicionalmente aberto durante todo o ano.

Em Perissa, temos o beach bar Demilmar que fica tradicionalmente aberto o ano todo, e é uma delícia para tomar um café ou almoçar vendo o mar lindo de Santorini.

Em Pyrgos, temos como opção a deliciosa comida do Pyrgos Restaurant – eles fecham no inverno mas já estavam abrindo nos finais de semana. É bom perguntar, eles tem um ótimo site.

Até me vêem em mente outros locais, mas vai ser impossível de explicar aqui como você chegariam lá 😉 Em todo caso, vocês estão em boas mãos com estes locais que citei.

Inverno em Santorini Grécia
Inverno em Santorini, Grécia

O que fazer em Santorini no Inverno – 10 sugestões

  • tomar um café frappé ou nes em uma cefeteria em Fira, só assim você consegue entender a magnitude da ilha do vulcão
  • fazer a caminhada de Fira até Oia – passando pela caldeira, pelas estradas, pelos pedregulhos – em um dia de tempo bom, só você e Deus
  • Ir até o farol de Akrotiri e aproveitar o sossego e a sensação de isolamento total
  • Parar o carro no estacionamento de Pyrgos e andar por toda a vila a pé
  • Parar o carro na Praça do Eborio, tomar um café e assistir a vida dos locais e então caminhar e se perder em busca do Castelli ou Goulas – o castelo do Eborio
  • Caminhar pelo Megalochori e ver a rusticidade das plantações dos vinhedos que explodem na ilha no verão
  • Almoçar em Perissa, de frente para o mar
  • Assistir ao pôr do sol em Oia – com assento privilegiado na pontinha do Castro
  • Visitar o sítio arqueológico de Fira antiga e fazer a caminhada de Perissa até o alto da montanha
  • Passar uma manhã na região de Akrotiri, visitar a Praia Vermelha e o sítio arqueológico de Akrotiri

Bom, leitores, espero que vocês curtam este post super completo com dicas sobre o Santorini  no Inverno e aproveitem para conhecer a ilha mais linda da Grécia!! É de coração 😉 Mil beijos! Mais dicas no vídeo abaixo!

Inverno em Santorini Grécia
Inverno em Santorini, Grécia
Inverno em Santorini Grécia
Inverno em Santorini Grécia

 

Viagem pelas ilhas gregas: 45 dias em 5 minutos!

(post rápido só para você sentirem o que vem por aí!;) Muuuuita mas muuuuuita coisa legal!)

5 minutos que contam o que vivi nos 45 dias viajando pelas ilhas gregas (ilha de Santorini, ilha de Creta, ilha de Karpathos e Atenas) – sozinha, na maior parte do tempo.😊 Eu poderia escrever uma trilogia ( vocês sabem que poderia 😂😂) sobre a utilidade de um tempo a sós com os próprios pensamentos e em última instância, com suas dores mais secretas. Mas vou apenas dizer que adoro ficar sossegada, porque sozinha, amigos, eu nunca estou! Com Deus ao meu lado, com as pessoas que trabalham comigo, com o carinho das noivas, com apoio da família, com o amor do meu amor e com a companhia eterna de vocês, por aqui, 24 por dia! Rindo e chorando, nos dias bons e nos não tão bons, o importante é seguir em frente 😍💟💖 que os meus “bons dias” tenham sido animadores para alguns de vocês, que sirva de gás para a realização do sonho de viajar para a Grécia, de casar em Santorini ou de ser uma pessoa melhor! FÉ EM Deus sempre e bola pra frente *** programando as próximas viagens 😂😂😂 #rodinhanope

45 dias em 5 minutos!! Só com os vídeos de 10 segundos do Instragram 😉 Boa semana!

Acompanhe: a viagem pelas ilhas gregas continua!

Queridos leitores!

Quando eu sumo aqui do blog vocês já sabem né? Estou na estrada, conhecendo lugares novos, descobrindo outros caminhos e vendo o mundo entusiasmada como se fosse a primeira vez 😉

Estou em viagem pelas ilhas gregas, meu destino favorito desde sempre! Passei por Santorini, segui para Karpathos e agora estou em Creta! Descobri uma paraíso secreto na ilha de Karpathos, aprendi muito sobre a cultura e história do local com meus amigos nativos e tirei fotos que vão fazer você querer comprar sua passagem para a Grécia AGORA!

E ainda tenho várias dicas de hospedagem, restaurantes, passeios e muitos mais! Já sabe né? Assim que eu voltar em terra firme – São Paulo – vou organizar o material e criar posts super explicativos para vocês! Porque a net aqui não está cooperando e o mar está muito azul lá fora! 😉

No mais, quero agradecer o carinho e as mensagens de todos e convidar para me acompanharem ao vivo no meu facebook pessoalLuana Sarantopoulos Bergamaschi e no meu instagram luana_sarantopoulos. Tem post e fotos novas todo dia por lá – dá pra acompanhar em tempo real! 😉

Abaixo algumas fotos da minha viagem pelas ilhas gregas – ilha de Karpathos! E se você tem interesse em Casamento em Santorini -estou acompanhando a temporada de casamentos que organizei de brasileiras em Santorini – fiquem ligados nas pages do face:

Casamento em Santorini * Noiva de Santorini * Santorini Grécia *

E claro, aproveite para acompanhar a página do blog! Lulu no País das Maravilhas         

Mil beijos!! Para ver mais fotos clique aqui!

viagem pelas ilhas gregas Karpathos
Viagem pelas ilhas gregas: Karpathos
dsc01955
Viagem pelas ilhas gregas: Karpathos
Viagem pelas ilhas gregas: Karpathos
Viagem pelas ilhas gregas: Karpathos

Para ver mais fotos clique aqui!

10 coisas que você precisa saber sobre a ilha de Barbados, no Caribe!

10 coisas que você precisa saber sobre a ilha de Barbados, no Caribe!

Queridos leitores,

Vocês sabem que eu acabei de voltar do Caribe! 🙂  Eu estava aqui, no meio do meu turbilhão quando uma viagem para Barbados apareceu e eu só tive tempo de fazer a mala e ir! E me parece que as melhores coisas da vida sempre acontecem assim, né?!

https://www.facebook.com/ana.tassia.71?fref=ts
Eu, em Barbados!

Li pouco sobre Barbados antes de ir, mas já tinha conhecido um casal muito simpático nascido e criado na ilha de Barbados e estava determinada a conhecer o local, em algum momento da minha vida! A viagem foi fantástica e hoje compartilho com vocês 10 coisas que você precisa saber sobre a ilha de Barbados, no Caribe!

1 – Barbados é uma antiga colônia britânica e a língua oficial é o inglês. No entanto, é bom atentar para o fato que os nativos falam “broken english” que é uma versão cool, rápida e bem diferente do inglês 🙂 É um desafio entender as conversas na rua, mas fique tranquilo porque todos que trabalham com turismo falam também o “proper english” 🙂

2- 95% da população de Barbados era branca (inglesa) mas aí teve toda aquela história da exploração do açúcar e escravidão e hoje 95% da população é negra (foi o que li no livro da história de Barbados, no hotel). O mais legal disso tudo é que, quando a escravidão foi abolida, os ingleses construíram escolas para que todas as pessoas pudessem estudar e ter uma oportunidade na vida. A boa nova é que desde sempre as escolas e faculdades eram mistas, ou seja, não havia distinção de cor nem raça, o que construiu uma sociedade totalmente livre dos preconceitos que existem por aí.

Barbados 11
Miami Beach, Barbados

3 – Barbados é um lugar super seguro, com uma classe média gigante, o que garante ótimos e movimentados restaurantes, hotéis e beach bars. Segundo minha amiga nativa, ainda existe uma pequena classe pobre uma pequena classe muitíssimo rica. A Sandy Lane de Barbados e outras praias da Platinum Coast é o playground dos bilionários do mundo (hello Rihanna, Tiger Woods, Simon Cowell e por aí vai 🙂 )

Barbados 2
Miami Beach, Barbados
o que você precisa saber sobre Barbados Caribe
Animal Flower Cave, norte da ilha de Barbados

4 – A língua, o dinheiro, a comida, as pessoas, enfim tudo que é de Barbados é chamado de Bajan. E só pra resumir: os bajans são pessoas muito amigáveis, a comida bajan é deliciosa, a língua bajan é o broken english, e o dinheiro bajan é o  bajan dólar.

5 – A ilha de Barbados meio que faz parte do Caribe, meio que não. O lado esquerdo da ilha é todo voltado para o mar do Caribe  (aquele mar verde esmeralda calmo e delicioso) e o lado direito é voltado para o oceano Atlântico (ondas, correnteza e pancadaria de espuma de mar nos penhascos – a maioria dos lugares tem aviso para não entrar na água) e isso é muito importante de se entender na hora de achar hotéis e locais para passear.

o que você precisa saber sobre Barbados Caribe
Shark Hole, lado leste da ilha de Barbados

6 – Fique hospedado no lado esquerdo, o oeste, que é voltado para o mar do Caribe, a não ser que você queiraa surfar. Neste lado, existem milhões de hospedagens de todo valor, de norte a sul, sendo as praias mais “estruturadas” ao sul do lado oeste.

Barbados 9
Carlisle Bay, sudoeste da ilha de Barbados

7 – Fique em um hotel a beira mar, mas não se limite a praia do hotel. Conheça várias praias, cada uma tem sua beleza natural singular (palmeiras, rochas, areia branca, tartarugas marinhas) e sua estrutura especial (esporte radical, beach bar, playground de milionários, etc). São mais de 60 praias e o lado do mar do Caribe é maravilhoso e imperdível! Farei um post sobre as melhores praias de Barbados, aguardem!

8 – Não entre no sistema all inclusive, porque Barbados é bem caro e isso vai inflacionar a sua viagem ao máximo. Além do mais, Barbados tem muitos restaurantes excelentes, com comida bajan, mediterrânea e internacional.  Além do mais, “jantar cedo” (logo após o por do sol) é uma das coisas mais gostosas de se fazer na ilha!

Barbados 54
Por do sol visto do restaurante Daphnes

9 – Barbados é caro, saiba disso. O hotel é caro, restaurantes são caros, bebidas são caras, passeios são caros, o dia a dia é carinho. O que dá pra fazer é comprar coisas nos supermercados e  tentar fazer o café da manhã no hotel ou tomar aquele vinho e sair só pra comer 🙂 Usar o ônibus e a  van local e não alugar também é viável e dá para ir para muitos lugares assim. Custa 2 dólares bajan a viagem!

10 – A ilha de Barbados tem muita coisa legal pra fazer! Desde praias escandalosas de tão lindas, até a parte das destilarias, dos charutos, passeios de barco, mergulhos para ver naufrágios, cavernas, jardins botânicos e ainda uma parte cultural incrível 🙂 Uma semana é o tempo mínimo que eu indicaria.  E em alguns dias, se puder, alugue um carro para se locomover pela ilha e claro, não deixe de visitar a costa do Atlântico também!

Barbados 46
Jardins de Saint Nihcolas Abbey

Dicas extras!

Em Barbados, a mão é inglesa  – use GPS e dirija com cuidado extra – mas o trânsito é relativamente tranquilo e todo mundo cede a vez para o outro –  prove todos os mojitos e rum punchs que puder – vá até o The Cliff (pelo menos para um drink – lá é bem $$$$$$) – não perca o passeio de St Nicholas Abbey – acorde cedo e aproveite o dia – faça o passeio top de catamarã – entre no clima caribenho e relaxe – fique sussa porque todo mundo vai te falar “hi” sem querer te dar um golpe –  compre rum no supermercado –  não use roupas militares – não apoie nos coqueiros – vá para Barbados, é sensacional! – corra para ler meus outros post sobre Barbados aqui! Em breve!

Beijos! Mais fotos da minha viagem para vocês 🙂

Brabdos 48
Glitter Bay, Barbados
Barbados 25
Animal Flower Cave, Barbados
Barbados 36
Bathseba, Barbados
o que você precisa saber sobre Barbados Caribe
Mullins Beach, Barbados
Barbados 19
Animal Flower Cave, Barbados
Barbados 3
Enterprise Beach, Barbados
Barbados 6
Carlisle Bay, Barbados

 

Chegando na Islândia!

Começa a nossa formidável viagem  pela Islândia!!

Eu sou a Lulu e vos escrevo direto da zona rural de Hella, uma pequena cidade na parte sul da Islândia. Vou contar para vocês (rapidamente) o que rolou ate agora!

Chegamos ontem de avião pelo aeroporto Internacional de Keflavik. O voo veio de Amsterdã e durou apenas 2 horas e 45 minutos. Voamos de Wow Air e a experiência foi ótima!

Pegamos um hotel honesto em Kev, chamado Bergas guesthouse. O quarto era gigante, tinha cozinha, cama delícia é banho quente. A dona era uma islandesa fofa, recomendo o local de olhos fechados.

Como já era final do dia, andamos pela marina e fomos jantar no Rain, um dos poucos restaurantes locais. A comida era caseira islandesa saborosa mas era cara, como tudo na Islândia. Almoço de casal simples sai em torno de 35 euros. 

Mas quer saber? Super valeu a pena. Estamos amando a Islândia e cada a centavo aqui é gasto com alegria! País lindo de morrer!!!!

A noite fomos de carro até o farol antigo de Kev para dar uma espiada na possível aurora. O tempo estava nublado e não foi dessa vez! Ok! Fomos dormir cedo porque o dia seguinte será cheio de aventuras ☺😊

Amanhã posto sobre o Golden Circle! Vem comigo  pela Islândia!

IMG-20160318-WA0033

 

 

 

 

 

 

 

Próxima grande viagem: Islândia!

Já não consigo me segurar de animação!

Em pouco mais de 6 dias (quem tá contando? kkkk)  estarei a caminho da nossa grande viagem de 2016! E vai ser grande mesmo, ficarei 1 mês fora, leitores, mas prometo conteúdo inédito e super super super top toda semana! 🙂

Sairemos de São Paulo e depois de um caminho longo (avião + táxi +trem +táxi +avião – com uma paradinha sensacional em Amsterdã ) chegaremos na Islândiaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!

E para entrar no clima, posto este vídeo massa que achei aqui, de promo da Islândia. A menina do começo é tipo**literalmente** euzinha aqui, quase chorando de emoção só de pisar naquela terrinha fervilhante!

BJs e ótima semana, leitores!

Conheça a Suíça sem ter que vender o rim: vá para Luzern!

Alguém aí já ouviu falar que a Suíça é cara? Pois é, e é muito cara meeeeeeesmo!

Se até os suíços abastados reconhecem o fato, o que seria de nós pobres mortais brasucas turistando em país de milionários? Onde o pretzel de rua é mais caro do que uma refeição grega em taverna? Onde uma garrafa pequena de água é 7 euros? Eu sei, eu sei… no começo você leva um susto e no final do primeiro dia você deprime….

Graças a Deus, não é só de turismo milionário que a Suíça vive 😉 Saindo da cidade de Zurich, a apenas 50 minutos de trem da estação central você encontra a cidade de Luzern (ou Lucerne), onde a vida parece mais real e mais acessível. A passagem custa em torno de 100 francos (ida e volta) e existem trens saindo da estação de Zurich a cada meia hora. Então, está fácil 🙂 E para completar, a paisagem é linda.

Luzern Suíça

Chegando em Luzern, eu consegui perceber que o barulho estava de volta no ar. As crianças gritavam e algumas pessoas atravessavam a rua apressadas, coisas que não acontecem em Zurich (no way). A estação de trem é bem pertinho do grande lago de Luzern e as atrações turísticas principais estão a poucos minutos a pé. Maravilha 😉

A ponte de madeira mais antiga da Europa é bonita e apesar de bem nostálgica, ela é perfeita para apreciação visual enquanto você curte uma taça de vinho da casa de um dos muitos bares e restaurantes posicionados no entorno do lago. O preços das refeições ali também é bem mais razoável do que em Zurich. Depois de relaxar e observar os cisnes zangados se degladiando, segui pela ruela de pedestres que levava a uma escadaria e a o que me parecia a Old Town de Luzern. Ninguém nunca me confirmou esta informação, mas eu tive a impressão que as cidades suíças são bem parecidas: sempre tem um lago com bares, restaurantes e parques ao redor e com uma old town perto.

Luzern Suíça

Caminhando preguiçosamente para lá e para cá encontrei o Panorama, que é um cinema bem diferente dos cinemas de outras partes do mundo. Também encontrei o Lowendenkmal, o Leão de Luzern, uma belíssima escultura e ainda uma entrada curiosa cravada no meio de uma rocha para um museu de história. Fiz compras em uma loja da C&A, as peças eram super modernas e bacanas e os preços similares ao do Brasil (ufa!). Visitei uma igreja bem imponente que ficava na beira do lago e depois caminhei no parque que ficava ao redor do lago. Sentei no banco, relaxei mais um pouco e me desliguei do mundo. Olhei para o céu, ele estava um pouco azul ainda, me senti abençoada. Foi tão bom fazer isso, ter este momento raro de paz em Luzern enquanto o fervo estressante continua enlouquecendo as pessoas em cidades como São Paulo.

E o mais inacreditável de tudo é lembrar que estamos todos embaixo do mesmo céu. Segui de volta para Zurich no final do dia, depois de uma pratada de macarronada a bolonhesa e percebi estava agradecida. E prometi para mim mesma que iria dar mais valor a coisas simples da vida… como lagos, centros antigos e parques.

Deus salve a Suíça. E os suíços, por fazerem aquele cantinho do mundo um lugar tão especial!

Luzern Suíça Luzern Suíça

Top 10 Zurich, sem dúvidas!

Vocês sabem que não faz nem 15 dias que eu voltei da Suíça e estou cheia de dicas para compartilhar! Foi a primeira vez que visitei este país e eu aproveitei para dar uma de “turista-que-faz-tudo-o-que-tem-pra-fazer”, então meu roteiro está afinadinho. Eu fiquei muito animada com Zurich e até surpreendida, porque tenho que confessar que incialmente achei que a Suíça era apenas uma Inglaterra mais limpa 😉 Só que aí, logo no primeiro dia, a cidade de Zurich e tudo que ela oferece se mostrou muito além da minha expectativa!

suiça o que fazer em Zurich

A começar pelo fato de que metade da cidade é natureza 😉 e só a outra metade que foi construída e as construções são cheias daquele charme medieval de Europa Velho Mundo. Só que tudo muito organizado, limpo e bem cuidado. Até o bairro ZurichWest que é o lado B de Zurich, no meio do bairro industrial, tem uma pegada eco-social consciente. Tem coisa melhor do que unir natureza + construções charmosas + história e arte + sociedade altamente civilizada? Nãaao (bem, só faltou o clima mediterrâneo e os preços mais razoáveis, mas aí eu estou querendo demais, né?!)!

Então vou começar do começo. Mesmo se você só tiver um dia ou dois em Zurich, dá para fazer muita coisa, tá? Aí vai a minha lista top 10 de Zurich 😉

  1. O Lago de Zurich

Enorme, limpo e lindo. No verão as pessoas nadam no lago e curtem jogar uma canga (a Suíça é fina, mas ainda assim rola uma canguinha) nos grandes gramados. É a praia dos suíços! Ao redor do lago tem parques bem cuidados, sendo que um deles tem construções chinesas bem legais 😉 Salsicha, linguiça, pretzel e cerveja são vendidos em vários pontos ao redor do lago e o passeio de barco é super relaxante. Das opções de passeio, eu fiz o de uma hora e meia que custou 8 francos (estranhamente barato, mas é poque é usado como meio de transporte também – tá explicado). Foi super gostoso e dá para sentir exatamente a atmosfera de Zurich; natureza, beleza, organização, educação, segurança…cheiro de riqueza no ar 😉

suiça o que fazer em Zurich

2. Bahnhofstrasse

A rua mais famosa de Zurich e muitos diriam, a mais cara do mundo. Eu acredito que seja, porque até um lencinho era 350 francos e não estou falando de grandes casas nem grifes 🙁 Choquei, mas ok, a rua é gostosa para passear e ver vitrines e sentir a riqueza da galera 😉 O legal é que ela liga a estação central até o lago, então é quase passagem obrigatória. E vale o passeio a pé, deve dar no máximo 30 minutos para andar ela toda.

3. Old Town

A cidade antiga é bem legal para visitar, sentar em um pub ou comer uma comida italiana ou francesa ou suíça/alemã. Também é super relax para caminhar e se perder nas ruas, olhar as vitrines com coisas tipicamente suíças como canivetes e chocolates. Me pareceu um lugar mais razoável para compras em questão de preço e tem bastante roupa, sapato e acessórios moderninhos e elegantes por lá 🙂

suiça o que fazer em Zurich

4. Kunsthaus

Kunsthaus, o Museu de Arte de Zurich é de babar. Eu que adoro um museu fiquei mais de três horas caminhando pelas suas enormes e organizadíssimas salas: Miró, Van Gogh, Monet, Manet. Picasso, Dali, Chagall!!!!!! 😉 E muito mais! Uma tarde no Kunsthaus foi um respiro novo de inspiração na minha vida, muito bom mesmo! Tipo perfeição para quem ama arte #alocadosmuseus

suiça o que fazer em Zurich

5. Museus e Igrejas

O Kunsthaus mereceu um item a parte mas também visitei outros museus e igrejas. Zurich é o paraíso para quem gosta de arte e história. Achei que valeu a pena pois eles são bem organizados e estão para todo lado. Destaque: o Landesmuseum (Museu Nacional Suíço) e o Cabaret Voltaire (dadaísmo). As Igrejas são imponentes e diferentes. Um misto do que vi na Inglaterra com uma pegada exótica e artística. Em uma delas os vitrais são obras de Chagall! Amei! Destaques: a Fraumuster Kirche (Igreja das Mulheres) e a Grossmunster (a Catedral). Elas ficam relativamente perto uma da outra, mais ou menos no entorno do canal principal.

6. Parques

Não importa qual, nem qual nome, nem em que localização. Os parques na Suíça e, principalmente em Zurich, são perfeitos para praticar esportes, andar de bike, correr de manhã, fazer pique-nique ou apenas caminhar e relaxar.

7.  Limmatquai

Pelo que entendi, este é o nome da rua que fica ao lado do canal principal e nome da região também ;). Ela vai até o lago de Zurich e é uma ótima opção para caminhar para quem tem pouco tempo na cidade, pois a partir dela você avista as Igrejas, a Old Town e ainda tem um zilhão de opções de bares e restaurantes.

suiça o que fazer em Zurich

8. Praça Lindenhof

É possível conhecer boa parte de Zurich a pé. E depois de algumas andanças, o melhor é subir no labirinto da Old Town até a Lindenhof e sentar em um dos seus bancos para observar a vida acontecendo pelas ruas e canais de Zurich. A vista é linda e a atmosfera do lugar é um misto de relax e surpresa boa. Ótimo lugar para ler um livro (alguém aí ainda faz isso? eu faço!)  🙂

suiça o que fazer em Zurich

9. Zurichwest

Fiz um post sobre o Zurichwest porque amei aquele lado da cidade! Se quiser ler o post completo sobre o lado cultural de Zurich clique aqui. O bairro que antes era apenas o lado industrial de Zurich, hoje está dominado por lojas bacanas de design, de moda e de tudo quanto há. Muitas lojas da região foram construídas embaixo do viaduto, conhecido como Viadukt, e em contêineres antigos e ônibus retrôs. O legal de Zurich é a mistura impensável que eles arriscam, o que dá ao visitante o direito de ir em um pub tomar uma cerva especial e também comprar uns saltos altos de drag queen, pois tudo é vendido no mesmo ambiente. Ou ainda, você pode  beber o melhor champagne do mundo do alto da Prime Tower Zurich, enquanto a fumaça sai nervosa da indústrias e os trens passam sem parar lá embaixo, carregando os pobres mortais (que tem um salário mínimo de quase 4000 euros!). E ainda dá para enxergar os alpes nevados no fundo…que mais você quer?

suiça o que fazer em Zurich

10. Andar e comer

E se você não está afim de correr em todo ponto turístico nem quer saber de riqueza cultual, Zurich ainda é o seu lugar. Lá é uma das cidades mais agradáveis para não fazer nada…digo para ficar de bobeira, apenas andando e comendo. A dica que eu dou para quem não quer gastar demais são os famosos pretzels e hotdogs que as barracas vendem na frente da loja Globus, na Bahnhofstrasse perto da estação central.Tem um pretzel com queijo brie que é delícia ( 6 a 8 francos). E claro, passeando ainda pela Bahof (o único jeito que eu consegui memorizar o nome dessa rua) você vai encontrar uma loja grande da Confiserie Sprungli com várias cadeiras e um segundo andar cheio de gostosuras achocolatadas!Yumi! Se você quiser apenas comprar chocolate, aproveite as lojas Sprungli espalhadas pela cidade, a fábrica da Lindt e claro, os supermercados (um deles é o Migros) que vendem barras de chocolates deliciosas por 3 francos 😉 Afinal todo chocolate suíço é delicioso anyway!

suiça o que fazer em Zurich

Conclusão: Zurich é uma cidade fantástica e dá para conhecer muita coisa legal por lá. É só preparar o bolso, porque a cidade toda é bem cara e torcer para o tempo firmar e o céu sorrir lá de cima 🙂 Ah, e vale a pena sair tirando foto de tudo quanto é nome de rua, porque é bem difícil de lembrar depois (não acertei nem um neste post, tive que corrigir todos no Google kkkk). No mais, alegria garantida!

Bjs!

Suíça o que fazer em zurich

suiça o que fazer em Zurich suiça o que fazer em Zurich suiça o que fazer em Zurich

suiça o que fazer em Zurich