Grécia · Santorini · Viagens

Uma vida pelas ilhas gregas

Queridos leitores!

sei que tem tempos que não posto reflexões sobre meus dias na Grécia e sobre a vida como ela é, então vi este pedacinho do meu próximo livro e quero compartilhar com vocês…:) Espero que gostem! O lançamento dos outros livros da minha trilogia serão lançados muito em breve, avisarei vocês por aqui!!

Vida em Santorini Grécia

“E se a vida for apenas uma combinação aleatória de acontecimentos desconexos? O que acontece quando você acha que tem o direito de catalogá-los, ordená-los e criar uma correlação entre eles? Provavelmente, você enlouquece, porque nada parece fazer sentido. E foi isso que aconteceu comigo quando vivi nas ilhas gregas.

Depois de morar na ilha de Santorini, de pisar na lava do vulcão e de respirar o ar da caldeira, tive certeza de que a vida não fazia sentido. Pois veja bem, em Santorini a terra e o mar se chocam, a lava domina o mundo subterrâneo, os terremotos abrem crateras e partem a vida das pessoas diariamente. Se você olhar com atenção, vai perceber que o cenário belo e paradisíaco se modifica constantemente, a beleza e a feiura se confundem a cada instante. E independente dos terremotos que nunca se anunciam, a jornada continua, sem sentido aparente e imperfeitamente divina.

Depois de algum tempo vivendo em Santorini, acabei por internalizar aquela conformidade grega frente as mudanças constantes, afinal elas eram forças muito maiores do que qualquer ser humano. E acima de tudo, acabei por entender que os gregos são extremamente fortes e persistentes, sãos feitos de chama, são pessoas que nunca vão parar de queimar. Eles vão explodir com a força descomunal de um vulcão em erupção pela eternidade afora.

E enquanto ainda estava a observar aquele pequeno e curioso cosmos dia após dia, notei que o vulcão esconde sua verdadeira força na maior parte do tempo. De fora, parece apenas um monte de terra despretensioso e adormecido, mas por dentro continua a queimar, insistentemente.

Como é possível viver em paz se sua moradia foi construída em cima da ira sonolenta de um vulcão que causou catástrofes de proporções bíblicas? Para começar, é preciso não temer as explosões, os terremotos e os dias que virão. Afinal, a sincronia perfeita e maluca do Universo criou os seres humanos também altamente perigosos e explosivos.

Dentro de nós existem histórias intensas, medos impronunciáveis e amores gigantescos congelados pelo tempo. E, bem como o vulcão, é apenas uma questão de horas, dias ou anos, para que tudo voe pelos ares. Etsi einai i zoí (esta é a vida, em grego), como os sábios e conformados gregos de ilha concluem, toda vez que esbarram com um problema maior do que a si mesmos. Estaremos por aqui até o dia que Deus quiser.

Um suspiro encorajador, um sorrido tímido no rosto e um último pedido. Quando eu morrer, jogue minhas cinzas na caldeira de Santorini, para que eu possa enfim, descansar ao lado das chamas ardentes das almas livres dos nativos da ilha de Atlantis. Mas até lá, me deixe dançar zeibekiko toda vez que sentir dor, me deixe quebrar pratos quando sentir alegria. Me permita, enfim, festejar a jornada e viver intensamente como só um grego sabe fazer”.

Vida em Santorini Grécia

Vida em Santorini Grécia

Vida em Santorini Grécia

Vida em Santorini Grécia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *